Início QUADRINHOS Artigo Marvel Comics: As 10 super-heroínas mais poderosas

Marvel Comics: As 10 super-heroínas mais poderosas

75
0

O poder é uma coisa engraçada. Ao considerar quem é mais poderoso em um determinado universo de quadrinhos – seja Marvel, DC, ou outra editora -, geralmente pensamos em coisas como força bruta, capacidade mística ou energia cósmica. Também pensamos com mais frequência nos homens nessas conversas. Mas, como todos percebemos nos últimos anos, existem muitos tipos diferentes de poder e muitas formas diferentes de empoderamento.

PUBLICAÇÃO RELACIONA: DC Comics: 10 personagens femininas que merecem um filme solo

O Universo Marvel sempre foi um lugar onde o impossível é possível, onde o poder vem em inúmeras formas e é usado para inúmeras finalidades diferentes. Mas não vamos esquecer que, em um mundo cheio de invencíveis Homens de Ferro e Homens-Aranha, alguns dos seres mais poderosos são mulheres.

Veja nossa lista das mulheres mais poderosas do Universo Marvel!

MULHER-HULK

Parece que toda vez que há um pouco de agitação no Universo Marvel, a Mulher-Hulk (She-Hulk) é pega no fogo cruzado. Quer se trate dos Vingadores ou da saga Guerra Civil II, parece que a personagem deve pagar um preço.

Jennifer Walters foi criada em 1980 pelos lendários Stan Lee e John Buscema, estreando na série homônima Savage She-Hulk.

Walters se transformou em uma versão feminina do Hulk depois que seu primo Bruce Banner salvou sua vida com uma transfusão de sangue.

Mulher-Hulk tem sido parte integrante do Universo Marvel, muitas vezes ultrapassando os limites dos quadrinhos tradicionais de super-heróis.

Sua segunda série foi notória por quebrar a quarta parede dos quadrinhos antes mesmo de Deadpool fazer isso e lidar com uma ampla variedade de questões sociais.

Ex-membro do Quarteto Fantástico e ex-líder da A-Force, Mulher-Hulk também é advogada, especializada em casos de natureza sobre-humana. Embora atualmente lute com questões de raiva após a mencionada “Segunda Guerra Civil”, ela continua sendo um forte símbolo do empoderamento feminino no Universo Marvel, antecedendo heroínas posteriores como America Chávez por mais de 30 anos.

Marvel Studios já anunciou uma série da personagem para o serviço de streaming Disney+.

EMMA FROST

Emma Frost estreou como a Rainha Branca do Clube do Inferno em 1980, Uncanny X-Men # 129.

Uma telepata poderosa, especializada em manipulação mental e controle da mente, Frost “virou a página” e juntou-se a seus ex-adversários durante a corrida inaugural de Grant Morrison em New X-Men, suplantando Jean Grey como amante telepático de Ciclope.

Durante esse período, sua mutação secundária emergiu, permitindo que ela transformasse seu corpo em diamante vivo, concedendo força sobre-humana, invulnerabilidade e imunidade a ataques psíquicos.

Seu amor por Scott Summers não tinha limites e após sua morte durante a preparação para a saga Inumanos vs. X-Men, a deixou louca.

Em retaliação, ela declarou guerra total entre as duas raças sobre-humanas, usando a Névoa Terrígena que matam mutantes como bode expiatório para sua busca por vingança. Seu ardil foi descoberto recentemente por ambos os lados e seu plano foi frustrado quando Medusa usou um dispositivo criado por Moon Girl e Forge para destruir a Névoa Terrígena que envolve a Terra.

Emma Frost foi vista pela última vez se escondendo enquanto tramava sua vingança. Pelo visto: uma vilã, mais uma vez. Nos cinemas, a personagem teve sua versão live-action em X-Men: Primeira Classe e foi interpretada por January Jones.



MULHER INVISÍVEL

Membro da icônica “Primeira Família da Marvel”, Sue Richards foi criada por Stan Lee e Jack Kirby e apareceu pela primeira vez em Fantastic Four #1 de 1961.

