Início LIVROS Crítica CRÍTICA – Nórdicos: Mitos e Sagas (2020, Pandorga)

CRÍTICA – Nórdicos: Mitos e Sagas (2020, Pandorga)

CRÍTICA - Nórdicos: Mitos e Sagas (2020, Pandorga)

Você que é recém chegado aqui no Feededigno, saiba que: existe uma parcela da equipe muito fã dos nórdicos, sua cultura, mitologia e as várias histórias que remontam a Era Viking. Falando nisso, sabia que viking na verdade é um verbo, e que acabou sendo atribuído à um povo por causa de sua principal característica?

Viking, na verdade, era o ato de embarcar em uma exploração marítima em busca de terras e espólios. Quer saber mais? Segue lendo.

Sobre a edição

A Editora Pandorga trouxe para o Brasil uma compilação de contos de vários autores, entre eles Hans Christian Andersen e Snorri Sturluson. O primeiro, talvez o mais famoso escritor e poeta dinamarquês, responsável por inúmeras obras da literatura e muito conhecido por seus contos. Já o segundo foi um islandês que viveu no século XII, conhecido como um dos maiores historiadores e talvez o maior responsável pela perpetuação do pouco que se sabe sobre a cultura nórdica. Snorri foi responsável pela criação da chamada Edda em Prosa, a bibliografia mais completa escrita sobre as canções e lendas da cultura e mitologia nórdicas.

A tradução e organização do material para o português brasileiro foram feitas com maestria por pessoas especialistas no assunto. A Juliana Garcia, por sinal, tem contato com a cultura do norte europeu desde seus 12 anos de idade e tem muita propriedade para explicar sobre as nuances das variações de idiomas.

Sobre a encadernação e os detalhes

Além da qualidade especializada na tradução do material, o primeiro impacto que Nórdicos: Mitos e Sagas causa é visual. O livro de capa dura tem texturas que imitam uma capa de couro, e possui um hot stamping dourado que ajuda na ideia de a capa aparentar algo rústico e antigo. Da mesma forma, a pintura dá um tom dourado também à lateral das páginas e ressalta a preciosidade que está contida em suas pouco mais de 300 páginas.

Como se a impressão externa já não fosse suficiente, a obra está recheada de ilustrações lindíssimas alusivas à cultura nórdica, com detalhes riquíssimos e gravuras que ajudam a elucidar o que os contos e sagas nos trazem.

Tivemos ainda o privilégio de receber a Edição Deluxe do livro, a qual veio acompanhada de um belíssimo card da obra A luta de Thor com os gigantes (1872) do pintor sueco Mårten Eskil Winge, e em seu verso uma ilustração recheada de símbolos nórdicos e de um marcador de páginas exclusivo do livro, com a mesma ilustração presente no verso do card.

Agora, finalmente, deixarei de falar do que agrada aos olhos, e falarei à vocês do que apraz ao coração (de um fã dos nórdicos).

Sobre o livro

Particularmente, já tenho o costume de consumir alguns livros que abordam a mitologia, a cultura e os costumes nórdicos, tais como: Mitologia Nórdica de Neil Gaiman e as Crônicas Saxônicas e Crônicas de Arthur de Bernard Cornwell, além dos conteúdos presentes em jogos, filmes e outras mídias. No entanto, ainda que eu já possuísse algum conhecimento prévio, o livro ainda assim me surpreendeu e me ensinou muito.

Ao invés de me aprofundar no conteúdo das páginas, trarei aqui um breve relato sobre os capítulos. E aqui também cabe um elogio (mais um) à organização dos mesmos. Podemos ver já no início, em seu sumário a magistralidade do trabalho com a justa divisão da obra.

Ressalto, antes de que você comece a se deliciar pelos capítulos, que este não é um romance, mas um compilado de contos, história e muita informação.

Explicado isto, sem mais delongas, mergulhemos na vastidão de conteúdos que os capítulos de Nórdicos: Mitos e Sagas nos traz (e cuidado para não esbarrar em Jormungandr).

O (precioso) conteúdo

  • Os vikings: um capítulo que discorre sobre o povo em si, sua cultura, roupas, alimentação, organização da sociedade e muitas outras informações muito específicas e elucidativas que ajudam a compreender melhor até mesmos seus mitos e crenças;
  • Mitologia e imaginário: este capítulo nos traz um pouco sobre a cosmogonia nórdica e uma explicação sobre os seus nove reinos;
  • Os deuses e os mitos: o título deste é bastante autoexplicativo, e o capítulo comporta a maior parte do livro. Aqui temos histórias muito instrutivas não só sobre os principais deuses, mas também sobre muitas outras deidades do panteão nórdico;
  • As criaturas: brindando aos leitores com detalhes raramente vistos em outras obras, aqui o livro joga luz sobre muitas das criaturas tanto comentadas mas pouco explicadas, contando mais e melhor sobre o surgimento de gigantes, ogros, selkies, além de outras mais famosas como o Kraken, trazendo também a lenda de Beowulf;
  • Ragnarök: chegando ao fim do livro, temos um satisfatório detalhamento sobre o mitológico fim do mundo para os nórdicos, onde muitos batalham e poucos sobrevivem;
  • Sagas: neste capítulo somos apresentados à algumas sagas, que nada mais são do que contos e narrativas onde os escaldos misturavam história, mitologia e religião. Normalmente eram contadas sagas de reis, heróis, famílias ou lendas.
  • Outras curiosidades nórdicas: o título deste último capítulo talvez não capte sua atenção. No entanto, foi nele onde eu tive a sensação de que não era possível terminar de melhor forma uma obra de tamanha perfeição. Neste capítulo, podemos não só aprender sobre o surgimento de datas festivas e seus significados mas sobre as runas e os símbolos nórdicos. O minucioso trabalho sobre as runas, confesso, me deixou maravilhado.

VEREDITO

Em conclusão, acredito que vocês não esperem que eu avalie de forma negativa o primoroso trabalho da Editora Pandorga, não é mesmo? Nórdicos: Mitos e Sagas é um carinho aos admiradores da cultura nórdica. Seja você um profundo consumidor de conteúdos, nas mais variadas mídias, ou um novato que não sabe muito além do que Marvel conta (spoiler: eles mentem), o livro é uma forte recomendação para todos aqueles que desejam conhecer um pouco mais sobre esta antiga cultura que inspirou e inspira muitas obras da cultura pop.

Caso tenha se interessado e queira adquirir a obra, segue aqui o link para acessar a loja da Editora Pandorga e comprar o seu exemplar.

Nossa nota

5,0 / 5,0

Quer saber mais sobre vikings?

Assista nossa live no Instagram:

Live de Pijama – Mitologia Nórdica – Parte 1

Live de Pijama – Mitologia Nórdica – Parte 2

Leia nossas críticas dos livros:

O Último Reino (2005, Bernard Cornwell)

O Evangelho de Loki (2016, Joanne M. Harris)

Mitologia Nórdica (2017, Neil Gaiman)

Ou assista nossas gameplays:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorLady Dimitrescu: Conheça a vilã de Resident Evil Village
Próximo artigoCRÍTICA – Truth to Power (2021, Garin Hovannisian)
Vindo do interior do interior do RS, fã de Cornwell, Zelda e do Fernandão, (péssimo) piadista, dá pitaco sobre quase tudo. Amante da cerveja, gosta de estudar diferentes culturas, leciona FIFA nas horas vagas e tem um cachorro chamado Salomão.