Jurassic World Domínio: Quem é quem no novo filme?

    O último título da franquia Jurassic está entre nós! E em meio aos humanos e dinossauros nossos bravos personagem lutam para sobreviverem e encarar os desafios propostos em Jurassic World Domínio.

    Do arquiteto e diretor de Jurassic World (2015), Colin Trevorrow, o mais recente longa da franquia, se passa quatro anos após a destruição da Ilha Nublar. Os dinossauros agora vivem – e caçam – ao lado de humanos em todo o mundo. Esse frágil equilíbrio vai reconfigurar o futuro e determinar, de uma vez por todas, se os seres humanos vão continuar a ser os maiores predadores do planeta, habitado também pelas criaturas mais temíveis da história.

    PUBLICAÇÕES RELACIONADAS:

    CRÍTICA – Jurassic World Domínio (2022, Colin Trevorrow)

    Quais são os dinossauros de Jurassic World Domínio?

    TBT #67 | Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros (1994, Steven Spielberg)

    Conheça os personagens do longa:

    Owen Grady (Chris Pratt)

    Jurassic World Domínio: Quem é quem no novo filme?

    Durante a trilogia Jurassic World, o especialista em comportamento de dinossauros, Owen Grady, evoluiu de maneira notável. O ator Chris Pratt comenta:

    “Em Jurassic World, Owen é um pouco desonesto. Ele estava no auge de seu heroísmo, mantendo o amor à distância de uma mão. Em Reino Ameaçado, começamos a vê-lo assumir mais responsabilidades. E agora, em Domínio, Owen tem obrigações. Ele é pai e marido, não pode mais se arriscar nas loucuras que costumava fazer porque há mais pessoas dependendo dele – que agora tem uma razão para viver além dele próprio ou de seu senso de aventura e está, desesperadamente, tentando manter as pessoas que ama em segurança.”

    Em Domínio, Owen e Claire Dearing (Bryce Dallas Howard) estão vivendo num local secreto com Maisie Lockwood (Isabella Sermon), num esforço para manter Maisie segura. Embora a família esteja vivendo bem, Maisie começa a se desestabilizar.

    Pratt explica:

    “Ela quer ir para a cidade, experimentar outra vida, abrir as asas. Mas Owen e Claire sabem que, por causa de quem ela é e da natureza única de sua existência, ela é um alvo valioso para a ciência e para grandes conglomerados, de olho no lucro que poderiam ter com ela. Então, seu principal objetivo é mantê-la protegida e segura.”

    Olhando para o seu tempo na franquia, Chris Pratt sente-se grato pelo relacionamento que construiu com a atriz Bryce Dallas Howard:

    “Bryce tem sido uma grande parceira. Eu não teria uma esposa de cinema melhor. Ela é tão gentil, atenciosa e persistente. Desde o primeiro dia, sou tão grato por trabalhar com ela, e é triste pensar que não vamos interpretar mais esses personagens. Mas não será a nossa última vez, porque eu sei que vamos construir algo juntos novamente.”

    Quando assinou contrato com a franquia Jurassic World anos atrás, Pratt não sabia a trajetória de seu personagem ou da história dele, e certamente não esperava atuar ao lado do elenco original de Jurassic Park:

    “Foi um grande presente. Eu sempre quis muito a aprovação de Sam [Neill], Laura [Dern] e Jeff [Goldblum], esperava que eles estivessem felizes com o que fizemos depois que passaram a tocha para nós. Acho que a participação deles nesta celebração final da franquia é toda a confirmação que eu preciso.”

    Chris Pratt elogia a Universal e a equipe de produção do filme por criar e respeitar os protocolos rigorosos do Covid colocados em prática na produção:

    “Foi custoso e árduo, exigindo que um novo departamento fosse adicionado à produção. Na época, as pessoas me perguntavam: ‘Sério? Você vai voltar à produção? Tem certeza de que é seguro?’. E eu respondia: ‘Veja bem, se há uma indústria talhada para lidar com isso, é a indústria do cinema’. Se alguém tem os recursos, a vontade, a paixão e a necessidade de fazer algo, é uma equipe de filmagem. Acho que é uma façanha do talento humano termos sido capazes de ser uma das primeiras produções cinematográficas a implementar todos os protocolos e garantir a segurança de todos durante a produção.”

