Início FILMES Artigo Noites Sombrias #4 | Night Killer e o terror trash

Noites Sombrias #4 | Night Killer e o terror trash

O Noites Sombrias de hoje é dedicado a um dos maiores e confusos filmes de terror trash. Confira a história de Night Killer, uma produção italiana de 1990, rodada nos Estados Unidos.

SINOPSE

Uma mulher é perseguida por um assassino que usa uma máscara horrenda e uma garra em sua mão que é utilizada para atravessar as suas vítimas. Agora ela luta por sua sobrevivência e tem que lidar com seus traumas.

A HISTÓRIA DE NIGHT KILLER

Night Killer já iniciou de maneira errada, pois desde sua concepção, seus criadores descaradamente tentaram ganhar os louros de outras produções.

Com o sucesso de O Massacre da Serra Elétrica nos Estados Unidos, Claudio Fragasso (Troll 2) e Bruno Mattei (Ratos: A Noite de Terror) se juntaram para criar um terceiro filme da franquia, entretanto, eles fariam tudo sem qualquer autorização por parte dos detentores do título original. Contudo, os dois foram pegos de surpresa quando a New Line Cinema escolheu Jeff Burr para filmar o longa de Leatherface.

Sem a chance de realizar seu filme surfando nesse sucesso, Fragasso e Mattei mudaram tudo e trocaram o título para Night Killer.

Por mais que as alterações tivessem sido feitas, Night Killer é pouco original, visto que o assassino é uma cópia fajuta de Freddy Krueger, com as mesmas roupas e maquiagem. O longa tem todas as características do gênero slasher. Como era de se esperar, Night Killer tem atuações péssimas, maquiagens bizarras e um roteiro mais furado que um queijo suíço.

Mas o pior ainda está por vir…

Os dois diretores tinham ideias opostas sobre como realizar Night Killer e os produtores sabiam disso, ou seja, alguma coisa ia dar errado…

Fragasso filmou suas cenas pensando em um terror psicológico, colocando elementos como Síndrome de Estocolmo e traumas como o principal ponto do enredo. Já Mattei pensava em um filme de assassino em série, algo que agradou os executivos, por exemplo, e que animou Mattei a gravar às escondidas cenas de um filme slasher.

Com isso, Night Killer virou uma obra dois em um, sendo 50% de terror psicológico, 50% de terror slasher ou então 100% canastrão.

UMA EXPERIÊNCIA ÚNICA

Night Killer nos proporciona momentos incríveis e saber de sua história antes de assistir é algo que deixa o longa ainda melhor. O filme nos mostra que não devemos confiar tanto em nossos colegas de trabalho, pois Fragasso confiou demais em seu co-diretor e editor, se dando mal a beça.

Confira uma lista completa de filmes trashes para assistir no fim de semana:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA | WandaVision: S1E9 – O Grande Final
Próximo artigoDarkhold: Conheça o Livro dos Condenados
Relações-públicas, gremista, nerd, escorpiano e palestrinha. Parece futebolista, pois só vive descendo a lenha. DC é melhor que Marvel, todavia, amamos as duas.