CRÍTICA – NieR:Automata The End of YoRHa Edition (2022, SQUARE ENIX)

    Um dos jogos mais aclamados da última década acaba de chegar ao Nintendo Switch. Nier:Automata The End of YoRHa Edition é a versão desenvolvida nativamente para o console híbrido da Nintendo e que inclui o DLC também disponibilizada anteriormente para outras plataformas.

    Lançado em 2017, o JRPG de ação Nier:Automata foi indicado a dezenas de prêmios e venceu em importantes categorias de diferentes premiações. No The Game Awards do mesmo ano, o título da PlatinumGames e da SQUARE ENIX venceu as categorias de Melhor Narrativa e Melhor Trilha Sonora.

    O jogo e sua história são reconhecidos não apenas pelas premiações do setor, como também pela comunidade gamer. Por isso, esse review de Nier:Automata The End of YoRHa Edition não tem spoilers, para que você aproveite ao máximo a experiência, caso ainda não tenha jogado o game em outras plataformas.

    Leia nossa análise de Nier:Automata The End of YoRHa Edition, jogo lançado em 6 de outubro de 2022, logo após a sinopse oficial.

    SINOPSE

    NieR:Automata Edição O Fim de YoRHa é a versão para Nintendo Switch de NieR:Automata, um premiado RPG de ação pós-apocalíptico que conquistou imensa popularidade ao redor do mundo.

    O futuro distante…

    Invasores de outro mundo atacam sem aviso, liberando um novo tipo de ameaça: armas conhecidas com “formas de vida de máquina”. Em face dessa ameaça intransponível, a humanidade foi expulsa da Terra e se refugiou na Lua. Jogando como 2B, integrante da nova força militar androide organizada YoRHa, os jogadores mergulharão em uma batalha violenta para retomar o planeta.

    Vivencie uma história cativante que vai além do simples entretenimento, inspirando uma gama de emoções que se desenrolam por uma ação que mistura vários gêneros em um mundo aberto belo e desolado.

    Este produto inclui o DLC 3C3C1D119440927.*
    Inclui três tipos de coliseus, com três tipos de trajes inspirados nos personagens do jogo relacionado, NieR Replicant, podendo ser obtidos por meio de recompensas.

    *Para acessar este conteúdo, é preciso ter progredido de determinada maneira na história principal do jogo. Há ainda algumas cenas durante a progressão do cenário do jogo principal em que esse conteúdo não poderá ser acessado.

    ANÁLISE DE NIER:AUTOMATA THE END OF YORHA EDITION

    Nier:Automata The End of YoRHa Edition surpreende desde seu início. Em geral o jogo é um JRPG de ação e exploração em zonas abertas, mas já na primeira hora a experiência é recheada de variedades.

    O jogo da PlatinumGames com a SQUARE ENIX se destaca por mesclar muito bem mecânicas de gêneros diferentes, como a exploração em 3D que se transforma numa gameplay de plataforma 2D e, em seguida, coloca você no controle de 2B em um combate frenético visto de cima. Isso sem falar nos momentos em que você está a bordo de uma nave que se transforma em robô, vivendo uma experiência de shooter que remete a clássicos como Star Fox.

    Tudo isso de maneira muito fluida e natural.

    É realmente impressionante a fluidez da jogabilidade. E aqui não falo apenas em manutenção de frames por segundo (FPS) durante os rápidos combates hack and slash, e sim das transições de gênero e câmeras que acontecem quando você menos espera, sem atrapalhar o seu progresso.

    Essas transições são tão bem executadas que dão um gosto ainda mais especial quando você encontra um item que ainda não tinha visto no mapa, ou uma região escondida para começar a explorar.

    Lançado em 2022, Nier:Automata The End of YoRHa Edition é a versão do premiado Nier:Automata para Nintendo Switch. Leia o review sem spoilers
    Créditos: SQUARE ENIX / Divulgação

    É seguro dizer que Nier:Automata foge do óbvio. E mais: arrisco dizer que suas inovações são atemporais, daquelas que daqui a 20 anos será um verdadeiro prazer explorar novamente. Isso fica perceptível já na primeira área do jogo.

    Sem dar spoilers da história, fato é que você precisa dedicar aproximadamente uma hora para superar o ótimo tutorial inicial. Destaco isso porque nesse período você não consegue salvar. Então se você morrer durante o tutorial, ou simplesmente não tiver tempo para fazê-lo, será preciso reiniciar do zero.

    Isso poderia ser uma resistência a gostar de Nier:Automata, mas a verdade é que o tutorial já te coloca em situações reais de combate e exploração. Não é nada burocrático apenas para ensinar comandos: é a coisa real oficial acontecendo para você já se familiarizar com a bela aventura que vem aí.

    Mecânicas e liberdade para explorar

    Um dos pontos mais fortes de Nier:Automata é o combate. Mesclar mecânicas de hack and slash com shooter é um acerto sensacional. A experiência de controlar 2B aplicando golpes frenéticos enquanto atira com seu robô que a acompanha na aventura é incrível. Isso torna o hack and slash muito mais estratégico, pois amplia possibilidades ao permitir que você ataque de perto e de longe ao mesmo tempo.

    Outro aspecto positivo dessa mistura é a possibilidade de focar os tiros em um adversário ou movimentar a mira do robô em qualquer sentido.

    A progressão das habilidades de 2B e seu robô acontecem por meio da aquisição de diversos itens, sendo chips os principais para o grind. As side quests em Nier:Automata são muito satisfatórias e importantes para facilitar a progressão. Então embora você não precise fazê-las, acredito que não abrirá mão de fazer algumas, especialmente pela fluidez de encontrar e finalizar muitas delas.

