Noites Sombrias #66 | Drácula: As mais marcantes adaptações no cinema

    Mesmo quem nunca viu uma adaptação do romance de Bram Stoker, todo mundo conhece o Drácula e a iconografia que ele representa. E mesmo prestes a completar 125 anos, você raramente encontrará adaptações cinematográficas do Conde vampiro totalmente fiéis com sua versão literária. Ainda assim, é comum explorarem o personagem em adaptações para o teatro, ópera, balé, musicais, games e claro, o cinema. Podemos dizer que o vampirismo continua sendo uma das metáforas mais flexíveis do gênero de terror, e Drácula é apenas o avatar dessas ideias.

    O personagem, criado pelo autor irlandês, é sem dúvidas uma mistura de muitos vampiros e uma figura histórica da Romênia; porém mais que isso, ele também é um dos personagens favoritos dos cineastas até hoje.

    A primeira adaptação cinematográfica ocorreu há 90 anos e Drácula já deu as caras em mais de 272 filmes; sendo interpretado por mais de 40 atores. No Guiness Book – O Livro dos Recordes o personagem detém dois importantes recordes.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Drácula: Dissecando a criatura mais popular da cultura pop

    Fortaleça seus nervos para que não estremeça de medo – e curta essa lista com algumas das adaptações mais marcantes do Drácula no cinema:

    Nosferatu (1922)

    Nosferatu: Conheça a origem do vampiro e suas principais adaptações

    Nossa lista se inicia com uma grande treta e apesar de não ser um filme do Drácula, Nosferatu foi a primeira adaptação do personagem para o cinema. Na obra do diretor alemão Friedrich Wilhelm Murnau, o personagem de Bram Stoker teve seu nome e características alterados, transformado em Conde Orlok. Mas isso não impediu que fosse processado por Florence Balcombe, viúva do autor, por violação de direitos autorais.

    Com a conclusão do processo a favor da viúva de Stoker, a justiça ordenou a destruição das cópias do filme, mas algumas delas, entre as muitas já distribuídas, permaneceram guardadas até a morte de Florence; e atualmente encontram-se disponíveis em versões restauradas.

    SINOPSE

    O misterioso Conde Orlok (Max Schreck) convoca Thomas Hutter (Gustav von Wangenheim) para seu remoto castelo nas montanhas da Transilvânia, onde o misterioso Orlok procura comprar uma casa perto de Hutter e sua esposa, Ellen (Greta Schroeder). Depois que Orlok revela sua natureza de vampiro, Hutter luta para escapar do castelo, sabendo que Ellen está em grave perigo. Enquanto isso, o servo de Orlok, Knock (Alexander Granach), se prepara para que seu mestre chegue em sua nova casa.

    LEIA TAMBÉM:

    Cinema Mudo: 10 filmes essenciais para conhecer o gênero

    Drácula (1931)

    Drácula: Novo filme será produzido pela Blumhouse, de O Homem Invisível

    O filme Drácula, do diretor Tod Browning, foi a primeira adaptação cinematográfica oficial e trouxe o ator Bela Lugosi dos palcos da Broadway. O roteiro adaptou a peça de teatro homônima de Hamilton Deane e John L. Balderston que adaptava o livro de Bram Stoker. 

    SINOPSE

    O Conde vindo dos Cárpatos aterroriza Londres por carregar uma maldição que o obriga a beber sangue humano para sobreviver. Após transformar uma jovem em vampira ele concentra suas atenções em uma amiga dela, mas o pai da próxima vítima se chama Van Helsing (Edward Van Sloan), um cientista holandês especialista em vampiros que pode acabar com o reinado de terror de Drácula (Bela Lugosi).

    O Vampiro da Noite (1958)

    O Vampiro da Noite é o primeiro de uma série de filmes de horror do estúdio inglês Hammer Film Productions, numa revisão até então moderna do romance. Estrelado por Christopher Lee, recebeu nos Estados Unidos o título de Horror of Dracula, para que não gerar infração dos direitos autorais do filme de 1931, estrelado por Bela Lugosi.

