Início SÉRIE Crítica CRÍTICA – Acampamento Jurássico (4ª temporada, 2021, Netflix)

CRÍTICA – Acampamento Jurássico (4ª temporada, 2021, Netflix)

CRÍTICA - Acapamento Jurássico (4ª temporada, 2021, Netflix)

Parece que a franquia que começou lá em 1994 com o primeiro filme Jurassic Park ainda tem milhões de anos pela frente. Em Jurassic World: Acampamento Jurássico um grupo de adolescentes são escolhidos para vivenciarem uma experiência única em um novo acampamento na Ilha Nublar antes da inauguração do parque Jurassic World. Mas, quando os dinossauros começam a destruir a ilha, os campistas ficam sem contato algum com o mundo exterior e para se manterem vivos, eles precisam se unir.

Depois de 3 temporadas parece que os campistas por mais que tentem fugir da Ilha Nublar, a Ilha Nublar “não sai deles” e a luta pela sobrevivência continua!

O elenco de dublagem original conta com as vozes de Paul-Mikél Williams (Westworld), Jenna Ortega (Você), Ryan Potter (Titãs), Kausar Mohammed (Silicon Valley), Raini Rodriguez (Austin & Ally) e Sean Giambrone (The Goldbergs).

Já a dublagem nacional conta com nomes como Arthur Valadares, Bia Menezes, Hugo Maya, Taís Feijó, Jéssica Vieira e Enzo Dannemann.

Os dubladores, tanto originais quanto brasileiros, dublam os protagonistas Darius, Brooklynn, Kenji, Yazmina, Sammy e Ben, respectivamente.

SINOPSE

Após a tentativa de fuga da ilha em um barco, os campistas são surpreendidos no mar e acabam encalhando em um novo território, agora eles precisarem continuar lutando pela sobrevivência enquanto novos perigos surgem na jornada deles.

ANÁLISE

Na contagem regressiva para Jurassic World: Dominação (Jurassic World: Dominion) que chega aos cinemas em 2022, terceiro filme da segunda trilogia, muitos fãs se perguntam o que está por vir e muitos buscam na animação spin-off respostas para essas perguntas.

Entretanto, a quarta temporada de Acampamento Jurássico parece caminhar para o futuro em que o seu percurso seguirá por novas tecnologias. Aqui, a manipulação de DNA é algo natural, que nem mesmo precisa ser relembrado ou citado; agora, drones, robôs e controle mental de dinossauros é o novo foco. E claro, depois da Indominus Rex (Jurassic World), a Indoraptor (Jurassic World: Reino Ameaçado) e a Scorpios Rex (Acampamento Jurássico) temos mais uma vez a busca de um novo híbrido que caia nas graças do público.

A série que começou com 8 episódios agora conta com 11, um claro sinal de sucesso entre os jovens – e velhos – fãs, e nada melhor que trazer criaturas que marcaram a franquia como o temível Espinossauro, que aterrorizou a Ilha Sorna em Jurassic Park 3 (2001).

VEREDITO

A quarta temporada foca em apresentar os rostos por trás da empresa de bioengenharia e orientação genética Mantha Corp, mencionada na temporada anterior. Os objetivos cruéis da organização é apresentada de forma direta e seu líder é o grande plot-twist da season finale. Será que veremos a Mantha Corp no longa de 2022? Não há como saber, pelo menos por enquanto.

Além dessa pergunta principal, a mais recente temporada deixa outras também sem respostas: No cânone da franquia, há duas ilhas habitadas por dinossauros, a Ilha Nublar e outra ilha menor, a Sorna, usada como suporte para a principal. Aqui, não fica claro se os jovens estão em uma delas ou uma terceira ilha. E se é uma das duas originais, como a InGen, organização responsável pelos dois parques não se deu conta de um complexo com vários biomas, diversos dinossauros, novos híbridos e até um Tigre Dente-de-Sabre?

Infelizmente, pelo menos para essa mais recente temporada, a sensação que fica é que a produção se desviou do caminho e tentou espremer mais dólares da franquia.

Nossa nota

3,0 / 5,0

Assista ao trailer:

Para conhecer os personagens, a timeline da animação na franquia, figuras marcantes e vilões, leia:

Jurassic World: Acampamento Jurássico | Tudo sobre a série animada

A 4ª temporada de Jurassic World: Acampamento Jurássico já está disponível no catálogo da Netflix.

Inscreva-se no YouTube do Feededigno

Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

Artigo anteriorNoites Sombrias #43 | Chucky (1ª temporada, 2021, Star+)
Próximo artigoCRÍTICA – Ruined King: A League of Legends Story (2021, Airship Syndicate)
Um carioca apaixonado por livros, cinema, games e que ama falar de nerdice.