    A liberdade de exploração é outro ponto positivo nesse jogo de zonas abertas. O avanço da história não é óbvio ou linear, e isso se deve também ao level design e as transições que mencionei anteriormente. Voltar em locais já explorados, seja porque você se perdeu ou por escolha própria, sempre te trará alguma recompensa. Pode ser um item, o ganho de experiência ou a agradável surpresa de descobrir um pequeno ambiente que você não tinha visto antes.

    Os gráficos de Nier:Automata no Nintendo Switch estão bons?

    A qualidade gráfica de Nier:Automata The End of YoRHa Edition é sensacional para a capacidade do Nintendo Switch. Ela não deixa a desejar em nada quando comparada à versão para o PlayStation 4, por exemplo. E vídeos de comparação como esse comprovam isso.

    Foram cinco anos de diferença entre o lançamento original de Nier:Automata e a chegada para o Nintendo Switch. Não tenho dúvidas de que esse tempo foi justo, pois o trabalho da PlatinumGames e da SQUARE ENIX está fantástico.

    É uma surpresa muito positiva ver um estúdio terceirizado desenvolver um jogo cheio de informações e com texturas de boa qualidade. O fogo é o elemento visual que mais me chama atenção, embora não se possa desprezar a qualidade da água e até mesmo a vegetação.

    Considere que tudo é exibido com boas definições enquanto roda um jogo ágil sem perda de FPS ou problemas na gameplay. Tudo é nítido em um jogo cheio de exigências gráficas e de hardware.

    O resultado obtido aproveita ao máximo o potencial do console híbrido da Nintendo, inclusive na experiência no portátil.

    Eu sinceramente não notei nenhuma diferença entre jogar na TV e no modo portátil. Esse é mais um dos jogos que fazem valer o investimento em um Nintendo Switch OLED, pois a qualidade gráfica refinada, os ambientes com cores vivas ao ar livre e também os escuros com forte contraste entre a escuridão e o fogo devem ser lindos de se ver.

    Nier:Automata no Nintendo Switch apresenta qualidade gráfica e de jogabilidade do mesmo nível que respeitadas franquias, como Mario e Zelda, recebem por parte da Nintendo.

    Então não é exagero nenhum dizer que a PlatinumGames e a SQUARE ENIX fizeram milagre com esse port-que-não-é-bem-um-port. E as empresas acertaram em demorar tanto para lançar Nier:Automata para o Nintendo Switch, pois qualquer coisa diferente desse resultado colocaria por água abaixo todos os méritos que o jogo conquistou desde o lançamento para outras plataformas.

    Então o jogo é perfeito?

    Não. Há pequenos problemas em situações muito específicas que mostram que o jogo não é à prova de falhas.

    Um exemplo é tentar abrir caixas de itens espalhadas pelo mapa. Nesses casos a experiência poderia ser melhor refinada, pois é algo trivial que por vezes se torna complexo. Uma outra ocasião que me deparei com bug é tentar avançar além do que o jogo permite ao escalar um robô. É possível ir além, mas o jogo “te empurra” de volta e causa uma sensação estranha.

    No entanto, esses pequenos detalhes não são capazes de estragar a maravilhosa experiência oferecida a todo momento.

    Nier:Automata The End of YoRHa Edition é o jogo desenvolvido por estúdios não administrados pela Nintendo que passará a servir de exemplo para outras desenvolvedoras terceirizadas quando forem criar (ou portar) um título para o Nintendo Switch.

    VEREDITO

    Nier:Automata The End of YoRHa Edition chegou ao Nintendo Switch para se tornar um dos jogos essenciais do console. O renomado JRPG da PlatinumGames e da SQUARE ENIX aproveita ao máximo o hardware do híbrido da Nintendo e entrega uma experiência completa e inesquecível para fãs de videogame.

    Não apenas fãs de JRPG e hack and slash vão apreciar essa obra de arte, e sim fãs de videogame. A mescla de diferentes gêneros fazem de Nier:Automata um jogo único e que precisa ser jogado. Sem desmerecer Xenoblade Chronicles 3 e Kirby and the Forgotten Land, os meus favoritos do ano, mas Nier:Automata The End of YoRHa Edition chegou para fazer parte dessa lista e assumiu o posto de melhor de 2022 (até agora).

    Nossa nota

    5,0 / 5,0

    Assista ao trailer de Nier:Automata The End of YoRHa Edition

    Acompanhe as lives do Feededigno na Twitch

    Estamos na Twitch transmitindo gameplays semanais de jogos para os principais consoles e PC. Por lá, você confere conteúdos sobre lançamentos, jogos populares e games clássicos todas as semanas.

    Curte os conteúdos e lives do Feededigno? Então considere ser um sub na nossa Twitch sem pagar nada por isso. Clique aqui e saiba como.

    Artigos relacionados

    CRÍTICA: ‘Elden Ring: Shadow of the Erdtree’ é uma das melhores DLCs, expandindo o jogo base com qualidade e carinho

    Shadow of the Erdtree é uma das melhores DLCs já lançadas. Agradecemos a Bandai Namco pelo envio da key antes de seu lançamento.

    CRÍTICA: ‘Paper Mario: Thousand-Year Door’ é um diversão garantida com narrativa profunda

    Paper Mario: Thousand-Year Door diverte em tudo que se propõe e é um mergulho ainda mais profundo nas mecânicas da franquia.

    Xbox Game Pass: Games para jogar de até 5 horas

    O Xbox Game Pass conta com diversos games divertidos. Mas trazemos aqui uma lista de games de até 5 horas para se divertir. Confira!

    EU CURTO JOGO VÉIO #15 | ‘PaRappa The Rapper’ é aconchegante de um jeito muito especial 

    Ao longo dessa jornada chamada existência tive o prazer de ter contato com games desde um bom tempo na infância, indo desde o Atari,...