Início FILMES Crítica TBT #44 | Os Cavaleiros do Zodíaco – Os Defensores de Atena...

TBT #44 | Os Cavaleiros do Zodíaco – Os Defensores de Atena (1995, Toei Animation)

92
0
TBT #44 | Os Cavaleiros do Zodíaco - Os Defensores de Atena (1995, Toei Animation)

Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda dos Defensores de Atena (Saint Seiya: Shinku no Shonen Densetsu) popularmente conhecido como Os Cavaleiros do Zodíaco: A Batalha de Abel. É o terceiro filme da franquia Os Cavaleiros do Zodíaco, lançado em 1988 no Japão, está completando este ano seus 31 anos, no entanto, no Brasil só foi lançado dia 14 de Julho de 1995, tendo vendido mais de um milhão de ingressos em seu total de bilheteria aqui pelas terras tupiniquins. Posteriormente foi lançado em VHS pela Flashstar Home Vídeo, na época da primeira exibição do anime no Brasil e posteriormente redublado e lançado em DVD.

Na humilde opinião deste nada célebre fã de Saint Seiya, este foi o primeiro bom filme d’Os Cavaleiros do Zodíaco. Um fato curioso é que o anime estreou no Brasil em 1 de Setembro de 1994 pela extinta Rede Manchete (aqui choram as assim como eu viúvas da Rede Manchete), e já na primeira e bizarra abertura continha cenas do filme em questão, provando que a década de 90 não era para amadores, ou só era feita por eles… quem sabe?

O terceiro filme da franquia foi desenhado e laborado pelo próprio criador, Masami Kurumada.

A história fica por conta de Abel, aqui apresentado como Deus do Sol. No entanto na mitologia grega o verdadeiro Deus do Sol era Apolo. Abel tenta destronar seu pai e se tornar o Deus dos deuses, mas é derrotado por Zeus e Apolo. Após a morte de Abel, os deuses apagaram todos os registros de sua existência como punição, ao invés de jogar sua alma em um lugar cheio de fogo destinado aos pecadores, mas isso é assunto pra outra mitologia.

Porém, devido às blasfêmias da humanidade nos dias atuais, os deuses revivem Abel e lhe dão a missão de destruir a humanidade e devolver a Terra ao domínio do Olimpo. Abel então dá vida a três cavaleiros que lhe serviram na era mitológica e que são protegidos por armaduras feitas da Coroa do Sol, além de reviver os Cavaleiros de Ouro mortos na saga das doze casas.



A partir daí Abel se encontra com Atena e a convence a viver com ele no santuário da Coroa do Sol, no entanto nossa sofrida Saori Kido – reencarnação da deusa – é atacada pelo olimpiano.

O que se segue são batalhas e mais batalhas entre os Cavaleiros de Ouro ressuscitados e os incansáveis Cavaleiros de Bronze, além da batalha contra os Cavaleiros da Coroa do Sol.

Os Cavaleiros da Coroa do Sol: BJaô de Lince, e Atlas de Carina Berenices e Berengue de Coma.

Este filme antecipa fatos da saga de Poseidon, como o momento mais eletrizante do filme, onde Shiryu e Hyoga vestem respectivamente as armaduras de Libra e Aquário, momento único para aqueles que até então não aguentavam mais a “forçação de barra” no “protagonismo power” de Seiya de Pégaso (sim, sou daqueles que acham que deveria se chamar “Saint Shiryu”).

Um filme esteticamente bonito, dentro dos traços do mestre Kurumada e que certamente possui como um dos pontos fortes a sua música de encerramento: “You Are My Reason To Be“, que ganhou o prêmio de melhor tema de encerramento de filme de animação japonesa em 1988.

Nossa nota

E você? Já sentiu a força do universo percorrer até a última célula do seu corpo? Se você foi – e ainda é – fã de Os Cavaleiros do Zodíaco, certamente já assistiu Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda dos Defensores de Atena e que sem dúvidas não deixará de assisti-lo novamente. E para quem não assistiu: assista!

Nota do publico
Obrigado pelo seu voto

Se essa indicação não é o seu tipo de filme favorito, lembre-se de conferir nossas indicações anteriores do TBT do Feededigno.

Comentários