Início GAMES Crítica CRÍTICA – Super Meat Boy (2021, Team Meat)

CRÍTICA – Super Meat Boy (2021, Team Meat)

Clássico indie Super Meat Boy chegou a eShop brasileira do Nintendo Switch em maio de 2021, com modo de jogo exclusivo para o console

O clássico indie Super Meat Boy, desenvolvido pela Team Meat, chegou a eShop brasileira do Nintendo Switch em 27 de maio de 2021. O jogo é antigo, e a versão para o console foi originalmente lançada em 2018.

Super Meat Boy para o Nintendo Switch conta com mais de 300 níveis, além de diversos chefões, personagens desbloqueáveis e o exclusivo Race Mode, que pode ser jogado por 2 players em tela dividida. Nesse modo, é possível competir contra a pessoa que está jogando com você.

SINOPSE

Super Meat Boy é um jogo de plataformas duro de roer, onde jogamos com um cubo de carne que tenta salvar a sua namorada (que por acaso é feita de ligaduras) de um feto malévolo de terno dentro de um jarro.

O nosso herói carnudo irá saltar a partir de paredes e por cima de mares de serras elétricas, através de cavernas em ruínas e piscinas cheias de agulhas usadas, sacrificando o seu bem-estar para salvar a sua amada. Super Meat Boy recupera a dificuldade dos títulos clássicos da velha guarda e apresenta uma jogabilidade de plataformas em estado puro, onde o mais importante são os reflexos rápidos e as reações instintivas.

ANÁLISE DE SUPER MEAT BOY

Divirta-se com muita irritação. Essa é a premissa do doido Super Meat Boy, o clássico jogo independente da publisher Team Meat, famoso pela sua desafiadora jogabilidade.

O primeiro mundo no modo diurno é uma ótima introdução para você se habituar com os controles e as habilidades do personagem principal, Meat Boy. É interessante como a dificuldade vai aumentando gradualmente e servindo como um treinamento constante.

A divisão entre mundo diurno e mundo noturno torna o jogo ainda mais interessante, além de agregar dezenas (quem sabe centenas) de horas de jogo. Isso porque o mundo diurno é mais fácil de superar, embora nem sempre seja tranquilo, enquanto o noturno conta com os mesmos mapas acrescidos de enormes desafios.

Sem dúvidas a fase 20 é a mais desafiadora do primeiro mundo no modo diurno de Super Meat Boy
Sem dúvidas a fase 20 é a mais desafiadora do primeiro mundo no modo diurno de Super Meat Boy

Tá achando pouco desafio? Então veja só: para liberar as fases do mundo noturno você precisa concluir as partidas dentro dos limites de tempos estipulados para cada uma.

Mas as surpresas não param por aí!

Algumas fases possuem ligaduras (band-aids) para você coletar e Warp Zones para você vencer. Ambas são formas de liberar novos personagens com habilidades únicas. Entre eles: Commander Video, Jill, Ogmo e Bandage Girl (a namorada de Meat Boy).

É fundamental desbloquear todo mundo, pois as habilidades únicas de cada personagem podem fazer toda a diferença para vencer determinadas fases. Ainda mais quando é preciso superá-las em tempo recorde…

Outro aspecto muito legal do jogo é o apelo à nostalgia em desafios dos Warp Zones. A jogabilidade é inspirada nos Super Mario Bros. para NES, especialmente a tela inicial de cada nível.

Race Mode em Super Meat Boy

Não é novidade que um importante diferencial dos consoles da Nintendo é a diversão em multiplayer. Portanto, o Race Mode de Super Meat Boy é um importante acréscimo a esse clássico indie, e não haveria plataforma melhor para esse modo de jogo que não fosse o Nintendo Switch.

O Race Mode é bastante divertido e possibilita boas doses de diversão, irritação e competição com quem compartilha o game com você. A tela dividida permite que 2 players avancem os mundos simultaneamente para ver quem consegue conclui-los mais rapidamente.

VEREDITO

Super Meat Boy é o legítimo game impossível de jogar para relaxar. As centenas de fases desafiadoras nos mundos diurno e noturno, além das (quase impossíveis) formas de desbloquear novos personagens, garantem muitas e muitas horas de uma agridoce diversão enquanto tentamos ajudar o Meat Boy a salvar sua amada.

O jogo está disponível na eShop brasileira por R$ 24,99 e é indispensável para amantes de jogos de ação, aventura, plataforma e produções independentes.

Nossa nota

4,5 / 5,0

Assista ao trailer de Super Meat Boy para o Nintendo Switch:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – Carnaval (2021, Leandro Neri)
Próximo artigoCRÍTICA – Cruella (2021, Craig Gillespie)
Jornalista pós-graduado em Jornalismo Digital, fã de Mr. Robot, Pokémon e com uma menção honrosa a 24 Horas, o seriado que me fez entrar no mundo de séries e filmes.