Início FILMES Crítica TBT #9 | Ghost in the Shell (1995, Mamoru Oshii)

TBT #9 | Ghost in the Shell (1995, Mamoru Oshii)

238
0
Ghost in the Shell 1995

Ghost in the Shell (O Fantasma do Futuro, título no Brasil) é um clássico da animação japonesa que assim como Akira pertence ao gênero ciberpunk, o filme é baseado nos mangás de mesmo nome escrito por Masamune Shirow de 1989.

Ostentando 96% de aprovação no site Rotten Tomatoes e angariando prêmios como de Melhor Direção de Animação e Melhor Longa-Metragem no World Animation Celebration e Melhor Script no Yokohama Film Festival, Ghost in the Shell foi a primeira animação japonesa a ser lançada simultaneamente no Japão, EUA e Reino Unido, com o objetivo de alcançar o público ocidental.

Ghost in the Shell

O Filme é baseado nos questionamentos filosóficos sobre a consciência humana e a inteligência artificial, com um debate sobre até onde vai a consciência de uma máquina, se é capaz de chegar tão longe que não conseguimos mais distinguir o que é humano do que é máquina, onde os seres humanos possuem o que chamam de “melhorias”, substituição de partes de seus corpos por similares mecânicos.

Ghost in the Shell

Neste contexto de futuro distópico, em que a tecnologia está altamente avançada e vai de encontro com a qualidade de vida, encontra-se Major Motoko, uma pessoa que foi tão modificada a ponto de questionar se é humana ou máquina.

Com tantas pessoas modificadas e tantos robôs andando entre todos, fica fácil para o hacker conhecido como Mestre das Marionetes atuar, controlando a vontade dos outros.

Major Motoko é escalada para caçar este cibervilão por um grupo secreto chamado Esquadrão ShellJuntamente com Bateu e Togusa, ela caça o criminoso, se envolvendo em uma rede de conspirações que coloca em xeque a credibilidade do governo e bate de frente com perigosas autoridades do Ministério que podem estar envolvidas em algum tipo de conspiração militar.

O Filme também foi inspiração para filmes como AI – Inteligência Artificial e Minority Report de Steven Spielberg; também beberam da fonte de Ghost in the Shell as criadoras da trilogia Matrix, as irmãs Wachowski.

Confira o trailer:

Obviamente a animação é excelente, diferente de sua adaptação em live action.

Nossa nota

Em 2017 um live action estrelado por Scarlett Johansson como Majorestreou com baixíssima popularidade de crítica e público, sendo detonada por todos os lados, inclusive havendo acusação de racismo ao escalarem uma americana para o papel de uma oriental.

E você, já assistiu a animação? Se ainda não assistiu Ghost in the Shell, aproveite nossa indicação do TBT do Feededigno, assista e volte aqui para deixar seus comentários e sua avaliação:

Nota do público
Obrigado pelo seu voto