Início GAMES Crítica CRÍTICA – Crysis Remastered Trilogy (2021, Crytek)

CRÍTICA – Crysis Remastered Trilogy (2021, Crytek)

Crysis

Ao final da década de 2000 surgia a franquia da Crytek que se tornaria referência em gráficos e exigência de hardware. Na época, exclusiva para PC, a trilogia Crysis Remastered Trilogy chegou agora para PC, PS4, Xbox One, Xbox Series X e S e Nintendo Switch.

Na época do lançamento dos originais, poucas pessoas tiveram a oportunidade de jogar, visto que a exigência de hardware para se jogar em uma qualidade ao menos razoável era altíssima. Houve em 2011 o lançamento de uma port do primeiro jogo da franquia para Xbox 360 e PS3, porém foi considerado muito fraco pela comunidade, por não entregar toda a qualidade que era experimentada no PC.

O primeiro remaster para a atual geração veio no ano passado (2020), e os outros 2 últimos jogos da franquia foram lançados no último dia 15 de outubro. A análise que faremos aqui será sobre a trilogia como um todo, jogada em um PS4, destacando algum dos jogos separadamente quando for pertinente.

RODA CRYSIS?

Crysis

Eternizado como meme justamente por ser referência em exigência de hardware, no PC, uma das opções de qualidade é justamente “Can It Run Crysis?”. O meme que tornou famosa a franquia foi tão bem internalizado e aproveitado pela Crytek, que eles trabalharam para tentar otimizar os gráficos através de um rigoroso trabalho de luzes e sombras.

Algumas texturas foram melhoradas, apesar de muitas parecerem ter sido simplesmente maquiadas pelo jogo de sombras, reduzindo a percepção de detalhes.

Ainda assim, as armas e o nanosuit receberam um impressionante melhoramento em seu nível de detalhes. Além destes, soldados inimigos e outros NPCs também tiveram consideráveis otimizações, cumprindo bastante com o papel de um remaster.

As diferenças podem ser observadas neste vídeo oficial da Crysis Remastered Trilogy. Um dos pontos em que o jogo perde um pouco é no detalhamento do ambiente, onde a Crytek optou por tornar bem mais iluminado e colorido, tornando talvez menos real do que a aparência do original. Ainda assim, a renderização à distância está muito melhor, permitindo observar e identificar pontos bem mais distantes com mais facilidade do que no original.

GAMEPLAY

Crysis

As mecânicas, no geral, foram otimizadas e permitem um conforto durante a jogatina. Todos os comandos oferecidos tem uma resposta adequada e permitem que se sinta o jogo, tanto por vibrações de tela quanto de controle. Infelizmente no primeiro jogo as qualidades destacas não foram tão bem trabalhadas, tornando por vezes desconfortável a movimentação e mira.

Outro detalhe negativo relevante sobre o primeiro jogo da Crysis Remastered Trilogy são as hitboxes dos NPCs. Muitas vezes um tiro bem mirado na cabeça não acerta, independente da distância, acontecendo com mais frequência nos tiros à distância.

No entanto, nos outros dois jogos, estas falhas não foram percebidas, tornando toda a experiência de controle e resposta muito agradável.

A inteligência artificial também foi otimizada e no geral entrega um bom desafio, apesar de alguns momentos existirem alguns bugs bastante dicotômicos. Por vezes existe uma total falta de percepção de proximidade mesmo sem recursos stealth. Em outras, por mais escondido que esteja o protagonista, os NPCs conseguem enxergar através de paredes e perceber coisas que nem você percebeu.

VEREDITO

Por se tratar de um remaster, não fizemos a análise da história, mas vale o destaque de que ela se manteve a mesma, entregando um excelente enredo que prende o jogador até o fim da campanha.

No geral, todos os jogos apresentam visíveis melhoras, permitindo também uma percepção de evolução na qualidade a cada jogo. Jogando o primeiro, como já destacado, foi onde tive a pior experiência, já nos demais, a percepção de qualidade cresceu bastante.

Um ponto negativo para nós aqui no Brasil é não haver nenhuma opção de idioma em português, seja de dublagem, legendas ou nos menus, o que limita um pouco a acesso pela comunidade que não domina outro idioma.

Ainda que tenha algumas imperfeições, de forma alguma estes pontos elencados aqui desabonam a grande qualidade presente em Crysis Remastered Trilogy. A recomendação é feita com facilidade. Se você jogou os originais, é uma ótima oportunidade de revisitar um grande jogo com boas melhorias. Se nunca teve a oportunidade, aproveite, porque este é um clássico muito bem envelhecido. Vale a pena.

Uma pena é apenas o valor para brasileiros neste atual momento. Com o dólar bastante alto, um jogo com um valor até honesto na gringa (US$ 39,99 na promoção atual) se torna quase que inviável para nós, custando em torno de R$ 211,92.

Valores foram baseados na Playstation Store.

Nossa nota

4,0 / 5,0

Confira o trailer de Crysis Remastered Trilogy:

E você, já jogou Crysis Remastered Trilogy? O que achou? Deixa sua nota e comenta sobre suas impressões.

Nota do público
Obrigado pelo seu voto

Curte o nosso trabalho?

Se sim, sabe que ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorPRIMEIRAS IMPRESSÕES – Pokémon Shining Pearl (2021, Nintendo)
Próximo artigoCRÍTICA | Dexter: New Blood – S1E3: Smoke Signals
Vindo do interior do interior do RS, fã de Cornwell, Zelda e do Fernandão, (péssimo) piadista, dá pitaco sobre quase tudo. Amante da cerveja, gosta de estudar diferentes culturas, leciona FIFA nas horas vagas e tem um cachorro chamado Salomão.