Início FILMES Artigo Al Pacino: 10 filmes com suas melhores atuações

Al Pacino: 10 filmes com suas melhores atuações

122
0
Al Pacino: 10 filmes com suas melhores atuações

Alfredo James Pacino é um premiado ator, produtor, roteirista e cineasta norte-americano de origem italiana e é considerado um dos maiores atores da história, isso é irrefutável. A cada filme uma nova obra prima, assim como a sua reinvenção, afinal, Al Pacino imortalizou diversos papéis na sétima arte, desde Michael Corleone em O Poderoso Chefão até Tony Montana em Scarface. E aos seus 79 anos, ainda permanece em filmes de extrema potência como O Irlandês, Era Uma Vez Em… Hollywood e agora a nova produção da Amazon Prime Video, a série Hunters, dirigida pelo renomado diretor Jordan Peele (Corra! e Nós).

PUBLICAÇÃO RELACIONADA – Hunters: Tudo que sabemos sobre a série da Amazon

Separamos, então, os principais filmes que consagraram o ator com todo o seu talento, essência e originalidade que acumulam mais de 50 filmes na sua filmografia. Confira!

Nota da autora: A lista abaixo segue uma ordem – até certo ponto – de preferência (do melhor para o icônico). Porém, fica aqui o registro de que definir os melhores filmes de Al Pacino é uma tarefa sofrível para essa que vos escreve.

O ADVOGADO DO DIABO (1997)

Kevin Lomax (Keanu Reeves) é um advogado interiorano que nunca perdeu um caso. Quando é contratado por John Milton (Al Pacino), dono do maior escritório de advocacia de Nova Iorque, sua vida parece que irá dar uma guinada. Só que diversas aparições paranormais começam entrar na vida de sua esposa Mary (Charlize Theron).

Pacino consegue junto à trama,  estabelecer uma espécie de alegoria para o embate maniqueísta entre o bem e o mal, uma luta constante que engendra as relações e reflexões filosóficas em uma sociedade mergulhada nos dogmas do cristianismo.

O INFORMANTE (1999)

Toda regra possui suas exceções. E aqui, neste thriller político que é uma biografia real, Al Pacino vive o produtor do programa investigativo 60 Minutes. Ele recebe um furo de reportagem fortíssimo através da denúncia do informante vivido por Russell Crowe, um funcionário do alto escalão da indústria tabagista, que resolve denunciar sobre todas as químicas do produto, criado para viciar seus consumidores.

Este é um estupendo trabalho dirigido pelo eletrizante Michael Mann; a troca de habilidades entre Pacino e Crowe se torna o grande destaque, mostrando um retrato agudo tanto sobre um conflito ético-pessoal quanto a realidade da imprensa.



O PAGAMENTO FINAL (1994)

Um dos grandes filmes do diretor Brian De Palma (Os Intocáveis), garante ótimas sequências e boas funções no decorrer da trama. As atuações de Al Pacino e Sean Penn são memoráveis, contextualizando a história como um olhar humano para a biografia de um ex-mafioso que, agora, quer levar uma vida correta.

A forma como o passado assombra o protagonista é simplesmente sufocante, poucos personagens criam tanta empatia no espectador, justamente pelo contraste entre o que ele pretende ser e os conflitos pelos fantasmas do passado que o impedem de seguir em frente.

DONNIE BRASCO (1997)

Mike Newell (diretor de Quatro Casamentos e um Funeral) pode parecer, inicialmente, uma escolha estranha para um drama criminal. No entanto, o cineasta conseguiu fazer de Donnie Brasco um dos melhores filmes dos anos 90, em uma história baseada em fatos vividos pelo agente Joseph Pistone.

Al Pacino e Johnny Depp contracenam de forma apreciável, considerado uma das melhores duplas que trabalharam naquela década, se tornando um filme obrigatório para os amantes do gênero máfia que foge dos moldes tradicionais.



FOGO CONTRA FOGO (1995)

Al Pacino e Robert De Niro se encontram novamente em Fogo Contra Fogo, e o resultado é previsível: um duelo de duas lendas em uma trama extremamente elogiada por suas atuações. São cenas únicas, daquelas que captam a atenção de uma forma magnética, considerado um dos melhores do gênero com alguns elementos neo-noir. Além disso, o filme contém uma das cenas de ação mais intensas já feitas em tela, que anos depois influenciaria a obra-prima Batman: O Cavaleiro das Trevas, de Christopher Nolan.