    Inúmeros eventos ocorreram nos oito anos entre Jurassic World e Domínio, e Chris Pratt apreciou todas as experiências que levaram ao ápice desta trilogia:

    “Eu fico um pouco sentimental pensando em tudo o que passamos juntos ao longo desses anos – desde ver as pessoas se apaixonarem, casarem, bebês nascerem. Vivemos traumas, muita beleza, e todos nós podíamos contar uns com os outros durante todo esse tempo. Agora é o fim de uma era, e de certa forma, é triste, mas também é muito bonito.”

    Claire Dearing (Bryce Dallas Howard)

    Jurassic World Domínio: Quem é quem no novo filme?

    Como Owen, Claire Dearing também continuou a se transformar e mudar durante o período da trilogia Jurassic World.

    Bryce Dallas Howard comenta:

    “Claire é uma heroína tão interessante, cheia de nuances e atípica. Em cada filme, ela vive uma jornada distinta. Em Jurassic World, ela tem todos os aspectos de vilã, é uma executiva que claramente prioriza o dinheiro. Mas no final, depois de passar por uma experiência transformadora, ela assume seu poder feminino para sempre. Em Reino Ameaçado, ela foi longe demais e perdeu um pouco de perspectiva. Ela é meio míope, e embora suas escolhas estejam alinhadas com seus novos valores, ela talvez não mantenha o cenário geral em mente. Neste filme, ela questiona sua própria consciência e seu papel neste desastre que continua a crescer. Agora, em Domínio, Claire está consciente de seus valores e sabe o que é importante para sua vida, como fazer a diferença. Mas ainda está lidando com a culpa pelo trauma que os outros sofreram e quer assumir a responsabilidade de corrigi-lo.”

    A atriz comenta que Trevorrow tinha uma visão clara da trilogia desde o início:

    “Colin também nos capacitou para ter domínio sobre nossos personagens e a história, o que foi ótimo, porque Chris é um brilhante e inventivo contador de histórias. Nos dois primeiros filmes, Chris teve tantas ideias. Ele dizia coisas como: ‘Queria ver uma criança andando nas costas de um Tricerátops como se fosse de um elefante’. Ele tinha tantas ideias tão detalhadas, que comecei a escrevê-las num documento. Depois, comecei a registrar as ideias de todo mundo no set durante a produção dos dois filmes. Quando terminamos Reino Ameaçado, enviei o documento para Colin, e depois de ler o roteiro de Domínio, parecia que algumas delas estavam espalhadas pelas filmagens. Não sei se elas já eram orgânicas ou não, mas de qualquer forma me pareceu um processo colaborativo quanto li o roteiro final. É um tremendo privilégio ser incluída nesse processo como atriz.”

    Desde o início da produção de Jurassic World, Bryce Dallas Howard sabia da parceria verdadeira entre ela e Pratt:

    “Há uma química que vai além dos personagens e, ao longo do processo, realmente compartilhamos nossa visão sobre o que era viável para a história e para nossos personagens. Nos divertimos tanto juntos. Sempre digo que somos grandes parceiros, claro, porque minha risada é a mais alta do mundo, e Chris é uma das pessoas mais engraçadas do planeta.”

    A atriz também apreciou o aspecto pró-feminino da franquia Jurassic World:

    “Se você parar para pensar, no começo todos os dinossauros eram fêmeas, eles são a idealização da força e do poder feminino. Na natureza, o animal mais feroz, sem dúvida nenhuma, é uma mãe. Você não conhecerá um animal mais feroz de qualquer espécie do que uma mãe protegendo seus filhotes. E é isso que podemos ver neste filme.”

