PRIMEIRAS IMPRESSÕES – Stranger Things (4ª temporada, 2022, Netflix)

    Stranger Things entrou em seu quarto ano e a temporada será dividida em duas partes, com a primeira estreando no dia 27 de maio e a segunda no dia 01 de julho no catálogo da Netflix. Assistimos os seis primeiros episódios de nove e vamos passar as nossas impressões do que vimos. Confira!

    SINOPSE DE STRANGER THINGS

    Depois dos traumas ocorridos na temporada anterior, a nossa turma de jovens preferida agora lida com os problemas e anseios do ensino médio, enquanto tentam cicatrizar as feridas.

    Entretanto, a chegada de um novo inimigo do Mundo Invertido chamado Vecna vai aterrorizar a vida dos habitantes de Hawkins.

    ANÁLISE

    O quarto ano de Stranger Things veio com tudo, trazendo uma trama mais adulta que lida muito com a questão do luto e dos traumas causados pelas constantes perdas e ataques que o nosso grupo preferido sofreu. Com o elenco mais velho, as possibilidades de escalar o horror e os aspectos de terror foram amplificadas, deixando tudo mais sombrio.

    Os Irmãos Duffer beberam de muitas fontes para criar um conceito próprio. Alguns exemplos são Carrie: A Estranha no arco de Eleven (Milly Bobby Brown), It: A Coisa e A Hora do Pesadelo na trama do monstrengo assustador Vecna, que lembra em parte o terrível Freddy Krueger, uma singela homenagem a Rebert Englund, que faz parte do elenco. Aliás, a história de Victor Creel, personagem de Englund, remete muito a Amityville, uma vez que um massacre ocorreu em uma casa mal assombrada.

    Os novos personagens acrescentam algo para o enredo, mas sem muito brilho, exceto por Englund e, principalmente, Mason Dye que tem um papel fundamental que se baseia muito nos medos contemporâneos de uma sociedade enviesada pelas fake news e fantasmas que não existem. No aspecto cômico, temos uma boa atuação de Eduardo Franco como Argyle, que faz uma boa dupla com o chatíssimo Jonathan (Charlie Heaton). É inegável que a série é uma referência se tratando de trabalhar muito bem seus personagens, mesmo que sejam muitas histórias a serem apresentadas e contadas, construindo relevância até para quem tem papéis menores.

    Nos aspectos técnicos, as tramas estão ainda desencaixadas, todavia, o arco de Hawkins está sensacional. Os figurinos e trilha sonora oitentistas dão um ar muito nostálgico, mostrando o quão Stranger Things trabalha muito bem a sua estética, sendo uma espécie de túnel do tempo para quem não viveu aquela época.

    VEREDITO

    stranger things

    Stranger Things volta muito bem com uma trama mais pesada e que tem muito a contar, apesar d alguns arcos se tornarem desinteressantes ao longo dos episódios. Quem chegar esperando uma aventura familiar e com escolhas seguras vai se deparar com ousadia e um terror físico e psicológico dos bons como os clássicos dos anos 80.

    Confira o trailer da quarta temporada:

    Não lembra de tudo que rolou nos anos anteriores? Confira nosso resumo clicando aqui.

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    CRÍTICA: A temporada final de ‘Sweet Tooth’ é tão especial quanto a jornada de seu protagonista

    A série Sweet Tooth chegou ao fim. Mudando ligeiramente final, acompanhamos os últimos capítulos da jornada do Bico Doce e do Grandão.

    CRÍTICA: ‘The 8 Show’ é impactante e reflexivo

    'The 8 Show' é uma série original Netflix. A série adapta os webtoons Money Game e Pie Game de Bae Jin Soo.

    CRÍTICA: ‘Sugar’ é suspense noir de mais alto nível

    Sugar é a mais nova série do Apple TV+. Estrelada por Colin Farrell e grande elenco, acompanhamos a jornada do investigador John Sugar.

    Doctor Who: Conheça algumas curiosidades sobre a série

    A nova temporada de Doctor Who chegou com o melhor da série: muito humor, grandes vilões, incríveis batalhas e muitas voltas no tempo.