Início SÉRIE Crítica CRÍTICA | La Casa de Papel (Parte 5 – Vol. 2, 2021,...

CRÍTICA | La Casa de Papel (Parte 5 – Vol. 2, 2021, Netflix)

CRÍTICA | La Casa de Papel (Parte 5 – Vol. 2, 2021, Netflix)

La Casa de Papel é uma série de televisão criada por Álex Pina para o canal Antena 3, da Espanha. Lançada em maio de 2017 – originalmente em uma única temporada -, a série foi lançada em dezembro do mesmo ano no catálogo da Netflix – em duas partes -; e com o sucesso ao redor do mundo, a novas temporadas foram produzidas.

O elenco conta com Álvaro Morte (Professor), Itziar Ituño (Lisboa), Darko Peric (Helsinki), Rodrigo de la Serna (Palermo), Belén Cuesta (Manila), Esther Acebo (Estocolmo), Jaime Lorente (Denver), Miguel Herrán (Rio), Luka Peros (Marsella), Hovik Keuchkerian (Bogotá), Pedro Alonso (Berlim), Najwa Nimri (Alicia Sierra), Fernando Cayo (Coronel Tamayo), José Manuel Seda (Comandante Sagasta) e Úrsula Corberó (Tóquio).

Os cinco episódio do Volume 2 chegaram ao catálogo da gigante do streaming na última sexta-feira (3), totalizando dez episódios para a Parte 5.

SINOPSE

Tóquio está morta. O inimigo ainda está à espreita no Banco Central da Espanha, ferido, mas tão perigoso quanto sempre. Chegou o momento de enfrentar o maior desafio até então. A gangue trama um plano ousado para retirar o ouro sem que ninguém perceba. Para piorar as coisas, o Professor comete o maior erro de sua vida.

ANÁLISE

Como muitos fãs já haviam previsto, o nascimento do bebê de Sierra seria um divisor de águas na história entre ela e o Professor. O líder da gangue ajudou a ex-policial a dar à luz e a dinâmica entre os dois foi a força motriz para essa reta final da série espanhola.

Apesar da Parte 4 ter sido um balde de água fria com a perda de uma das personagens mais carismáticas da série e depois, na Parte 5 – Vol. 1, termos a perda da que aparentemente era a protagonista principal; a Parte 5 – Vol. 2 parecia estar totalmente em aberto sem sabermos ao certo que rumo o assalto ao Banco Central da Espanha tomaria.

A despedida da série é inesperada e remete às grandes reviravoltas características da Parte 1, que conquistaram o público de todo o mundo, aqui nesta última parte, a sensação de urgência e palpável e as ligações entre os personagens são ainda mais fortes.

VEREDITO

La Casa de Papel foi uma grande série. Conquistou um público absurdamente grande, mostrou que não se tratava apenas de roubos e sim de amizades em situações inimagináveis, mas o ponto alto é obviamente o talento do elenco, tanto é que a grande maioria teve grandes oportunidades na TV e cinema.

Se anteriormente tivemos o brilho de Alba Flores (Nairobi) e depois Ursula Corberó (Tóquio), desta vez Najwa Nimri, com sua Alicia Sierra, é puro talento. A atriz que provocou a fanbase da série com sua personagem na Parte 4, mostra todo seu talento e consegue ofuscar uma atuação que já havia sido impecável mostrando um outro lado da policial fugitiva.

Professor e sua gangue de assaltantes se despediram em grande estilo.

Nossa nota

5,0 / 5,0

Assista ao trailer:

Inscreva-se no YouTube do Feededigno

Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

Artigo anteriorCRÍTICA – Amor, Sublime Amor (2021, Steven Spielberg)
Próximo artigoCRÍTICA – Encounter (2021, Michael Pearce)
Um carioca apaixonado por livros, cinema, games e que ama falar de nerdice.