Início FILMES Crítica TBT #32 | Jovens Bruxas (1996, Andrew Fleming)

TBT #32 | Jovens Bruxas (1996, Andrew Fleming)

173
0
TBT #32 | Jovens Bruxas (1996, Andrew Fleming)

Seguindo a minha linha de filmes mais obscuros – mas nem tanto -, iniciado com o TBT #27 de Constantine, essa semana abordarei um dos filmes mais icônicos no que se refere à magia e bruxaria: Jovens Bruxas.

Lançado em 1996, o filme foi indicado a dois prêmios Saturno, nas categorias de Melhor Filme de Terror e Melhor Atriz Coadjuvante. Sendo referenciado até mesmo na animação da Marvel, X-Men Evolution, durante os anos 2000.

O filme tem uma premissa bem simples: Uma adolescente, Sarah (Robin Tunney), se muda para uma cidade de Los Angeles e conhece um trio de meninas um tanto quanto peculiares. E assim como na natureza, e na história humana, algumas coisas para funcionar, precisam vir em grupos de quatro elementos.

Assim como os quatro elementos: Terra, Fogo, Ar e Água;

Os pontos cardiais: Norte, Sul, Leste e Oeste;

Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse: Peste, Guerra, Fome e Morte;

Os Quatro Evangelhos;

As Quatro Estações;

E também, as Tartarugas Ninjas.

Brincadeiras a parte, alguns estudiosos dizem que a religião Wicca é a religião mais antiga – desde os anos 70. E o filme, assim como Da Magia a Sedução, lançado dois anos após Jovens Bruxas – e estrelado por Nicole Kidman e Sandra Bullock -, parecem abraçar o lado mais místico do movimento que vinha ganhando muita força na segunda metade dos anos 90.



Sarah parece encontrar naquele grupo de meninas o pertencimento e uma função naquela sociedade em que não parece se encaixar. No decorrer da história, descobrimos que como o nome do filme aponta, aquelas três meninas parecem abraçar o título de “bruxa” que lhes é dado pelos mais populares da escola.

Sendo parte importante de um coven que está para nascer, Sarah , Nancy (Fairuza Balk), Rochelle (Rachel True) e Bonnie (Neve Campbell) descobrem a extensão de seus reais poderes, e descobrem que nada é por acaso quando se mexe com o desconhecido.

Da esquerda pra direita: Sarah, Nancy, Rochelle e Bonnie.

Sendo guiadas e movidas por forças além de sua compreensão, as quatro precisam se unir a fim de derrotar uma ameaça que as ronda. Abordando temas importante para a época, que filmes com protagonistas femininas não abordavam, como emponderamento e liberdade de expressão, o filme acaba por se provar atual mesmo 23 anos após seu lançamento.

Nossa nota


Assista ao trailer legendado:

Jovens Bruxas está disponível na Netflix. Se você já assistiu, deixe seus comentários e sua avaliação. Caso não faça o seu estilo de filme, lembre-se conferir nossas indicações anteriores do TBT do Feededigno.

Nota do publico
Obrigado pelo seu voto

Comentários