CRÍTICA | Imperdoável: Redenção – Vol. 5 (2021, Devir)

    Finalmente a editora Devir está publicando o fim da saga de Imperdoável: Redenção. Esse quinto e último volume reúne as edições #32 à #39

    SINOPSE

    O mundo todo começou a ser contaminado por radiação. Os membros do Paradigma foram derrotados. Porém, quando Quibit promete a redenção em troca da salvação do mundo, a pergunta que não quer calar finalmente será respondida: pode um homem ser tão perverso a ponto de se tornar realmente IMPERDOVÁVEL? 

    ANÁLISE

    Imperdoável: Redenção é o último volume dessa saga épica e repleta de ação, reviravoltas e a apresentação de um novo personagem. Personagem esse que possui um spin-off escrito pelo próprio Mark Waid.

    Nessa edição finalmente é revelado o conturbado passado do Plutoniano que tem ligação direta com o antagonista.

    Contudo, ao longo de toda a edição o autor focar apenas no passado do Plutoniano e em apresentar mais um novo personagem que vai confrontar o tirano e trazer esperança para salvação da humanidade.

    Desse modo, o autor acabar esquecendo completamente a super-equipe Paradigma e não apresenta uma solução digna para esses personagens.

    De fato, aqui o autor sofre com mesma dificuldade com quem tem que trabalhar com personagens superpoderosos. Ao apresentar uma fraqueza a esse tipo de personagem, acaba apelando para o famoso recurso narrativo deus ex machina para dar uma solução ao fim da trama.

    No entanto, esse recurso narrativo pode acabar frustrando os leitores que não gostam desse tipo de solução simplista.

    Quanto a arte do quadrinho, temos a adição de dois novos artistas: Marcio Takara e Damian Couceiro. Ambos apresentam um trabalho formidável e traços mais limpos e chamativos, o que casou perfeitamente com obra de Waid.

    VEREDITO

    Imperdoável: Redenção – Vol. 5 teve uma conclusão satisfatória, mas que poderia ser excelente se o autor amarrasse as pontas soltas que deixou ao longo da obra.

    Ponto alto também para a linda homenagem que o autor faz a dois quadrinistas que criaram o personagem mais poderoso do mundo dos super-heróis.

    Nossa nota

    3,5 / 5,0

    Editora: Devir

    Autor: Mark Waid

    Arte: Marcio Takara e Damian Couceiro

    Páginas: 216

    LEIA TAMBÉM AS CRÍTICAS ANTERIORES:

    Imperdoável: Poder Absoluto – Vol. 4 (2020, Devir)

    Imperdoável: No Limiar da Destruição – Vol. 3 (2019, Devir)

    Imperdoável: O Lugar Mais Seguro da Terra – Vol. 2 (2018, Devir)

    Imperdoável: O Poder do Medo – Vol. 1 (2018, Devir)



    Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

    Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

    Artigos relacionados

    Zeus: O Senhor dos deuses do Olimpo na Marvel Comics

    A versão de Zeus da Marvel é baseada no personagem da mitologia grega e estreou nas páginas de Daring Mystery Comics #6, de 1940.

    Eternidade: Conheça uma das entidades mais poderosas da Marvel

    A Eternidade é uma das entidades mais importantes e poderosas da Marvel. Conheça sua história e seus poderes.

    CRÍTICA – Mickey e o Oceano Perdido (2021, Panini)

    Mickey e o Oceano Perdido é um quadrinho francês publicado originalmente em 2018 pela editora Glénat, veja o que achamos da versão nacional.

    Bill Raio Beta: Conheça o Korbinita digno do Rompe Tormentas

    Conheça Bill Raio Beta, um dos personagens que é do universo cósmico da Marvel e que faz parte das histórias do Poderoso Thor.