Início GAMES Crítica CRÍTICA – In Other Waters (2020, Fellow Traveller)

CRÍTICA – In Other Waters (2020, Fellow Traveller)

84
0
CRÍTICA - In Other Waters (2020, Fellow Traveller)

O Nintendo Switch com apenas 3 anos de vida tem um vasto catálogo de jogos AAA e indies que já tem seu lugar garantindo na história dos videogames e da Nintendo, tendo em vista que a plataforma vem sendo o berço para desenvolvedores de jogos independentes. Claro que alguns jogos indies tem mais aspectos de jogos triple AAA do que dos próprios indie. Contundo, In Other Waters é um jogo que tem todas as características de um bom jogo independente.

In Other Waters conta a história de Ellery Vas, uma xenobiologista que descobre vida extraterrestre enquanto procura seu parceiro desaparecido. Quando Ellery é chamada ao planeta Gliese 677Cc por Minae Nomura, apenas para chegar a uma base abandonada, ela se vê à deriva em um oceano de segredos, com pouco mais que um traje de mergulho com defeito e uma inteligência artificial (IA) estranha para guiá-la. Você é essa IA.

O game da Fellow Traveller foi vencedor do prêmio IndieCade Europe Jury Prix 2019 por apresentar um gênero de ficção científica sem soldados e violência, concentrando-se em maravilha e exploração, medo e vulnerabilidade e a relação entre uma IA há muito tempo adormecida e seu piloto humano.

A relação entre a IA e o operador se desdobra em uma narrativa impactante, interpretada exclusivamente pelo jogador. As profundezas do Gliese 677Cc contêm muitos segredos. Para que a vida continue, ela deve mudar. O que você descobrirá ao rastrear, provar e aprender sobre a vida dentro deste oceano alienígena?

Desenvolvido por Gareth Damian Martin, ele é “a equipe de um homem só” por trás do Jump Over The Age. Um jornalista de jogos talentoso, cujo trabalho pode ser encontrado na Eurogamer, Kotaku, US Gamer e outros veículos midiáticos, Gareth também é artista, designer de jogos e escritor.

A proposta de In Other Waters é bastante interessante, porém pode não agradar a todos públicos, o game é repleto de texto como uma Visual Novel; lembrando que o jogo é totalmente em inglês.

Você vai jogar apenas com a IA o que pode deixar o game extremante chato para quem procura apenas se aliviar o estresse depois de um dia de longo de trabalho.

A trilha sonora é relaxante e o jogador vai se sentir realizando um mergulho subaquático ou dentro de um submarino.

O visual do game é lindo e minimalista o que pode agradar quem procura algo fora do padrão. Já a jogabilidade pode ser confusa, por mais que tenha um tutorial no início do jogo, pode ser difícil se acostumar com os comandos e até mesmo sem saber o real objetivo a ser atingido.

In Other Waters é indicado para os fãs de ficção científica hardcore, esse público vai amar o jogo, agora quem está atrás apenas de um jogo para passar o tempo fique longe dele, pois vai achar uma experiência completamente tediosa.

Nossa nota

Assista ao trailer oficial de lançamento:

In Other Waters foi lançado dia 3 de Abril e está disponível para Nintendo Switch PC. E você, já jogou o game da Fellow Traveller? Deixe sua avaliação e comentários!

Nota do público
Obrigado pelo seu voto



Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.