    O diretor Colin Trevorrow confirma:

    “O desejo de Claire de proteger sua filha é o núcleo emocional do filme. Roteiristas inventam grandes histórias para viver – dizemos que o mundo vai acabar, é nosso dever se importar com isso. Mas ver o que uma mãe fará para proteger seu filho é algo que vai mais fundo do que qualquer invenção nossa.”

    Ellie Sattler (Laura Dern)

    Quase trinta anos depois de a Dra. Ellie Sattler ser apresentada ao público pela primeira vez em Jurassic Park, a atriz Laura Dern volta ao icônico papel da paleobotânica:

    “Colin [Trevorrow] insinuou algo sobre a volta da personagem, e Steven Spielberg me ligou, mais formalmente, para perguntar como eu me sentiria sobre a ideia de Ellie Sattler voltar para a franquia com alguns de seus amigos. Fiquei muito animada. Acho que todos queríamos que ela voltasse um pouco diferente, depois de avançar na vida e no trabalho. Eu sempre admirei Colin e sua paixão pela franquia. Ele, Steven e Frank Marshall foram muito cuidadosos com Ellie, Alan e Ian, e a maneira como eles retornaram foi o que me deixou particularmente ainda mais interessada.”

    Ellie está de volta com outros dois personagens de Jurassic Park, o Dr. Ian Malcolm (Jeff Goldblum) e o Dr. Alan Grant (Sam Neill). Malcolm está dando uma palestra na Biosyn quando Alan e Ellie se deparam com ele.

    Laura Dern comentou:

    “Em Domínio, com toda a sua experiência como paleobotânica, Ellie mudou de foco e se tornou cientista de solo, especialista em mudanças climáticas. Ela descobre que há enxames de gafanhotos dizimando plantações em todas as regiões dos Estados Unidos, o que a leva a buscar uma segunda opinião do brilhante paleontólogo Alan Grant. Depois que Sam, Jeff e eu filmamos nossa primeira cena juntos neste filme, Colin enviou uma foto de nós três no monitor para Steven Spielberg. Então recebi uma mensagem do Steven, dizendo que ele ficou comovido ao nos ver juntos de novo. Foi muito especial.”

    Como o filme foi produzido durante a pandemia do Covid-19, o elenco estava hospedado em um mesmo hotel. A atriz conta:

    “Isso realmente criou um espírito de comunidade e família entre todos nós, nos permitiu ensaiar e conversar durante o trabalho e nos finais de semana. Fomos capazes de detalhar a narrativa de uma forma muito mais intensa. Normalmente, você chega na locação, tem alguns jantares com a equipe antes de começar a filmar, e é isso. Mas dessa vez estávamos juntos todos os fins de semana, jantamos juntos quase todas as noites, malhamos juntos, fomos caminhar, andamos de bicicleta, conhecemos as famílias um do outro. Foi uma bênção ter esse tempo juntos e poder viver esse espírito de comunidade em um ambiente seguro e confortável.”

    Quando Laura Dern fez Jurassic Park, era importante para ela e para o diretor Steven Spielberg que Ellie fosse uma heroína feminista. Infelizmente, isso não era comum na época, mas a atriz está feliz por ter se tornado mais constante desde então:

    “Foi importante para Steven e eu encontrarmos um equilíbrio entre feminilidade, vontade, poder, irreverência e força para a personagem. Agora, no roteiro de Domínio, não precisamos mencionar essa questão na descrição da personagem. Ela é Ellie Sattler, e acho que as pessoas entendem de saída tudo o que Steven ajudou a estabelecer para a personagem em Jurassic Park. É emocionante que não tenha que ser uma descrição apologética como: ‘Ela é adorável, mas também é forte. Ela é feminina, mas é mal-humorada’. Ela é uma personagem como qualquer outro personagem masculino em um filme de ação. Pode-se presumir que ela vai ser durona, complicada, engraçada e forte, o que vale para todas as personagens femininas de Jurassic World. Colin é irredutível nesse sentido, seus personagens são humanos e heroicos na mesma medida.”

    Dr. Ian Malcolm (Jeff Goldblum)

    Jurassic World Domínio: Quem é quem no novo filme?

