CRÍTICA – Licorice Pizza (2021, Paul Thomas Anderson)

    O novo filme de Paul Thomas Anderson (Trama Fantasma) chega aos cinemas no dia 17 de fevereiro. Licorice Pizza é escrito e dirigido por Anderson e conta com Alana Haim, Cooper Hoffman, Bradley Cooper (Nasce Uma Estrela) e Sean Penn no elenco.

    O filme está concorrendo em três categorias no Oscar 2022: Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Roteiro Original.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Oscar 2022: Onde assistir aos principais filmes da premiação?

    SINOPSE

    Alana Kane (Alana Haim) e Gary Valentine (Cooper Hoffman) estão crescendo, correndo e se apaixonando pelo Vale de San Fernando, 1973. Os dois iniciam vários negócios, flertam, fingem que não se importam um com o outro e, inevitavelmente, se apaixonam por outras pessoas para evitar se apaixonarem um pelo outro. Mas há um detalhe entre os dois: ela tem 25 e ele 15. 

    ANÁLISE

    Licorice Pizza é tudo aquilo que já assistimos nos filmes de Paul Thomas Anderson, mas ao mesmo tempo, também é tudo o que ainda não vimos do diretor. Para além dos movimentos de câmera e da trilha sonora, marcas registradas de Anderson, existe algo de intimista que surpreende e encanta. 

    Não é para menos. O diretor e roteirista leva o espectador para a Los Angeles do anos 70, entre confusões políticas e uma juventude mais despreocupada com a vida. É nesse cenário que Alana e Gary se encontram; ela, com 25 anos, está ajudando no anuário da escola do rapaz; ele, com 15, joga todo seu charme e confiança para cima da amiga. 

    Nessa primeira cena, em que Alana Kane e Gary Valentine trocam palavras afiadas, Paul Thomas Anderson faz o seu incrível jogo de movimento de câmera cinética: primeiro, ele pesca nossa atenção com um plano fechado nos protagonistas enquanto eles caminham pelo corredor; segundo, a câmera se movimenta em torno deles e justamente com eles, o diretor deixa evidente que é são os protagonistas que conduzirão o filme; terceiro, quando o plano abre e adota uma câmera mais estática para Gary tirar sua foto do anuário, percebemos que já estamos completamente envoltos nessa história de amor juvenil.  

    Aos 25 anos, Alana ainda está descobrindo sobre quem ela é, o que gosta e o que deseja fazer da vida. Mas, ela não tem pressa, a jovem busca por novidades e o que mais se encaixa no momento para ela. Já Gary, é um ator mirim, um jovem encantador e arrogante, com uma inteligência que supera sua idade. Ambos, se tornam amigos e evitam a qualquer custo se apaixonar um pelo outro, ainda que os namoros a parte gerem ciúmes dos dois lados. 

    Licorice Pizza é o filme mais doce e suave de Anderson; como roteirista, ele utiliza sua habilidade dramática para dar tons de um humor bobo, um romance sutil e sequências de ação imprevisíveis. O fato da produção ser o mais diferente da carreira do diretor não é por acaso, Paul Thomas Anderson cresceu no Vale e mora até hoje no local, ele conhece cada esquina e faz do seu filme uma nostalgia pura.

    Sua parceria com o músico Jonny Greenwood, da banda Radiohead, para a trilha sonora do longa cria todo tipo de sentimento, em uma cena há tensão e um leve temor; em outra temos um senso de aventura e leveza. O que casa muito bem com as situações inusitadas de Licorice Pizza, o tornando um dos melhores filmes do ano.

    A relação de Alana e Gary não deixa de ter um tom lúdico, assim como o filme inteiro, nesta cidade de estrelas onde tudo parece possível e é por isso que o espectador pode gostar fácil dessa história. Como dito antes, os elementos de Anderson estão todos ali, o uso de cor e luz é sutil e acrescenta uma essência de Sonho de uma Noite de Verão, as músicas são marcantes e assistir Gary Valentine correndo por entre os carros parados pela falta de gasolina ao som de “Life on Mars?” ao fundo é certamente hipnotizante. 

    No fim, tudo se resume ao relacionamento de Alana e Gary. Só quando, verdadeiramente, vemos uma história de amor notamos o quanto estamos carente cinematograficamente de filmes assim. Licorice Pizza vem em boa hora e traz consigo duas estrelas em ascensão. Alana Haim e Cooper Hoffman são o que de melhor há no longa, cada um com uma capacidade incrível de se entregar a seus personagens.

    É comum querer que um filme não acabe, mas aqui isso vai além, queremos que toda euforia da corrida desenfreada de Alana Kane e Gary Valentine para se encontrarem permaneça para sempre em nossa memória, mesmo depois dos créditos subirem. 

    VEREDITO

    Licorice Pizza é um dos melhores, se não o melhor, filme da temporada de premiação deste ano. Paul Thoma Anderson, conhecido por criar personagens profundos e histórias sobre amadurecimento, faz o mesmo neste longa, mas de uma maneira sutil e simbólica.

    Sendo o filme mais intimista do diretor, Licorice Pizza é belo, esperto e cativante de uma maneira impressionante.

    Nossa nota

    5,0 / 5,0

    Assista ao trailer legendado:

    Licorice Pizza chega aos cinemas nesta quinta-feira, 17 de fevereiro.

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    CRÍTICA – Mulher-Gato: A Caçada (2022, Shinsuke Terasawa)

    Mulher-Gato: A Caçada é a mais nova aposta da DC e conta com alguns nomes conhecidos em seu elenco de voz. Confira nossa crítica.

    Noites Sombrias #78 | Os melhores filmes de horror do primeiro semestre de 2022

    Confira no Noites Sombrias #78 os melhores filmes de horror de 2022 até agora! Selecionamos os que estão bombando no momento.

    CRÍTICA – O Predador: A Caçada (2022, Dan Trachtenberg)

    O Predador: A Caçada ou Prey é um longa dirigido por Dan Trachtenberg e conta com Amber Midthunder como protagonista.

    TBT #188 | Onze Homens e Um Segredo (2002, Steven Soderbergh)

    Onze Homens e Um Segredo é o filme escolhido do TBT de hoje e é um remake de um longa dos anos 60. A...