Como membro da tripulação da fatídica missão de Reed Richards, testando uma nave espacial experimental, ela foi bombardeada por raios cósmicos e concedeu as poderosas habilidades psiônicas que lhe permitem tornar-se invisível e criar campos de força transparentes capazes de suportar praticamente qualquer ataque.

Nesse aspecto, seus poderes se assemelham à telecinesia, mas sem o brilho revelador típico que geralmente acompanha essas habilidades.

Dependendo de sua força de vontade, esses campos de força são tão fortes que lhe permitiram proteger o Quarteto Fantástico, Dr. Destino e Aniquilador das pressões cósmicas exercidas por um buraco negro.

No entanto, seu verdadeiro poder estava no amor por sua família, particularmente seus filhos Franklin e Valeria Richards, por quem ela sacrificaria praticamente qualquer coisa para proteger.

Sue foi vista pela última vez na companhia de sua família, quando eles partiram pelo multiverso em um esforço para reconstruir as realidades destruídas pelas incursões que precederam a saga Guerras Secretas. Nos cinemas a personagem foi vivida pelas atrizes Jessica Alba e Kate Mara, a primeira nos dois primeiros filmes (2005 e 2007) e a segunda no esquecível longa de 2015.

ANGELA

Originalmente criada por Neil Gaiman e Todd McFarlane como uma assassina angélica caçadora de recompensas, Angela foi introduzida na continuidade da Marvel depois que a editora comprou os direitos do personagem de Gaiman, depois que ele, por sua vez, conquistou a propriedade total, em 2012.

Ela foi divulgada pela primeira vez durante os eventos de Pecado Original, quando Angela se revelou a irmã há muito perdida de Thor, mas na verdade não apareceu até Age of Ultron #10. Anunciada por um tempo como Assassina de Asgard, Angela acabou subindo para a posição de Rainha de Hel, mas abdicou de seu trono para Balder, o Bravo.

Uma asgardiana imensamente poderosa, que uma vez venceu Thor em combate (depois de lutar contra uma horda de anjos invasores), Angela possui força sobre-humana, durabilidade e uma vida útil aumentada que efetivamente a torna imortal.

Ela também usa numerosas armas e artefatos em batalha, principalmente seus machados e fitas que são sua marca registrada, além do item mágico Vestido de Noiva de Siriana dos Aesir, que se transforma em um traje de armadura inexpugnável capaz de encobrir a visão sobre-humana de Heimdall.



TEMPESTADE

Criada por Len Wein e Dave Cockrum, Ororo Munroe ou Tempestade (Storm) apareceu pela primeira vez em 1975, no agora clássico Giant-Sized X-Men #1, como um dos novos mutantes de Charles Xavier.

Nascida com a capacidade de manipular o clima, Ororo se tornou parte integrante dos X-Men por vários anos, até assumir a liderança da equipe do líder de longa data Ciclope.

Ela também tem a distinção de servir no Quarteto Fantástico e nos Vingadores, e por pouco tempo foi casada com o rei de Wakanda, T’Challa, o Pantera Negra.

Considerada uma mutante no Nível Ômega por qualquer pessoa com um pouquinho de senso, sua capacidade de manipular o clima é praticamente sem paralelo no Universo Marvel, a única exceção é o Deus do Trovão asgardiano, Thor.

Mesmo assim, ela demonstrou uma precisão no uso de seus poderes que normalmente carecem da abordagem bombástica de Thor em usar os dele.

Pense desta maneira: se Thor é um martelo, Tempestade é um bisturi.

Foi demonstrado que ela afeta os principais eventos climáticos em áreas localizadas, evoca poderosos raios, manipula o campo eletromagnético da Terra e sente os movimentos de vários fenômenos climáticos.

Nos cinemas a personagem foi vivida pelas atrizes: Halle BarryAlexandra Shipp.

