Início FILMES Crítica CRÍTICA – Deserto Particular (2021, Aly Muritiba)

CRÍTICA – Deserto Particular (2021, Aly Muritiba)

Deserto Particular

Deserto Particular escrito e dirigido por Aly Muritiba (O Caso Evandro) foi o escolhido para representar o Brasil na categoria de Melhor Filme Internacional no Oscar 2022. No elenco estão Antônio Saboia e Pedro Fasanaro.

SINOPSE

Daniel (Antônio Saboia) é um policial exemplar, mas acaba cometendo um erro que coloca em risco sua carreira e sua honra. Quando nada mais parece o prender a Curitiba, ele parte em busca de Sara (Pedro Fasanaro), uma mulher com quem se relaciona virtualmente. Ele então mergulha em um intenso processo interno para aprender a lidar melhor com seus próprios afetos.

ANÁLISE

O filme escolhido pela Academia Brasileira de Cinema para representar o Brasil no Oscar 2022 fala sobre uma relação intrínseca. Deserto Particular confronta duas realidades completamente diferentes que ao se encontrarem provocam o âmago de seus protagonistas. É um filme paciente que sabe como quer contar sua história, tanto narrativamente, como visualmente. 

Deserto Particular

Pode parecer que Deserto Particular demora para acontecer, afinal, seu título só sobe em tela após meia hora de filme, quando o policial Daniel (Antônio Saboia) decide ir em busca de sua paixão virtual. Porém, é nesse tempo que o espectador passa com Daniel que entende-se o quanto esse personagem vive em um mundo apático. 

Os dias se tornam difíceis, entre os cuidados do pai e o afastamento da política devido a um excesso de violência. Sua única saída daquele universo tão sem cor, que fica expresso na escolha em representar uma Curitiba descolorida, é Sara, uma mulher com quem Daniel conversa virtualmente. 

É na falta de Sara, que abruptamente para de responder Daniel, que o policial decide embarcar em uma viagem para o interior da Bahia atrás da amada. Dessa forma, Deserto Particular se inicia de forma despretensiosa e paciente, como roteirista Aly Muritiba apresenta personagens consistentes e transparentes. 

Antônio Saboia como Daniel deixa de lado os estereótipos de policial, apesar do corpo másculo, apresenta um persona mais reservada, contida que sente dificuldades em se abrir completamente. Vide a cena, onde Daniel por não conseguir se expressar com seu pai acaba por quebrar o gesso do braço a duras batidas em uma pedra.

Da mesma forma, o encontro com a mulher dos seus sonhos, Sara (Pedro Fasanaro), que é uma mulher transgênero, é um momento de desaprovação para os conceitos machistas de Daniel. Sara/Robson pergunta por vezes, “O que eu sou?” para Daniel, que mudo não consegue responder. É no silêncio e também na trilha sonora melancólica que Muritiba faz o espectador refletir sobre o impacto de diferentes vivências e especificamente, sobre os anseios dos indivíduos LGTBQIA+.

Deserto Particular

A estética queer aparece pouquíssimas vezes no longa, mais presentes nas boates que Daniel e Sara se encontram e dançam juntos. O que há de fato em Deserto Particular é a exploração dos tons típicos do deserto, como quem mostra uma realidade LGTBQIA+ muito diferente dos filmes coloridos, visto que, estamos no interior da Bahia. 

Mas, de certa forma, Deserto Particular também quer atenuar a imagem de Daniel, o sensibilizá-lo e desfazer seu estereotipo de homem branco e hetero. Por isso, um breve deslumbre de uma cena de sexo entre dois homens, com a qual, o espectador pode finalmente se comover por Daniel.  

Logo, o filme de Aly Muritiba é tão pouco objetivo, como subjetivo. Sua direção evidencia planos abertos de forma a complementar personagem e ambiente. Dessa maneira, existe em Deserto Particular uma singularidade difícil de desvendar, que por vezes pode incomodar por não evidenciar um rumo direito, mas que sem dúvida chega a sua totalidade. 

VEREDITO

Deserto Particular é um filme visualmente belo que sabe aproveitar bem seus personagens e não têm pressa em se desenvolver. É uma história de amor, mas com um certo drama que coloca o espectador para refletir sobre vivências, desventuras e o próprio indivíduo.

Nossa nota

4,0 /5,0

Confira o trailer de Deserto Particular:

Inscreva-se no YouTube do Feededigno

Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

Artigo anteriorTBT #152 | A Hora do Espanto (1985, Tom Holland)
Próximo artigoBlade: Conheça o vampiro mais letal da Marvel
Jornalista em formação e apaixonada pela sétima arte. Representatividade e movimentos sociais através do cinema é fundamental. Apreciadora de livros, animes e joguinhos de ps4 nas horas vagas. The final girl.