Início FILMES Crítica CRÍTICA – Um Lindo Dia na Vizinhança (2020, Marielle Heller)

CRÍTICA – Um Lindo Dia na Vizinhança (2020, Marielle Heller)

58
0
CRÍTICA - Um Lindo Dia na Vizinhança (2020, Marielle Heller)

Se você estava sentindo falta de um filme motivacional, achou aqui! Um Lindo Dia na Vizinhança é aquele longa que tem o objetivo de aquecer os corações dos espectadores, uma vez que tem o objetivo de mostrar relacionamentos complicados e suas resoluções, com um mediador famoso.

Na trama, Lloyd Vogel (Matthew Rhys), um repórter investigativo, recebe uma pauta de sua revista para entrevistar o lendário apresentador de um programa infantil, Fred Rogers (Tom Hanks). A partir desta entrevista, Rogers começa a ajudar Lloyd em seus problemas pessoais com o pai do repórter, Jerry (Chris Cooper).

Marielle Heller pensou um formato diferente para a narrativa de Um Lindo Dia na Vizinhança: com uma estética de anos 90 e maquetes, utilizar diversos subterfúgios técnicos para contar a história do filme. Algumas cenas possuem uma linguagem simbólica, algo que deixa um tom bem poético ao filme. Uma cena específica tem um exercício muito interessante para quem está assistindo. Essa simbologia dá todo o norte para que sejam desenvolvidos arcos dos personagens. Lloyd precisa aceitar seus defeitos e tentar ser um pai melhor que Jerry, um homem relapso e egoísta. o personagem de Matthew Rhys não possui carisma, mas tem um peso dramático que conduz muito bem o filme.

O personagem de Tom Hanks é uma espécie de santo na Terra, algo que é até refutado em uma cena. O fato de Fred Rogers ser tão puro e canônico o torna excêntrico e, ao mesmo tempo, chato, uma vez que ele é certinho demais, mesmo que pareça ser perturbado em algum sentido, apesar de o longa não mostrar isso. Hanks está ótimo, com muito carisma, mesmo que seu personagem seja insuportável em alguns momentos. Portanto, a sua indicação ao Oscar, na categoria de Melhor Ator Coadjuvante, é mais do que justa.

Um Lindo Dia na Vizinhança é um filme sobre perdão, amor e legado. A proposta é muito boa, todavia, seu marasmo e pieguice é tamanho que faz com que a obra se torne apenas mais um no tão manjado formato “filme para Oscar”. Tom Hanks salva o longa com sua interpretação, mas a falta de carisma dos demais personagens acaba tornando-o mais um na fila de tantos outros com a mesma estrutura.

Nossa nota

Confira o trailer:

Um Lindo Dia na Vizinhança chega aos cinemas nesta quinta (23).

Nota do publico
Obrigado pelo seu voto



Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo? Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Comentários