    SINOPSE

    No século XIX na Alemanha, Jonathan Harker (John Van Eyssen) vai até o castelo do Conde Drácula (Christopher Lee), mesmo sendo advertido por sua esposa Lucy (Carol Marsh) a não ir. Ao chegar lá ele é atacado por uma vampira, e espera o momento em que ela e Drácula estejam dormindo em seu caixão para atacá-los. Ele enfia um punhal no peito da mulher e está prestes a fazer o mesmo com Drácula quando este acorda e o surpreende. Quando o Dr. Van Helsing (Peter Cushing), um estudioso de vampiros, chega até a cidade procurando por Harker, ele descobre que seu amigo virou um deles. Depois de enfiar uma estaca em Harker, ele sai em busca de Lucy e da família da moça, que correm perigo. Drácula está se aproximando, mas Van Helsing está determinado a acabar com o Conde, custe o que custar.

    Deu a Louca nos Monstros (1987)

    O roteiro escrito por ninguém menos que Shane Black (Máquina Mortífera e Predador) é até bem simplório, onde temos o Drácula chamando seus amigos monstros pra um plano mirabolante de dominar o mundo. Aqui temos um típico filme oitentista, podendo ser considerado até politicamente incorreto atualmente, mas dentro dos padrões da época; sendo um típico filme da Sessão da Tarde, algumas cenas permanecem na memória mesmo após décadas.

    Como esquecer do chute nas bolas do lobisomem?

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Noites Sombrias #53 | 10 lobisomens mais marcantes do cinema

    SINOPSE

    Um grupo de adolescentes que ama filmes de terror e gibis forma o Clube dos Monstros e se reúne em uma casa da árvore para discutir os melhores meios de combater seres malignos. O que eles não sabem é que os monstros dos filmes, incluindo a Múmia (Michael Reid MacKay), o Lobisomem (Carl Thibault), o monstro do Pântano (Carl Thibault) e o monstro de Frankenstein (Tom Noonan), acordaram, e sob o comando do Conde Drácula (Duncan Regehr), pretendem dominar o mundo. Agora, o Esquadrão Caça-Monstros deverá impedir esses seres, só que para isso, eles precisam de um amuleto mágico.

    Drácula de Bram Stoker (1992)

    O longa de Francis Ford Coppola é considerado por muitos estudiosos de Drácula como a adaptação mais próxima dos romances de Bram (mesmo com algumas liberdades criativas). Aqui a monstruosidade e os poderes da noite de Drácula são conseguidos através da maquiagem ganhadora do Oscar.

    O filme concorreu em quatro categorias e vencendo três, incluindo Melhor Maquiagem e Melhor Figurino. Merecidíssimos.

    SINOPSE

    No século XV, Vlad (Gary Oldman) um líder e guerreiro dos Cárpatos, renega a Igreja quando esta se recusa a enterrar em solo sagrado a mulher que amava, pois ela se matou acreditando que ele estava morto. Assim, amaldiçoado ele perambula através dos séculos como um morto-vivo e, ao contratar Jonathan Harker (Keanu Reeves) como advogado, descobre que a noiva deste é a reencarnação da sua amada (Winona Ryder). O Conde então deixa o jovem advogado preso com suas “noivas” e vai para a Londres da Inglaterra vitoriana, no intuito de encontrar a mulher que sempre amou através dos séculos.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA | TBT #17 – Drácula de Bram Stoker (1992, Francis Ford Coppola)

    Drácula: Morto Mas Feliz (1995)

    O vampiro mais famoso da cultura popular é extremamente versátil e transitou por muitos gêneros do cinema incluindo a comédia, em Drácula: Morto Mas Feliz temo uma cômica versão da trajetória do vampiro Conde Drácula e apesar do gênero, a obra do diretor Mel Brooks apresenta referências a obra original e de outras adaptações.

