Início FILMES Martin Scorsese fala novamente sobre os filmes da Marvel

Martin Scorsese fala novamente sobre os filmes da Marvel

Martin Scorese fala novamente sobre os filmes da Marvel

Se vocês haviam achado que a novela “Marvel não é cinema” havia chegado ao fim, estão completamente enganados. Em nova entrevista, agora para o portal EW, Martin Scorsese deu novas declarações sobre o caso.

Durante a entrevista, Scorsese foi questionado sobre o debate  sobre filmes de quadrinhos. Desta vez, o diretor fez um pequeno ajuste ao seu discurso, afirmando que os filmes de quadrinhos são uma “forma de cinema diferente ou uma nova forma de arte inteiramente”.

A alegação inicial de Martin Scorsese de que os filmes da Marvel “não são cinema” parece ter mudado, mas a sua maior reclamação permanece: de acordo com o diretor, os filmes de quadrinhos estão “colocando a arte de lado” e dificultando cada vez mais a realização de filmes que não sejam de entretenimento (neste caso, seu próximo O Irlandês).

Confira abaixo uma parte da entrevista:

[Um estúdio tradicional] é voltado para a maior quantidade de dinheiro que você pode ganhar – compreensivelmente. Há muito pouco espaço para esse tipo de filme [de arte]. Eles dizem: “Oh, você pode fazer filmes independentes”. Isso está colocando as pessoas nas margens. Colocando arte nas margens.

Os filmes de blockbuster, os grandes filmes de quadrinhos, são filmes de parques temáticos – tão bem-sucedidos quanto muitos deles, em todos os níveis. É uma forma de cinema diferente ou uma “nova forma de arte”.

Nós temos esperança que haja cinemas que mostrem os filmes que não são blockbuster. E se eles não mostrarem, que os cineastas ainda tenham uma oportunidade nos streamings – isso muda a experiência, mas caso contrário, daqui a dois a três anos, o cinema de arte terá acabado. Se um bom cineasta vem da Itália ou da França, o filme dele tem que ser uma [franquia] ou eles não o farão.

Assim como Francis Coppola, Fernando Meirelles, Kleber Mendonça Filho (e o participantes do UCM) Benedict Cumberbatch e Jon Favreau já comentaram, é perceptível que o problema não está no filme de quadrinho em si, mas na indústria que se forma por trás desses grandes lançamentos.

Cinema de nicho sempre existiu e eras de filmes também – western foi um gênero famoso que durou muitos anos. Entretanto, esse tipo de produção não tomava conta de quase 100% das salas de cinema durante todo o ano.

Desde que o modelo de filmes interligados da Disney/Marvel foi criado, há em média dois a três lançamentos por ano que ocupam todas as salas de cinema e conseguem escalonar a marca de 1 bilhão de arrecadação.

Se todos os estúdios focarem em filmes blockbuster e não abrirem espaço para outras produções, para onde caminhará o cinema? E se o streaming for a única forma de sobrevivência dessas produções, mas os grandes conglomerados de mídia também migrarem para essa área, o que resta para os diretores que não possuem tal financiamento?