Início FILMES Artigo Por trás do Escândalo, a história real de Bombshell

Por trás do Escândalo, a história real de Bombshell

1080
0
Por trás do Escândalo, a história real de Bombshell
Da esquerda para a direita: Charlize Teron, Megyn Kelly, Nicole Kidman e Gretchen Carlson.

Roger Ailes foi um case de sucesso como profissional: esteve nas campanhas vencedoras de Richard Nixon, Ronald Reagan, George W. Bush e Donald Trump, o último atual presidente dos Estados Unidos. Entretanto, sua Pietà foi a construção do império da Fox News, um dos maiores canais de notícias do mundo, um legado invejável de um homem com duas facetas: um empresário poderoso e ambicioso; e um monstro sem escrúpulos e ardiloso, que se aproveitava de sua posição para fazer chantagens com suas empregadas.

Seu legado parecia intocável até 2014, quando Gabriel Sherman lançou o livro The Loudest Voice in the Room: How the Brilliant, Bombastic Roger Ailes Built Fox News – and Divided a Country, que acusava Roger Ailes de ter oferecido aumento a uma de suas empregadas se ela aceitasse realizar favores sexuais ao executivo; John Lithgow dá vida ao empresário no longa. O caso ocorrera na década de 80 e desde o lançamento do livro, vieram à tona diversos outros casos de assédio sexual, dentre eles, os de duas estrelas da Fox: Gretchen Carlson, vivida por Nicole Kidman no longa e Megyn Kelly, que é interpretada por Charlize Teron, que foram âncoras do canal.

John Lithgow (esquerda) e Roger Ailes.

Desde então, diversas batalhas judiciais foram travadas. Os advogados de Roger Ailes difamaram as vítimas, tentando coagi-las para que não dessem seguimento ao caso.

Na obra de Sherman, Kelly detalhou como ocorreram os assédios com ela em 2006. Assim que Megyn Kelly ingressou na Fox News, Ailes realizou reuniões particulares onde diversas vezes o executivo tentou assedia-lá sexualmente. Além disso, ele também tentou beijá-la em muitas ocasiões em seu escritório.

Em 2016, quando as acusações de Carlson vieram à tona, a Fox pressionou Kelly para que defendesse Roger Ailes, ao que ela negou com ênfase. As denúncias atingiram o canal em cheio, e os donos da emissora começaram a pressionar o conselho para que o presidente saísse e abrisse mão de seu contrato. Depois de sua renúncia, novas acusações foram feitas de dentro da própria companhia. Enfraquecido dentro do canal e trucidado pela opinião pública, Ailes deixa a Fox News e inicia seu último trabalho na campanha de Trump em 2017.

Hemofílico, Roger Ailes morre no mesmo ano por complicações da doença.

Gretchen Carlson escreveu um livro chamado Be Fierce em 2017. A ex-funcionária da Fox News virou palestrante do TED Talks e em 2018 foi convidada para participar da comissão do evento Miss America. Ela foi responsável pela exclusão da apresentação com trajes de banho, uma decisão considerada polêmica na época, mas que teve o endosso de diversos movimentos feministas como o #MeToo. Atualmente Gretchen capitaneia a competição.

Megyn Kelly retomou sua carreira como jornalista e recebeu algumas premiações após o caso. foi considerada uma das 100 pessoas mais influentes pela revista Time em 2014. em 2015 entrou para o hall da fama da Bethlehem Central High School. Em 2016 Kelly foi para NBC e lá ficou por mais dois anos. Em 2018 se envolveu em uma polêmica defendendo o uso de blackface (pintar o rosto de preto para simbolizar a pele negra, ato considerado extremamente ofensivo e racista), se desculpando após o ocorrido. Megyn acabou saindo da NBC no mesmo ano.

Em 2019, a jornalista anunciou sua volta para a emissora.

A personagem de Margot Robbie é fictícia na trama. Ela será uma produtora que também estará envolvida no caso.

O Escândalo estreia dia 16 de Janeiro nos cinemas brasileiros.



Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo? Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Comentários