    Depois de retornar como o Dr. Ian Malcolm para um pequeno papel em Jurassic World: Reino Ameaçado, Jeff Goldblum está de volta como o matemático favorito dos fãs, desta vez, ao lado de seus colegas de Jurassic Park, Laura Dern e Sam Neill.

    Goldblum comentou:

    “Acontece que Ian, Ellie e Alan têm alguns assuntos inacabados entre eles – pessoal, intelectual, ambientalmente. O destino e o legado deles, juntos, ainda não se completaram. Eles criaram laços indissolúveis e viveram uma espécie de triunvirato único, que somente eles sabem como apreciar plenamente. Quando os encontramos agora, há algo muito forte no ar que parece dizer: ‘Muito está para acontecer, mas cuidado…’. Passar um tempo novamente com Laura e Sam durante as filmagens – trabalhando duro e convivendo – foi um presente celestial. Nós três cantamos juntos constantemente. Foi um sonho e uma viagem, com certeza.”

    Em Domínio, Malcolm continua a estudar a teoria do caos. Goldblum explica:

    “Ele se dedicou a estudar, entre outros temas, consequências não intencionais, e percebeu que a vida pode ser extremamente imprevisível. Uma aventura arriscada sem dúvida, mas também um passeio irresistivelmente delicioso.”

    Trevorrow comenta as semelhanças das perspectivas entre Goldblum e Malcolm:

    “A ideia de que o destino da humanidade está nas mãos da próxima geração é algo importante para Jeff Goldblum. Malcolm é capaz de articular sobre o poder da genética e o perigo de dominá-lo. Ele alerta sobre tudo o que envolve esse poder – que pode não apenas curar doenças, mas também causá-las. Pode garantir o suprimento de alimentos, mas também destrui-lo. Esses personagens estão lutando pelo futuro do nosso planeta e pela nossa habilidade para existir nele. Nesta história, a vida está nos ameaçando como nunca o fez desde quando os dinossauros estiveram aqui pela primeira vez. É um desastre ecológico provocado que pode levar à nossa extinção.”

    Jeff Goldblum atesta que Colin Trevorrow possui verdadeiras qualidades de liderança:

    “Ele tem um grande caráter e princípios profundamente enraizados, confiar nele é fácil e natural. Ele usa muitos chapéus bonitos – eu o chamo de Bartholomew Cubbins! Ele é tão gentil, generoso, colaborativo! Doce e inabalável, sempre acolheu as ideias dos atores, e é uma inspiração de foco e bom gosto. Nunca tirou um dia de folga! Ele tem a força hercúlea de dez diretores de sucesso!”

    Alan Grant (Sam Neill)

    Jurassic World Domínio: Quem é quem no novo filme?

    Quem conclui o triunvirato dos atores do elenco original de Jurassic Park é Sam Neill, que retorna como o paleontólogo Dr. Alan Grant.

    O ator comenta:

    “Havia indícios sobre outro filme Jurassic há tempos. Eu estava interessado, mas hesitante, porque não queria fazer uma mera participação, e sim ter certeza de fazer justiça a Alan Grant. Logo ficou evidente que a presença de Alan era crucial para a trama, o que me deixou intrigado. Domínio foi uma jornada e tanto, estou feliz por ter sido convidado a participar dela.”

    Neill estava entusiasmado por se reunir com Laura Dern e Jeff Goldblum para as filmagens de Domínio:

    “Nos divertimos muito trabalhando em Jurassic Park, passamos por muita coisa juntos. No início dos anos 1990, um furacão passou por Kauai e quase nos matou durante as filmagens. Destruiu todos os nossos sets, tivemos que voltar para Los Angeles para completar o filme, então nossa amizade foi forjada em uma experiência desafiadora, não muito diferente dos desafios que o mundo enfrentou em 2020. E lá estávamos nós de novo, em uma espécie de desastre natural, nós três unidos como antes. Somos muito amigos e bem-humorados, o que nos ajudou a passar por muita coisa. Laura [Dern] e Jeff [Goldblum] me fazem rir muito mais do que é sensato para uma pessoa da minha idade.”