JEAN GREY

X-Men: Fênix Negra | Panini relança saga clássica da MarvelNão importa de que versão de Jean Grey estamos falando – seja infundida com o poder cósmico da Força Fênix ou não – uma coisa é certa: ela é uma das telepatas mais poderosas da história do Universo Marvel.

Criada por Stan Lee e Jack Kriby, Jean apareceu pela primeira vez em X-Men #1, em 1963. Jean Grey nasceu com uma ampla gama de habilidades psiônicas, incluindo (mas não limitado a): telepatia, telecinesia, projeção astral, explosões psíquicas e controle da mente.

Como Fênix, suas habilidades atingiram níveis cósmicos, permitindo que ela manipulasse a matéria em um nível molecular e destruísse planetas inteiros.

Depois de algumas mortes em continuidade resultantes da incapacidade de controlar seus vastos poderes, uma versão mais nova de Jean foi apresentada junto com os outros X-Men originais de Hank McCoy, em uma tentativa equivocada de salvar o futuro dos mutantes.

Parte integrante do próximo evento ResurreXion da Marvel, Jean está programada para estrelar tanto em X-Men Blue quanto em sua própria série de quadrinhos.

Uma defensora apaixonada do sonho de paz de Charles Xavier entre mutantes e humanos, Jean Grey permanece sempre vigilante no uso de seus poderes, recusando-se a se tornar o veículo potencial da destruição dos X-Men pela segunda vez.

Nos cinemas, a personagem ganhou vida com as atrizes Famke Janssen e Sophie Turner.



THOR (JANE FOSTER)

Jane Foster foi criada por Stan Lee e Jack Kirby e apareceu pela primeira vez em 1962, em Journey into Mystery #84.

Depois de vários anos como amante terreno de Thor Odinson, suas memórias de suas experiências foram temporariamente removidas por Odin, depois que ela falhou em um teste injusto como uma deusa asgardiana.

Jane se casaria posteriormente com outro homem, um médico chamado Robert Kincaid. No entanto, o casamento terminou em divórcio e Jane Foster abriu uma clínica com Donald Blake revivido, perto do local da cidade de Asgard, recentemente reconstruída na Terra.

Mais tarde, Jane foi diagnosticada com câncer de mama e por um tempo serviu como representante da Terra no Congresso dos Mundos, enquanto estava em tratamento.

Depois que Odinson foi considerado indigno de levantar o martelo de Mjolnir, Jane pegou o martelo, observando que “sempre deve haver um Thor”.

Como a nova Deusa do Trovão, Jane desfruta de todas as habilidades de seu ex-amante, incluindo uma vasta força sobre-humana e a capacidade de convocar tempestades poderosas.

Embora ainda terminalmente doente com câncer em sua forma mortal, Jane continua a combater sua doença sem o benefício da magia, provando seu valor como a nova portadora do Mjolnir, de uma maneira que o Odinson nunca pôde.

Nos cinemas a personagem é vivida por Nathalie Portman e em breve reprisará seu papel em Thor: Love & Thunder.

PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Martelada #14 – SDCC e seus principais anúncios

FEITICEIRA ESCARLATE

Feiticeira EscarlateCriado por Stan Lee e Jack Kirby, Wanda Maximoff apareceu pela primeira vez como a Feiticeira Escarlate (Scarlet Witch)em X-Men #4 de 1964 como membro da Irmandade dos Mutantes de Magneto.

Nos anos seguintes, ela oscilou entre heroína e vilã, servindo ao lado dos Vingadores por vários anos, mas também causando eventos que abalaram a realidade.

Seus poderes hexadecimais imprevisíveis, que permitem alterar a probabilidade em grande escala, a posicionam como um dos seres mais perigosos do Universo Marvel.

Durante o enredo de House of M, ela foi capaz de reconstruir a realidade de acordo com seus desejos mais profundos, criando um mundo onde os mutantes reinavam supremos sob a liderança de seu pai Magneto.

