Início SÉRIE Crítica CRÍTICA – Elite (4ª temporada, 2021, Netflix)

CRÍTICA – Elite (4ª temporada, 2021, Netflix)

CRÍTICA - Elite (4ª temporada, 2021, Netflix)

Elite (Élite, em espanhol) é uma série de drama/suspense para adolescentes original da Netflix criada por Carlos Montero e Darío Madrona. A série se passa em Las Encinas, uma escola secundária de elite e gira em torno das relações entre alguns alunos.

Na 4ª temporada temos o elenco formado por Mina El HammaniMiguel BernardeauItzan EscamillaClaudia SalatOmar AyusoArón PiperDiego MartinCarla DíazManu RiosMartina CariddiGeorgina Amorós Pol Granch.

SINOPSE

Depois de concluídas as investigações sobre a morte de Marina (María Pedraza) e Polo (Álvaro Rico), alguns dos mais icônicos alunos de Las Encinas decidem seguir seu próprio caminho. Nadia (Mina El Hammani), Lu (Danna Paola) e Carla (Ester Expósito) vão fazer faculdade no exterior, enquanto Valerio (Jorge López) passa a comandar os negócios da família.

PUBLICAÇÃO RELACIONADA | CRÍTICA – Elite Histórias Breves (2021, Netflix)

Quando um novo ano letivo começa, Guzmán (Miguel Bernardeau), Samuel (Itzan Escamilla), Rebeka (Claudia Salat), Omar (Omar Ayuso) e Ander (Arón Piper) voltam para a escola como veteranos. Eles logo descobrem que um novo diretor está à frente da prestigiosa instituição: Benjamín (Diego Martin), um dos empresários mais poderosos da Europa. Com ele vem sua família – incluindo seus três filhos adolescentes, Ari (Carla Díaz), Patrick (Manu Rios) e Mencía (Martina Cariddi), que sempre conseguem se safar dos problemas.

Por outro lado, Cayetana (Georgina Amorós) também retorna a Las Encinas, agora como auxiliar de limpeza, tendo rejeitado a oferta da mãe de Polo de arcar com os custos de seus estudos.

Além de um príncipe francês: Phillipe Florian Von Triesenberg (Pol Granch).

ANÁLISE

Ari, Benjamín, Mencía e Patrick.

Depois que a 1ª temporada recebeu críticas positivas da mídia especializada e do público – sendo assistida por mais de 20 milhões de assinantes de acordo com a gigante do streaming -, em 2018, Elite, tornou-se uma das séries mais populares do catálogo. Com o sucesso, as renovações para as próximas temporadas era questão de tempo:

  • A 2ª temporada foi lançada em 2019;
  • A 3ª temporada foi lançada em 2020;
  • A 4ª temporada chegou ao catálogo no dia 18 de junho de 2021;
  • E a 5ª temporada já está em produção, ainda sem data de estreia.

Nesta temporada, o início de mais um ano letivo do colégio Las Encinas traz um novo diretor mais rígido que implica regras mais severas. Junto com ele, temos a vinda dos seus filhos para o colégio: Ari que é uma menina perfeccionista e muito competitiva entra em um triangulo amoroso com Samuel e Guzmán, que por sua vez tem conflitos em seu relacionamento com Nadia. Patrick, que tem uma personalidade forte, é instável e impulsivo, ele mexe com os sentimentos de Ander e Omar; e vira a vida do casal de cabeça pra baixo. Além de Mencía, uma menina rebelde e que sempre mostra muita luz, escondendo seu lado negro da sociedade, ela se aproxima de Rebeka, mas um segredo obscuro promete atrapalhar o casal.

Temos também a chegada de Philippe, um príncipe da sociedade franco-espanhola que se relacionará com Cayetana.

E claro, um novo mistério surge nessa temporada, sobre o afogamento de Ari, que fica entre a vida e a morte.

VEREDITO

Pois é, tirando a 2ª temporada de Elite, mais uma vez tivemos um crime como mistério a ser desvendado no último episódio. Sério, em exatos 35seg. de série eu me revoltei: “Ah cara, não é possível! Lá vamos nós para mais uma saga de 8 episódios com média de 40min. cheios de flashback sobre o tal crime.”.

Tirando a mesmice do mote principal, a mais nova temporada é basicamente um Emmanuelle para a nova geração, aquele “pornôzinho light” com um verdadeiro festival de seios, bundas, virilhas e até uns pelos pubianos. AH! Como poderia me esquecer: Alguns diálogos deixaria Christian Grey excitadíssimo.

Infelizmente a galera curte uma putaria, então a sra. Netflix deve der dito para a produção: “Tá tudo liberado! Podem colocar bastante cena sensual/sexo no chuveiro, na cama, em festa, no bar, em hotel e de todo tipo: hétero, gay, em par, em trio. Aprendam com Sense8.

Particularmente acho uma pena, pois o roteiro desperdiça um grande potencial ao não abordar várias questões interessantes como:

  • Inteligência emocional de Samu e Ari com o Campeonato Estudantil de Debate;
  • Relacionamento pai e filha entre Benjamín e Mencía;
  • Valorização profissional de Caye como designer de moda;
  • Questionamento de Rebe com sua mãe sobre o retorno ao tráfico;
  • Os assédios de Phillipe acobertados por sua mãe;
  • E muitas outras.

A melhor definição do roteiro é que é um queijo suíço. A 4ª temporada de Elite tenta apresentar várias questões mas não conclui nenhuma, talvez apostando em respondê-las na já confirmada 5ª temporada, porém, para quem busca um pouco de história além de cenas de nudez, será sofrível seguir assistindo.

Parafraseando meu grande amigo Dudu: Lamentável.

Nossa nota

1,5 / 5,0

Assista ao trailer legendado:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorPokémon GO: Como conseguir Mega Energia para fazer Mega Evolução
Próximo artigoCRÍTICA – Solos (1ª temporada, 2021, Amazon Prime Video)
Um carioca apaixonado por livros, cinema, games e que ama falar de nerdice.