    Os fãs de Jurassic Park podem estar se perguntando qual é o status do relacionamento de Alan e Ellie depois de todo esse tempo.

    Sam Neill continua:

    “Alan pode parecer rude e alarmante para alguns, mas, na verdade, ele é um coração-mole, apesar de seus instintos de autopreservação. Alan e Ellie não deram certo em Jurassic Park porque ela estava determinada a ter filhos, mas Grant, não. Ellie queria se estabelecer com um teto sobre sua cabeça, mas a ideia de viver em uma cidade ou ter que levar as crianças para a escola era um grande anátema para Alan, porque ele gosta de trabalhar com as mãos no local da pesquisa. Esse foi o maior conflito na relação deles. Em Domínio, Ellie e Alan se reencontram, o que pode ou não ter a ver com como Alan se sente em perigo novamente. Ele sempre gostou dela, e suspeito que seu maior arrependimento foi permitir que Ellie escapasse de sua vida. Grant se sente culpado porque não lidou bem com isso, e sente um pouco de pena de si mesmo. Tudo isso para dizer como a Dra. Ellie Sattler tem tudo a ver com o fato de Alan Grant estar na linha de fogo mais uma vez.” 

    Então, se ele não tem estado ocupado com uma família, o que Grant tem feito desde os eventos de Jurassic Park? Neill explica:

    “Alan mal saiu vivo na primeira trilogia. Ele poderia bem ter virado as costas para o mundo dos dinossauros e tentado ter uma vida normal, se tornar um contador e talvez jogar golfe nos fins de semana. Mas acho que Grant nunca seria feliz assim. Tudo o que ele sabe e ama é a descoberta. Ele adora dinossauros, e há muita história sobre eles que ainda não conhecemos. Embora tenha desenterrado algumas delas, Alan sabe que ainda há muito mais a ser descoberto.”

    Trevorrow explica que Neill, Laura e seus colegas de elenco tiveram um grande papel na formatação de seus personagens em Domínio:

    “Laura e Sam escreveram algumas falas de seus personagens. Em nosso processo, surgiriam, naturalmente, momentos que articulavam algo que a roteirista Emily Carmichael e eu estávamos tentando expressar… mas não da maneira que Laura ou Sam fariam. Este filme foi uma experiência enriquecedora porque cada um de nossos atores articulou ideias-chave em seu próprio estilo e à sua maneira.”

    Sam Neill apreciou as técnicas de direção de Colin Trevorrow e sua dedicação:

    “Não quero exagerar, mas meio que me apaixonei por Colin. Ele tem tudo o que você poderia querer em um diretor. Seu entusiasmo, otimismo ilimitado, sua energia são exemplares. Ele tem tanto amor pelos atores, pelos filmes e pela direção. Nos conhecemos pela primeira vez na Espanha, em 2019, no Festival de Cinema de Sitges, e usa paixão contagiante me encheu de todo tipo de esperança sobre como essa experiência e o filme seriam.”

    Dr. Henry Wu (BD Wong)

    Jurassic World Domínio: Quem é quem no novo filme?

    Dr. Henry Wu, interpretado por BD Wong, é o engenheiro genético responsável pela criação dos dinossauros para os parques temáticos de Jurassic Park, Jurassic World e Jurassic World Domínio.

    Wong comenta sobre seu icônico personagem:

    “É uma sensação muito estranha estar de volta aqui, 30 anos após o primeiro filme. Havia algumas pontas soltas na história do Dr. Wu no final de Jurassic Park, então quando Colin olhou para trás, para o filme original, para os personagens que poderiam voltar em Jurassic World, o Dr. Henry Wu era um deles ainda não totalmente resolvido. Foi emocionante voltar à franquia com a nova trilogia.”

    Quando Wong leu o roteiro pela primeira vez e percebeu que o elenco original estaria de volta, ao lado de Chris e Bryce, temeu que poderia ser demais:

    “É como encher uma salsicha com muita carne. É delicioso, mas vai explodir. Mas, então, eu pensei nos fãs e percebi: ‘Oh, meu Deus, eles só vão, como dizemos em Nova Iorque, plotz (arrasar)’. É um absurdo de maravilhas, e eu só sei que é algo que os fãs vão adorar ver.”