PUBLICAÇÃO RELACIONADA | TBT #19 – Batman: O Cavaleiro das Trevas (2008, Christopher Nolan)

PERFUME DE MULHER (1992)

O filme que lhe rendeu o Oscar de Melhor Ator (após sete indicações), Pacino interpreta Frank Slade, um ex-coronel cego que viaja para Nova Iorque com o estudante Charlie Simms (Chris O’Donnell), com quem resolve ter um final de semana perfeito antes de falecer. Porém, durante a viagem ele começa a se interessar pela vida do jovem, esquecendo seus próprios problemas que o levaram até a decisão de viajar.

Al Pacino se torna o proprietário do filme desde o primeiro segundo em que aparece diante da câmera, trazendo consigo a certeza e a consolidação do seu personagem. A famosa cena do tango se imortalizou como um dos momentos mais icônicos e delicados da história do cinema; vale ressaltar que Perfume de Mulher também ganhou mais três estatuetas nas categorias de Melhor Diretor, Melhor Roteiro e Melhor Filme.



SERPICO (1973)

A história de um homem que se recusou a ceder ao crime, apesar das consequências. Uma história real e inspiradora, baseada na biografia do policial Frank Serpico – que expôs a corrupção na corporação. A direção é de Sidney Lumet (Um Dia de Cão), em um filme que fez Al Pacino receber a sua segunda indicação ao Oscar como Melhor Ator com imensos elogios da crítica. Mas a sua performance vai muito além. Ele consegue transmitir toda a frustração e indignação que tomam seu personagem pela expressão do ingênuo policial iniciante cheio de esperanças ao revoltado e inconformado homem da lei que enxerga bem diante de si toda corrupção onde trabalha.

UM DIA DE CÃO (1975)

Em mais uma interpretação magistral, Um Dia de Cão é lembrado como um filme antissistema em meio ao desencanto americano com a Guerra do Vietnã. Acima de tudo, aborda questões de identidade de gênero, por isso, também pode ser considerado um clássico queer. A trama é inspirada na história real de John Wojtowicz, adaptada de um artigo famoso da revista LIFE, “The Boys in the Bank“. Essa inusitada história rendeu um dos maiores clássicos da Nova Hollywood, Pacino consegue transparecer nitidamente toda a exaustão física e psicológica mostrando com outros olhos o sensacionalismo televisivo.



SCARFACE (1983)

E quais são os limites para um homem conseguir o que quer? Na década de 80, o criminoso cubano Tony Montana é exilado e vai para Miami onde, após não muito tempo, passa a trabalhar para o chefão das drogas local. Entretanto, a ambição desmedida de Montana combinada com uma terrível paranoia, logo vai garantindo para ele uma escalada natural no mundo do crime, transformando ele próprio o poder absoluto. Assim, a trama se torna um orgânico estudo de personagem onde se analisa, através do cenário do submundo do crime, a ganância do homem moderno.

Al Pacino se transforma aqui, em um dos maiores ícones da história do cinema, transborda e domina talento com carisma, um olhar desconfiado e provocador, acrescentando oscilações repentinas no tom de voz.

Contendo diálogos inteligentes, mostrando a degradação humana forjada pela ambição de poder e voltado para expor o desenvolvimento psicológico do protagonista. Melhor definição: triunfal.

TRILOGIA O PODEROSO CHEFÃO (1972-1991)

Incontestavelmente o maior de todos chega no final dessa lista. A obra-prima dirigida por Francis Ford Coppola é uma verdadeira análise da máfia e da imigração italiana nos Estados Unidos. O Poderoso Chefão não só influenciou o que seria feito a partir dali, se transformando em um dos melhores filmes de todos os tempos, como também foi um dos primeiros responsáveis a trazer Hollywood de volta aos seus anos dourados.

Com Al Pacino somos levados, enquanto espectadores, ao mesmo confronto que o personagem: primeiramente porque nos identificamos com o tal, o cinismo e a distância do mesmo é algo que nos afasta, mas com o passar do tempo e das suas atitudes, fica impossível não criarmos uma afeição e, claro, a esperança de um resultado positivo. Ele chama o espectador para a trama com maestria, incluindo-o exatamente com o que atua, na construção de uma visão complexa em algo supostamente simples, mais uma vez visceral em toda a sutileza de detalhes entre a arte e a verdade.



Aqui chegamos na difícil tarefa de listar os melhores filmes desse incrível ator, e obviamente muitos outros longas ficaram de fora. Conta pra gente, qual é o seu filme preferido com o mestre Al Pacino?

Comentários