Início SÉRIE Artigo Watchmen: Será que Rorschach apoiaria a Sétima Cavalaria?

Watchmen: Será que Rorschach apoiaria a Sétima Cavalaria?

210
0
Watchmen: Será que Rorschach apoiaria a Sétima Cavalaria?

A nova prata da casa da HBO, Watchmen, causou um furor dentro do mundo dos quadrinhos. Causando um impacto maior ainda, nos fãs do vigilante objetivista com a máscara de tinta, mais conhecido como Rorschach (ou Walter Kovacs, quando ele não está punindo assassinos de crianças).

Se passando algumas décadas após os eventos descritos por Alan Moore e Dave Gibbons no aclamado quadrinho, o showrunner da série Damon Lindelof (Game of Thrones) coloca uma pitada de modernidade no retrógrado pensamento racista e grupos de ódios, através do mundo de Watchmen. Apesar da série estar sendo criticada pela dissonância em relação ao material fonte, uma das maiores críticas, é a respeito do grupo supremacista, que ganhou um nível completamente diferente, se inspirando em um dos personagens mais adorados criados por Alan Moore.

Conhecido como a Sétima Cavalaria – em inglês Seventh Kavalry, como uma provável referência do “K” ao Ku Klux Klan -, a seita mata abertamente policiais, e posta vídeos de si mesmos condenando os “traidores da raça”, vestindo versões baratas da icônica máscara de Rorschach.

Baseados nos primeiros episódios da primeira temporada, assim como o site da HBO, Peteypedia, o grupo terrorista está se inspirando no diário criminal escrito por Rorschach da série original. Além do ódio contra policiais (que também vestem máscaras após o Ato de Defesa da Polícia), a 7K acredita que as últimas décadas de “liberalismo” sobre o mandato do presidente Robert Redford, são resultado de uma elaborada estratagema orquestrada pelo bilionário contribuidor do Partido Democrático, Adrian Veidt. Eles viram Rorschach como um Messias que morreu em uma cruzada pela verdade. Mas como ele se sentiria sobre isso?



Apesar do que a Sétima Cavalaria ironicamente achou ser verdade Veidt (o super-herói Ozymandias que se tornou um super-vilão) de fato orquestrou um falso ataque alienígena trans dimensional, que matou 3 milhões de pessoas e Rorschach foi de fato assassinado a fim de acobertar o fato – o que irritou os leitores dos quadrinhos, foi o paralelo que Watchmen da HBO traçou entre a visão de um grupo de extrema direita, e o próprio Walter Kovacs.

Alguns foram até longe demais, ao chamar a série de “lixo”. Mas como o próprio Alan Moore apontou diversas vezes, Rorschach nunca foi um personagem modelo, mas um visual honesto, do objetivismo de Ayn Rand, do hiper nacionalismo, e absolutismo moral.

Vale apontar que até mesmo Steve Ditko se inspirou no trabalho da autora russa Ayn Rand, e sua filosofia de objetivismo foi refletida no Questão. Apesar de Moore dizer em uma entrevista que achou a filosofia de Rand “risível”, pois ela acreditava “na corrida dos sonhos de supremacistas brancos”. Alan Moore foi extremamente respeitoso com o trabalho de Ditko, mesmo apesar de suas diferenças políticas. Moore revelou o seguinte em uma entrevista acerca da personalidade de Rorschach:

“Através de Watchmen, Rorschach apoia valores como nacionalismo e absolutismo moral e expressa regularmente seu desdém pela escória da sociedade.”

Através do quadrinho de Alan Moore e Dave Gibbons, Rorschach se mostrou um solitário que reage estranhamente a situações de violência para se sentir melhor sem pensar muito em como suas ações afetam as pessoas ao redor dele. Ele é um indivíduo astuto que pode fugir de uma rebelião com a facilidade do MacGyver de fugir das situações mais adversas, mas ele é extremamente apático em seus métodos. Vale apontar que as visões que Rand tinham de si mesma, era a de racista, sendo mais notável contra os árabes e nativos americanos (ela inadvertidamente criou seu próprio culto). Não é algo que Rorschach buscaria fazer, ao tentar fazer mal a grupos marginalizados, mas ele provavelmente não ligaria se algumas pessoas se inspirassem em suas ações para fazer exatamente isso.

Ao conectar a série da HBO com os quadrinhos, a Peteypedia descreve Rorschach como um “indivíduo profundamente alienado” que sofreu inúmeros anos de abuso e experienciou o trauma do abandono pelas mãos de sua própria mãe, o que levou Kovacs a abraçar a violência como os fins para o meio. Apesar de ser verdade que Walter Kovacs nunca expressou qualquer sinal de racismo por Long (que era negro), os arquivos de Rorschach mostraram sua obsessão pela publicação de extrema-direita dos New Frontiersman. Apesar de seu amor pelo jornal ser atribuído as façanhas dos vigilantes, o jornal regularmente publicava artigos e se mostrava como o advogado do diabo, com grupos racistas como o Klan e promoveu a paranoia do Red Scare.



O fato de que Kovacs teve alguns problemas ao fazer vista grossa acerca desses fatos, sendo esse seu único meio de se informar sugere que ele provavelmente faria o mesmo que a Sétima Cavalaria e sua visão racista. E Rorschach não apenas lia o New Frontiersman, ele escolheu o jornal como destinatário para seu diário antes de sua missão de confrontar Ozymandias no ato final dos quadrinhos. Se Walter Kovacs não concordasse com as publicações de visões extremistas, ele provavelmente não teria dado a eles seu manifesto. E se o New Frontiersman não publicasse o diário de Rorschach, a 7ª Cavalaria não existiria. Rorschach não era racista o suficiente para se juntar a um grupo supremacista enquanto vivo… mas ele certamente era racista o suficiente para inadvertidamente começar um após sua morte.

Há outros fatos dos quadrinhos de Watchmen sobre Rorschach que provavelmente indicariam (em sua maior parte) que ele estaria “ok” com a criação de um grupo como a Sétima Cavalaria, o exemplo principal era por mulheres que tinham filhos com homens diferentes. Uma fala que indica isso, indo um pouco mais para a direita supremacista branca, é a retórica conservadora, e os apitos de cachorros. E apesar de seu único amigo Dan Dreiberg, o Coruja ser possivelmente judeu (baseado em seu sobrenome), parece ser uma exceção, não uma regra. Walter Kovacs mostrou repetidamente nos quadrinhos essa necessidade de destruir e desmantelar grupos, levando o que ele considerava ser justiça, para pessoas com as quais eles não se identificava ou concordava. Não é tão difícil acreditar que ele ficaria tranquilo com um grupo supremacista trabalhando em honra de sua memória.

E você, concorda?

Vale lembrar que Watchmen é lançado todo domingo na HBO, e está disponível na HBO GO desde o seu primeiro episódio. O que você tem achado da série? Conta pra gente nos comentários.

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Comentários