Como seus poderes estão ligados à magia do caos, Wanda e também é uma formidável usuária de magia, ela é um dos seres mais poderosos existentes e continua sendo uma ameaça constante ao tecido da realidade.

PUBLICAÇÃO RELACIOANDA | Feiticeira Escarlate: Conheça Wanda Maximoff



CAPITÃ MARVEL

Capitã Marvel: Marvel revela a incrível nova equipe de Carol DanversAtualmente anunciada como a super-heroína mais poderosa da Terra, o caminho de Carol Danvers para os holofotes não tem sido fácil.

Criada em 1968 por Roy Thomas e Gene Colan, Danvers apareceu pela primeira vez como chefe de segurança de Cabo Canaveral da NASA em Marvel Super-Heroes #13.

Ela se tornou a Ms. Marvel depois de várias aventuras ao lado do primeiro Capitão Marvel, finalmente ganhando seus próprios super poderes com um dispositivo Kree danificado chamado Psyche-Magnitron, que transformou sonhos em realidade.

Ao longo dos anos, Danvers serviu com os Vingadores e foi exilada no espaço, se identificava como Binária, antes de retornar à Terra para outra passagem nos Vingadores.

Ela finalmente assumiu o manto do Capitão Marvel, depois que seu mentor ressuscitado sacrificou sua nova vida para salvar o planeta natal Kree, Hala.

Como Capitã Marvel, ela é abençoada com consciência cósmica e vasta capacidade de absorção e manipulação de energia. E ela também não tem medo de liberar todo o seu podere. Basta perguntar a Tony Stark, que foi morto durante a saga Guerra Civil II, depois de enfrentar Danvers enfurecida em seu modo binário hiper-poderoso.

VAMPIRA

Verdade seja dita, qualquer uma das mulheres incríveis mostradas aqui pode reivindicar o primeiro lugar em nossa lista, mas isso pode ser verdade especialmente para Vampira (Rogue), que além de possuir o conjunto de poder da Capitã Marvel, também tem a capacidade de absorver qualquer habilidade sobre-humana (e personalidade acompanhante) com o mínimo toque.

Criada por Chris Claremont e Michael Golden, Vampira apareceu pela primeira vez como membro da Irmandade de Mutantes de Mística em Avengers Annual #10 de 1981.

Ela rapidamente desistiu de seus modos de vilã e tornou-se um membro destacado dos X-Men logo após sua estréia.

Ao longo dos anos, Vampira evoluiu para uma líder competente e respeitada cujas habilidades chegaram a receber elogios do Capitão América, que confia em seu julgamento e perspicácia em assuntos mutantes como membro da Divisão de Unidade dos Vingadores.

A esse respeito, ela completou um círculo, progredindo de terrorista mutante equivocada a uma dos porta-vozes mais respeitadas de sua raça como membro do primeiro time de super-heróis que ela já lutou, os X-Men.

BÔNUS: SINGULARIDADE

A mais nova membro da nossa lista, Singularidade (Singularity) foi criada há alguns anos, em 2015, por Marguerite Bennett, G. Willow Wilson e Jorge Molina. Ela apareceu pela primeira vez na edição inaugural de A-Force, uma equipe feminina de Vingadores liderada por Mulher-Hulk.

Durante as Guerras Secretas, Singularidade sacrificou sua vida para salvar seus novos amigos de uma invasão de zumbis nas Terras Mortas. Ela reapareceu no Universo Marvel renascida com suas memórias intactas, mas teve dificuldade em se reconectar com seus amigos, que não tinham lembrança dela.

Singularidade ajudou essa nova versão do A-Force a derrotar seu oposto polar, Antimatéria, que foi criado quando ela emergiu na nova realidade 616.

Essencialmente uma singularidade quântica em forma humana, a Singularidade possui uma ampla gama de poderes que incluem teletransporte por grandes distâncias (e possivelmente entre realidades), rastreamento telepático, voo e a capacidade de absorver pessoas em seu corpo através de sua cobertura quântica.



Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Comentários