Início FILMES Crítica CRÍTICA – Encanto (2021, Walt Disney Animation Studios)

CRÍTICA – Encanto (2021, Walt Disney Animation Studios)

CRÍTICA - Encanto (2021, Walt Disney Animation Studios)

Encanto, novo longa da Walt Disney Animation Studios, estreia nos cinemas de todo o Brasil no dia 25 de novembro. Dirigido por Byron Howard, Jared Bush e Charise Castro Smith, a produção apresenta a história da mágica família Madrigal, que possui dons excepcionais providos de um milagre. A trilha sonora é composta pelo super premiado Lin-Manuel Miranda.

A única integrante que não possui um dom é Mirabel, uma jovem extrovertida e encantadora, que vê o melhor em todas as pessoas.

Conheça todos os personagens da trama de Encanto acessando este artigo.

SINOPSE DE ENCANTO

Encanto conta a história dos Madrigal, uma família extraordinária que vive escondida nas montanhas da Colômbia, em uma casa mágica, em uma cidade vibrante, em um lugar maravilhoso conhecido como Encanto.

A magia deste Encanto abençoou todos os meninos e meninas da família com um dom único, desde a super força até o poder de curar. Todos, exceto Mirabel.

Mas, quando ela descobre que a magia que cerca o Encanto está em perigo, Mirabel decide que ela, a única Madrigal sem poderes mágicos, pode ser a última esperança de sua família excepcional.

ANÁLISE

A animação Encanto constrói uma trama repleta de sentimentalismo sobre relações familiares, ao mesmo tempo em que apresenta um musical com belíssimas composições, cortesia do excelente Lin-Manuel Miranda. Essa é uma fórmula de sucesso que transforma o nome “Encanto” em um título muito adequado para a produção.

O longa apresenta a história da família Madrigal, um grupo de pessoas com poderes mágicos que trabalham para proteger a vila de Encanto e fazer com que o seu povo sobreviva a todas as dificuldades. Fazem parte da família a abuela Alma; seus filhos Bruno, Julieta e Pepa; e os netos Luisa, Dolores, Antônio, Camilo, Isabela e Mirabel – essa última é a única sem poderes.

Ao perceber que a magia está enfraquecendo, Mirabel parte em uma missão para descobrir a causa do problema e encontrar uma solução. Sua jornada a conduz por uma série de análises, tanto de sua personalidade, quanto do restante de sua família.

CRÍTICA - Encanto (2021, Walt Disney Animation Studios)

Assim como a maioria das animações da Disney, Encanto possui uma trama que parece simples na superfície, mas explora temas sensíveis, inclusive para os adultos. Se em Soul vemos uma história sobre escolhas e o que faríamos da nossa própria vida se tivéssemos uma segunda chance, e em Raya acompanhamos a união de diversos povos em prol de um bem comum, aqui o tema é relações familiares e o quanto conhecemos as pessoas próximas a nós.

Ao ser uma pessoa sem um dom mágico, Mirabel é constantemente colocada de lado, sendo tratada de forma menos importante. Essa atitude a faz buscar constantemente por aceitação, além de acreditar que a vida de seus irmãos e primos são perfeitas. Nesse fluxo, ela acaba esquecendo que cada indivíduo passa por suas próprias batalhas e sofre pressões externas.

Luisa tem o poder de super força, portanto ela nunca poderá fraquejar ou mostrar vulnerabilidade, pois toda a sua família se apoia nela. Isabela possui o título de “perfeita” da família e, de fato, ser perfeita significa não cometer deslizes e cumprir as expectativas dos outros.

Ao não se sentir especial, Mirabel se coloca para baixo e se isola, deixando de conhecer melhor os próprios membros de sua família. Essa análise provavelmente será entendida pelas crianças, mas certamente terá mais peso para os adultos, que por não olharem para os lados esquecem que todos passam por problemas.

Além da ótima temática, Encanto apresenta personagens carismáticos e um mundo repleto de cor, algo que a Disney sabe trabalhar muito bem. Os ritmos latinos propostos por Lin-Manuel são intensos e apaixonantes, com faixas que certamente serão abraçadas pelo grande público.

Apesar de preferir animações 2D, confesso que esse estilo utilizado tanto pela Disney, quanto pela Pixar, é muito bonito, principalmente quando assistimos à produção na tela grande do cinema. E, mesmo achando que Raya possua um trabalho mais profundo em criar uma cultura para as tribos do filme, Encanto consegue trabalhar bem o seu contexto, mesmo utilizando de elementos mais simples.

A sessão de Encanto em que eu estive foi dublada, e quero ressaltar o excelente trabalho feito pela equipe de dublagem. Como já é tradição, a dublagem brasileira consegue adaptar a essência das canções originais, trazendo letras alinhadas com a trama. Eu amei o trabalho e acredito que, quem gosta de animações dubladas, vá curtir muito! Ao término da projeção, inúmeras cenas ficaram marcadas na minha memória, me deixando com vontade de assistir ao filme novamente.

VEREDITO

Encanto é uma divertida, emocionante e encantadora jornada sobre autoconhecimento e empatia. Certamente mais uma ótima adição ao catálogo da Disney.

Nossa nota

4,0/5,0

Assista ao trailer:

Inscreva-se no YouTube do Feededigno

Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

Artigo anteriorHouse of the Dragon: Conheça Syrax, a dragoa de Rhaenyra Targaryen
Próximo artigoCRÍTICA – Star Trek: Lower Decks (1ª temporada, 2020, Paramount+)
Relações-Públicas de formação. Com pós-graduação em Star Wars e universo expandido, mas Trekker de coração. Defensora de todos os Porgs, Ewoks e criaturas fofinhas da galáxia.