Início TECNOLOGIA Crítica REVIEW – Moto G6 Plus (06/2018, Motorola)

REVIEW – Moto G6 Plus (06/2018, Motorola)

620
0
moto g6 plus

Para muitos usuários a Motorola detém o título de melhor fabricante de smartphones graças a sua família Moto G, e este ano mantém esse título com o Moto G6 Plus. Em um primeiro olhar podemos dizer que o novo aparelho da Motorola é um sucesso, já que o fabricante conseguiu melhorar o muito bom Moto G6, lançado em abril deste ano.

Com certeza o desempenho foi melhorado, bem como o tamanho de sua tela. A questão é se essa melhoria é suficiente para justificar a existência do Moto G6 Plus. Será que existem melhorias suficientes para tornar o Plus digno desse nome?

Design e display

Com seus 160mm de altura, 75,5mm de largura, 8mm de espessura e apenas 167g, o Moto G6 Plus é fino, elegante, leve, com bordas curvas e com uma tela gigante de 5.9″ com resolução de Full HD+, de 2160×1080 pixels. O novo smartphone com a maior tela da família Moto G é excelente para os que curtem assistir a filmes e séries na versão mobile e mesmo que sua câmera traseira tenha um “feio” alto relevo, o aparelho se encaixa perfeitamente nas mãos e toda sua beleza e qualidade de imagem fazem com que o alto relevo seja um mero detalhe que o usuário esquece após 5 minutos de manuseio.

Câmera

Com duas câmeras traseiras: 12 MP e 5 MP para evitar fotos desfocadas graças aos foco automático. O  Moto G6 Plus funciona bem com as câmeras traseiras com um foco e zoom razoáveis, além algumas funções que agradam a maioria dos que gostam de registrar seus momentos, como por exemplo o “destacar cor” no modo foto e a “câmera lenta” para vídeos, mas ainda assim básico demais perto de seus concorrentes. Mas se você é o “fotógrafo profissional” durante o churrasco de domingo com os amigos, o novo aparelho da Motorola dá conta do recado.

Ah! também é possível gravar em Full HD com 60fps, sendo melhor que o G5S Plus. E também possível fazer vídeos em 4K com 30fps. Já a câmera frontal apesar do flash frontal (indispensável para bons selfies), a resolução de 8 megapixels não empolga muito. Uma pena.

Outras funções bacanas são: Autofoco por detecção de fase, geo-marcação, toque para focar, reconhecimento facial e panorama.

Câmeras com tecnologia Dual Autofocus Pixel.

Hardware

Algo que achei estranho, já que estou acostumado com o chip e cartão de memória juntos da bateria dos aparelhos da concorrente, é o compartimento para a armazenagem dos chips e do cartão MicroSD. É um momento em que você precisa estar sem pressa e calmo. Caso contrário será um inferno e provavelmente você pode perder seu minúsculo chip. Por outro lado, após passar essa rápida nova experiência, cabe ressaltar que o Moto G6 Plus suporta cartões MicroSD de até 128GB e tem 64GB de armazenamento interno, o dobro de memória da geração passada. Durante os testes atualizei mais de 40 aplicativos, instalei e joguei jogos como Mortal Kombat X, Need for Speed e o Hearthstone e ironicamente utilizei apenas 34% do espaço interno.

Atualmente outro quesito importante ao pensarmos em qual smartphone adquirir é a bateria. No Moto G6 Plus a bateria TurboPower tem 3.200mAh e aguenta um dia inteiro de uso constante (vimos na prática, principalmente, durante a cobertura do Game & Geek Rio Festival). E para os que já tem o seu celular como “uma parte do corpo”, isso é uma mão na roda! E por mais que chegue o momento de carregar a bateria, é perceptível a velocidade como ele chega aos 100%. Ele pode não ir de 0 a 100 como uma Ferrari, mas com certeza você consegue perceber a rapidez nos primeiros 15 minutos.

Sistema Operacional

Assim como o Moto G6, o Moto G6 Plus também possui o Android 8.0 Oreo.

Ficha Técnica

Prós

  • Bateria duradoura e de rápida recarga;
  • Leve, bonito e com bastante espaço interno;
  • Tela enorme com ótima resolução;
  • Vem com aplicativo sintonizador de TV digital HD, já integrado;
  • O preço de mercado está em R$ 1.699,00, mas já é possível encontrá-lo no varejo por até R$ 1.400,00.

Contras

  • Trabalhoso para acessar o compartimento de chips e MicroSD;
  • Emojis feios e pouco espaço ao exibi-los, dificultando a busca (em tempos em que os emojis substituem palavras, isso definitivamente prejudica a comunicação);
  • A imagem é tão boa que só consigo utilizar com o contraste em 15% mesmo na claridade (dependendo do grau de cegueira do usuário isso pode ser um Pró [risos])

No fim das contas, para um usuário dos smartphones da concorrente, posso dizer que perdi o medo da mudança e trocaria fácil meu aparelho atual pelo novo Moto G6 Plus

E aí, curtiu nossa análise? Nos conte nos comentários abaixo e lembre-se de nos acompanhar nas redes sociais:

FacebookTwitterInstagramPinterest

Leia também o que achamos do antecessor do Moto G6 Plus:

REVIEW – Moto G6 (04/2018, Motorola)

Comentários