Início FILMES Crítica CRÍTICA – Capone (2020, Josh Trank)

CRÍTICA – Capone (2020, Josh Trank)

104
0
Capone

Capone, novo filme do polêmico cineasta Josh Trank do filme Quarteto Fantástico de 2015, está disponível on demand em plataformas norte americanas. O longa é estrelado por Tom Hardy (Venom).

SINOPSE DE CAPONE

O longa conta o último ano de vida de Al Capone, um dos maiores mafiosos dos Estados Unidos, mostrando a sua decadência por causa de doenças graves que o tornaram um homem destruído e frágil.

ANÁLISE

Capone é um filme que possui o intuito de chocar, uma vez que tudo que envolve seu protagonista é extremamente repugnante, desde sua aparência até suas limitações fisiológicas.

Tom Hardy é um camaleão do cinema, sempre se destacando por suas atuações viscerais, além de constantes mudanças de aparência para dar vida aos seus personagens.

No longa de Josh Trank, Hardy é o principal destaque, pois consegue de forma magistral demonstrar o quão difícil é envelhecer, ainda mais para um dos homens mais poderosos de todos os tempos.

O filme acerta e muito mostrando a figura fragilizada de um dos maiores criminosos, algumas vezes até sendo bem nojento, pois cenas com Capone defecando, fazendo xixi nas calças ou tendo momentos de senilidade são constantes, algo que chocou muitos espectadores.

Os demais personagens são competentes, com destaque para Linda Cardellini (A Maldição da Chorona) que é a esposa de Fonzo, Mae Capone, uma mulher que tem que cuidar do patriarca da família após todos os seus problemas mentais e físicos. 

Cardellini consegue nos passar calma em alguns momentos e desespero em outros, algo muito entendível pelo nível de esgotamento da personagem ao longo da obra. 

Matt Dillon (Crash – No Limite) e Kyle MacLachlan (Twin Peaks) não conseguem se destacar por conta de seus personagens rasos na trama, uma vez que o roteiro castiga bastante nas características dos mesmos.

DIREÇÃO E ROTEIRO

Contudo, aqui que mora o problema…

A direção e roteiro são confusos, deixando o longa completamente perdido em alguns momentos. 

Ao tirar o enfoque da fragilidade de Al Capone e focar em diversos outros assuntos para dar mais minutos à trama faz com que o filme naufrague, pois deixam o melhor do que foi apresentado até metade do segundo ato em segundo plano no restante, uma falha grave pelo que estava sendo muito bem conduzido.

VEREDITO

Capone é um filme que tem um início interessante, apresentando a destruição de uma lenda, entretanto, derrapa no final, tornando-o confuso. A escolha de Tom Hardy foi um grande acerto, inclusive sendo possível uma indicação como melhor ator e melhor maquiagem certamente no Oscar.

Nossa nota

Confira trailer legendado de Capone:

E vocês, gostaram do filme? Comentem e deixem sua avaliação!

Nota do público
Obrigado pelo seu voto

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.