Início FILMES Crítica CRÍTICA – Turma da Mônica: Laços (2019, Daniel Rezende)

CRÍTICA – Turma da Mônica: Laços (2019, Daniel Rezende)

270
0
CRÍTICA - Turma da Mônica: Laços (2019, Daniel Rezende)

Há 50 anos, começava uma história despretensiosa sobre quatro amigos na Rua do Limoeiro. Mônica, Magali, Cascão e Cebolinha eram o típico grupo de amigos que todos nós gostaríamos de ter quando criança. Bem, pra mim, eles eram meus amigos de verdade, graças aos ótimos gibis do Maurício de Sousa – e da minha imaginação.

Depois de muitos gibis, “almanacões”, animações para TV e cinema, tirinhas nos jornais, jogos e muitos outros formatos multimídia, a turminha finalmente ganhou seu próprio live action e chega às telonas de todo o Brasil com a adaptação da graphic novel Turma da Mônica: Laços, de Vitor e Lu Cafaggi.

CRÍTICA - Turma da Mônica: Laços (2019, Daniel Rezende)
Turma da Mônica: Laços (2013, Panini Comics)

Turma da Mônica: Laços é dirigido por Daniel Rezende, conhecido por seu trabalho em Bingo – Rei das Manhãs e também pelos inúmeros prêmios de edição pelo aclamado Cidade de Deus.

Em 2016, Daniel subiu ao palco da CCXP com um filhotinho nos braços. Era a primeira vez que víamos o cachorrinho que, futuramente, daria vida ao Floquinho, icônico personagem dos gibis e elemento principal da trama de Turma da Mônica: Laços. O planejamento da Maurício de Sousa Produções (MSP) e de toda a equipe por trás desse projeto só confirmava o quão marcante seria a estreia da turminha nos cinemas – spoiler: foi incrível!



Turma da Mônica: Laços mostra o nosso grupo de amigos em uma aventura para encontrar Floquinho, que havia desaparecido no meio da noite. Sem pistas e desacreditados pelos pais, a turma monta um plano infalível para descobrir onde está o cachorrinho e trazê-lo de volta pra casa são e salvo. Além de Mônica (Giulia Benitte), Cebolinha (Kevin Vechiatto), Magali (Laura Rauseo) e Cascão (Gabriel Moreira), o longa conta também com atores de peso dando vida a personagens importantes como Dona Luísa (Monica Iozzi), Seu Cebola (Paulo Vilhena) e Louco (Rodrigo Santoro).

Rodrigo Santoro como Louco

A produção tem tudo o que um filme infantil precisa: ótimos personagens principais, atores mirins extremamente simpáticos, poucas aparições de adultos – acredito até que poderiam aparecer menos ainda – um vilão maquiavélico e muita ação.

Pra quem é fã do universo da Turma da Mônica há, também, inúmeras referências a outros personagens dos gibis durante os 97 minutos de filme. É quase uma caça aos easter eggs no “Limoeiroverso” (já podemos sonhar com um universo compartilhado nos cinemas, né?).

O filme é tão bom, mas tão bom, que durante a sua duração bate até uma saudade de quando a nossa única preocupação era ler gibis e esperar a hora do almoço. O clima de nostalgia toma conta em vários momentos, ainda mais com a aparição do próprio Maurício de Souza em uma das cenas.

Turma da Mônica: Laços é uma produção que te desafia a não chorar no cinema – e que arrancará muitas risadas das crianças que estão conhecendo esse universo.

CRÍTICA - Turma da Mônica: Laços (2019, Daniel Rezende)

O elenco mirim é um elemento decisivo para o bom andamento da trama. Entregando momentos cômicos e também dramáticos, o grupo consegue conduzir o telespectador durante a sua “missão” com toda a ingenuidade e pureza, características típicas de crianças que não têm noção do que é perigoso. O vilão se encaixa perfeitamente nesse contexto: um adulto com rosto maléfico, que causa arrepios e te faz torcer o tempo todo para que ele acabe derrotado no final.

A ambientação de Turma da Mônica: Laços é um dos grandes diferenciais. A forma como a Rua do Limoeiro é apresentada, os personagens inseridos nesse contexto, as aparições especiais, a vista aérea daquela rua que nós só tínhamos acesso por meio de desenhos… tudo tecnicamente perfeito.

Há uma cena de perseguição dos quatro personagens logo no início do filme que é incrível – e antecipa a ótima condução da história que está por vir.

Com os olhos marejados e com muita vontade de voltar a ser criança, ouso dizer que Turma da Mônica: Laços me transportou para uma época de pura alegria, e me fez relembrar o quão divertido era ter esse grupinho como meus companheiros de infância. Que venha uma continuação!

Nossa nota


Assista ao trailer:

Turma da Mônica: Laços chega aos cinemas na próxima quinta-feira (27). Não deixe de conferir e lembre-se de voltar aqui para fazer seus comentários e dar sua avaliação.

Nota do publico
Obrigado pelo seu voto

Comentários