    Em Domínio, o Dr. Wu trabalha para a Biosyn. O ator explica:

    “O Dr. Wu é um cientista, que no ambiente corporativo é como um artista, com suas ações e seu trabalho sob o controle desse ambiente. Ele é uma espécie de peão nesta situação corporativa, e foi obrigado a fazer certas coisas que acabam causando danos e grandes estragos no mundo. Este filme examina o fenômeno da corporação versus ciência. Algo cristalino no Dr. Wu é sua paixão pela ciência. E eu acho que, bem junto dela, entre parênteses, há essa concepção de que, olhando além da moral, há um bem maior por trás de seu trabalho atual. É isso que ajuda a justificar o que está fazendo em seu trabalho.”

    DB Wong afirma:

    “Com um personagem como Wu, conhecido dos fãs, o objetivo era trazer uma versão diferente dele, para que o público pudesse entender, visualmente – com os figurinos, o cabelo e maquiagem, que muito tempo se passou desde que ele trabalhou no Lockwood Lab. Colin me pediu anos atrás para não cortar meu cabelo – presumivelmente porque ele tinha um plano para que esse personagem lentamente se tornasse um pouco menos contido com o passar do tempo.”

    Trevorrow queria, e isso era o mais interessante para o diretor, que o personagem parecesse estar sempre buscando algo que o público não consegue entender:

    “Ele tem manipulado o poder genético com pessoas feridas e desastres como danos colaterais. Isso pesa muito sobre ele, e BD interpreta seu personagem de uma maneira oprimida e amarga – foi ótimo poder trazer outro lado dele. Mas queremos acreditar que o Dr. Wu fez tudo isso por uma razão, e nesta história essa lógica é revelada. No fundo, trata-se da crença de Henry Wu de que a ciência pode fazer mais bem do que mal.”

    Barry Sembenè (Omar Sy)

    O público foi apresentado a Barry Sembenè, interpretado por Omar Sy, em Jurassic World. O personagem treinou os dinossauros de Jurassic World ao lado de Owen Grady. Quando Colin Trevorrow apresentou originalmente o personagem em Jurassic World, era alguém que não apenas trabalhava com os dinossauros, mas os criava e tratava como se fossem animais de estimação.

    O ator relembra:

    “Almocei com Colin, e ele estava trabalhando na franquia Jurassic World. Ele disse que tinha um papel para mim, eu era completamente novo em Hollywood, então fiquei animado. Ele queria que Barry tivesse uma relação especial com os dinossauros, como alguém que cria, educa e alimenta… dinossauros. Foi interessante interpretar um personagem que tem conexão e vínculo com esses animais especiais. E Colin me deu muita confiança para atuar em inglês, o que ainda é um desafio para mim.”

    Agora, anos depois, o ator ficou novamente animado para voltar ao papel de Barry em Domínio:

    “Foi ótimo voltar e trabalhar com as mesmas pessoas. Trouxe de volta um monte de boas memórias e bons sentimentos. Todos ainda são tão dedicados quanto antes. Fico sempre impressionado com a forma como todos eles trabalham. Chris e Colin são muito focados, e sabem exatamente o que estão fazendo. Vê-los no set é quase como uma masterclass, porque estou constantemente aprendendo. Eu vim no meio das filmagens por um curto período, e era como se eu estivesse com eles desde sempre, que fizeram com que eu me sentisse muito bem-vindo.”

    Omar Sy era um adolescente quando viu Jurassic Park pela primeira vez:

    “Foi tão incrível, como ver dinossauros de verdade, pela primeira vez. É por isso que eu estava tão feliz e motivado por participar de Jurassic World. Há muitas coisas que não podemos ver no set, que estou ansioso para ver no filme. Mal posso esperar para ver como os dinossauros vão agir, parecer, se mover. Quero dizer, você sabe que eles vão parecer reais, é claro, mas ver cada um deles juntos, não vejo a hora.”

