Início SÉRIE Artigo A série do Obi-Wan faz muito mais sentido após The Mandalorian

A série do Obi-Wan faz muito mais sentido após The Mandalorian

266
0
A série do Obi-Wan faz muito mais sentido após The Mandalorian

Após dois episódios de The Mandalorian, a decisão de seguir em frente com a série de TV de Obi-Wan Kenobi faz mais sentido. Com a franquia entrando em um curto hiato após o lançamento de Star Wars: A Ascensão Skywalker, o Disney+ está se provando um recurso com ainda mais valor para a Lucasfilm. Agora, há três séries live-action de Star Wars em planejamento (uma delas é o prefácio de Rogue One estrelando Cassian Andor), e pode ter mais por vir. É fácil ver a razão da Lucasfilm estar investindo tanto em séries de streaming, que os permite coisas que os filmes não necessariamente consegue, como o Baby Yoda.

Desde que a Disney comprou a Lucasfilm em 2012, há um grande interesse por parte dos fãs que Ewan McGregor reprise seu papel icônico da trilogia prefácio. Essa é a razão de tanta empolgação na D23 de 2019, quando o ator pegou o público de surpresa ao revelar que o que antes era um filme, agora será uma minissérie, que começará produção no ano que vem. Entretanto, nem todo mundo se convenceu de que era uma boa ideia trazer Obi-Wan de volta. Mas The Mandalorian muda bastante isso.

Porquê a série do Obi-Wan parece uma má ideia

Obi-Wan

Tendo aparecido em seis filmes, o papel principal em uma série animada (sem mencionar a sua participação em outra), mais vários quadrinhos e livros, Obi-Wan Kenobi foi mostrado exaustivamente em Star Wars. Os fãs testemunharam sua juventude como um Aprendiz Jedi, até sua ascensão como fantasma da Força, deixando pouco espaço em aberto. Mesmo o exílio de Obi-Wan em Tatooine (que a série de TV do Disney+ gira em torno) foi mostrada nesses materiais, com o antigo Jedi vigiando Luke Skywalker.

No papel, o argumento é que Obi-Wan não tem muito para onde ir (de uma forma ou de outra). Mesmo Solo, que foi recebido com muitas críticas negativas, explorava uma parte da linha do tempo que ainda não havia sido explorada, fazendo parte da juventude de Han Solo canônica. Isso não vale como ponto de comparação para falar que Obi-Wan não é “necessária” – nenhuma história fictícia é “necessária” -, mas há uma direção óbvia a seguir na narrativa. Ao olhar rapidamente, Obi-Wan corre o risco de explicar demais as coisas, enquanto a Lucasfilm tenta extrair uma última história de seu legado mais memorável, ao invés de tentar alçar novos vôos. Mas, se a série inaugural de Star Wars no Disney+ é alguma indicação, a Lucasfilm pode ter algumas surpresas em sua manga.



A série Obi-Wan faz mais sentido após The Mandalorian

É cedo dizer se essa será a forma de abordagem para todas as séries de Star Wars no Disney+, mas The Mandalorian é um sinal do que as equipes criativas estão pensando no que se refere ao todo. O que foi vendido para o público era essencialmente “a série do caçador de recompensas” na verdade tem impactos muito maiores na lore da franquia. Baby Yoda é uma revelação incrível que faz The Mandalorian ainda mais interessante que meramente capitalizar décadas do hype de O Star Wars: Império Contra-Ataca. O criador Jon Favreau explicou que The Mandalorian podia conectar sua história com a origem da Primeira Ordem, e que há traços de quais remanescentes do Império estão presentes em planetas remotos. A série podia facilmente partir para a premissa “Recompensa da semana”, mas The Mandalorian é bem mais profunda. Sendo assim, não acreditamos que Obi-Wan não deve partir para o que parece ser mais óbvio (assim como The Mandalorian fez), mas isso pode não se mostrar uma coisa fácil no que se refere a narrativa.

E vale ter em mente que a aclamada diretora Deborah Chow, do episódio “The Sin“, está coordenando as gravações da série do Obi-Wan. Ela ganhou um grande destaque após seu trabalho em The Mandalorian, e é fácil ver a razão da Lucasfilm querer manter Chow por perto. Não apenas por ela ter feito cenas animadoras, tensas e de ação, Chow também foi capaz de atingir um ponto mais emotivo na dinâmica entre The Mandalorian e o Baby Yoda.

Com a série ambientada no trauma de Obi-Wan pós-Guerra dos Clones, há potencial para a franquia mostrar uma profundidade em seu drama nunca vista antes em seus filmes. Além disso, Deborah Chow já deixou claro que tem interesse em mostrar o estado político da galáxia, examinando o início do Império.

O envolvimento de Chow como diretora já é intrigante, mas seus comentários acerca de Obi-Wan já implicam que ela está pensando no todo também, e a sua nova série será muito mais que um homem velho vagando pelo deserto.



Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Comentários