    SINOPSE

    O procurador R.M. Renfield (Peter MacNicol) chega a Transilvânia para um encontro com Conde Drácula (Leslie Nielsen), onde é hipnotizado e passa a obedecer suas ordens. O plano do vampiro é ir para Londres e fazer de uma mulher sua eterna esposa e parceira, mas o Dr. Van Helsing (Mel Brooks) fará de tudo para detê-lo.

    Drácula 2000 (2000)

    Mais um século chega ao fim e o vampiro mais icônico e adaptado do cinema segue com suas novas adaptações na sétima arte; e iniciando os anos 2000 temos em Drácula 2000 a tentativa do diretor Patrick Lussier de utilizar do charme de um jovem – e hoje irreconhecível – Gerard Butler, para atualizar o centenário Conde vampiro.

    Apesar do prejuízo nas bilheterias, o filme é importante por marcar a presença de Drácula no fechamento do século XX e ao início do século XXI.

    SINOPSE

    Simon Shep (Jonny Lee Miller) é um jovem caçador de vampiros ainda em treinamento que é enviado de Londres até Nova Orleans para proteger Mary Van Helsing (Justine Waddell) do vampiro Drácula (Gerard Butler), que pretende capturá-la.

    Drácula: A história Nunca Contada (2014)

    O longa de Gary Shore, assim como a maioria das últimas adaptações apresenta como Vlad Tepes se tornou o Conde chupador de sangue mundialmente conhecido. Drácula: A Lenda Nunca Contada trata-se de um típico filme de origem com uma “pegada” super-heroica, mesmo que essa origem não seja a mais aceitável pelos “BramStokianos” e muito menos pelos romenos.

    Tendo uma receita de US$ 215 milhões, sobre um orçamento de apenas US$ 70 milhões, foi o suficiente para que a Universal Pictures investisse em um Universo de Monstros Compartilhado, lançando então em 2017 o filme A Múmia, estrelado por Tom Cruise; que foi um fiasco de bilheteria e fez o estúdio engavetar a ideia do “UMC”.

    SINOPSE

    Os habitantes da Transilvânia sempre foram inimigos dos turcos, com quem tiveram batalhas épicas. Para evitar que sua população fosse massacrada, o rei local aceitou entregar aos turcos centenas de crianças. Entre elas estava seu próprio filho, Vlad Tepes (Luke Evans), que aprendeu com os turcos a arte de guerrear. Logo Vlad ganhou fama pela ferocidade nas batalhas e também por empalar os derrotados. De volta à Transilvânia, onde é nomeado príncipe, ele governa em paz por 10 anos. Só que o Rei Mehmed (Dominic Cooper) mais uma vez exige que 100 crianças sejam entregues aos turcos. Vlad se recusa e com isso se inicia uma nova guerra. Para vencê-la, ele recorre a um ser das Trevas (Charles Dance) que vive pela região. Após beber o sangue dele, Vlad se torna um vampiro e ganha poderes sobre-humanos.


    LEIA TAMBÉM:

    Noites Sombrias #48 | 10 vampiros mais marcantes do cinema

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    CRÍTICA – Instinto Assassino (2022, David Hackl)

    Instinto Assassino é um filme original da Netflix e conta com a direção de David Hackl, além de Mel Gibson e Famke Janssen no elenco.

    CRÍTICA – Tico e Teco: Defensores da Lei (2022, Akiva Schiffer)

    Mais de três décadas após o cancelamento da série animada, Tico e Teco: Defensores da Lei agora tem um novo filme disponível no Disney+.

    CRÍTICA – Top Gun: Maverick (2022, Joseph Kosinski)

    Mais de três décadas se passaram do clássico Top Gun: Ases Indomáveis (1986) e agora Tom Cruise está de volta com Top Gun: Maverick!

    Noites Sombrias #67 | Jason Vai Para o Inferno: A Última Sexta-Feira 13 (1993, Adam Marcus)

    Jason Vai Para o Inferno é o sexto filme da franquia de um dos ícones da cultura pop e que trouxe um misto de sentimentos na crítica.