    Maisie Lockwood (Isabella Sermon)

    Jurassic World Domínio: Quem é quem no novo filme?

    Isabella Sermon interpreta Maisie Lockwood, a garota pré-adolescente que vive com Owen e Claire. Em sua estreia no cinema, em Reino Ameaçado, a jovem atriz interpretou Maise, que descobrimos ser um clone genético da filha de Sir Benjamin Lockwood. Agora que a identidade de Maisie foi revelada, Owen e Claire sentem que precisam mantê-la escondida para garantir sua proteção.

    A jovem atriz explica:

    “Ela não tem permissão para ter muito contato com o mundo exterior porque Owen e Claire têm medo de alguém a levar para experiências científicas. Ela pode sair, mas a regra é jamais ir além da ponte da casa. E como muitos adolescentes, ela está em uma idade em que a proibição tem o efeito contrário.”

    Para ela, foi muito diferente voltar para o set de Domínio depois de alguns anos:

    “Reino Ameaçado foi minha estreia no cinema, então tudo era muito mágico, mas também fiquei um pouco atordoada com tudo. Então, desta vez, foi bom voltar, trabalhar com as mesmas pessoas, e mesmo que ainda fosse mágico, pude observar muito mais. Havia sempre algo novo para aprender ou descobrir sobre a personagem ou sobre atuar.”

    Seus pais na tela, Chris Pratt e Bryce Dallas Howard, ficaram impressionados com sua maturidade e flexibilidade no set. E Chris Pratt conta:

    “Claro, houve muitos dias em que passamos a maior parte do tempo correndo ou fazendo coreografias de luta. Mas em outros dias, tínhamos cenas com muitas nuances e interação entre os personagens. Uma delas, que me marcou, foi com Izzy sentada em volta de uma fogueira. Foi incrível assistir e aprender que tipo de atriz ela é. Ela tinha apenas 14 anos na época, mas estava tão presente no momento, foi tão versátil, variando delicadamente a interpretação em cada tomada.”

    Bryce Dallas Howard acrescenta:

    “Eu tenho dois filhos, e meu mais velho é sete meses mais novo que Izzy, mas isso é tão bizarro. Porque para mim Izzy é minha colega de trabalho, alguém par a par comigo. É simplesmente incrível o quão profissional, presente, madura e adorável ela é.”

    Em Reino Ameaçado, quando apareceu pela primeira vez, o público pode não ter entendido o significado e a importância de Maisie. E o diretor explica:

    “É ela quem reúne os personagens originais de Jurassic Park e os de Jurassic World. Ela representa algo maior do que qualquer uma das histórias individuais dos personagens. Para mim, é Maisie quem nos faz sentir empatia por quão deslocados esses dinossauros são de tantas maneiras. Eles existiram uma vez antes, e agora existem novamente, fora do tempo deles. Isso foi algo que Emily e eu usamos como base para construir a história de Maisie – a crise de identidade inerente à situação dela. Esta garota está descobrindo não apenas quem ela é no sentido literal, mas qual será seu lugar neste mundo.”

    Ter modelos femininos é importante para Isabella Sermon como atriz e, também, para a personagem de Maisie:

    “Ela cresceu com Claire como uma figura materna, que lhe mostrou como é ser uma mulher forte, corajosa e independente. E há também Ellie, tão intelectual, inteligente e poderosa, e agora Kayla, destemida e durona. É tão incrível que não só Maisie as tenha como inspiração, mas também que eu, como atriz, tive a oportunidade de trabalhar com mulheres tão fortes e independentes.”

    Kayla Watts (DeWanda Wise)

    Kayla Watts é uma ex-piloto militar que agora conduz aviões de carga de aluguel em um submundo sinistro. Ás dos ares, ela pilota qualquer avião em qualquer lugar, sem perguntas. A atriz DeWanda Wise, da série She’s Gotta Have It, da Netflix, interpreta Kayla.

    O diretor Colin Trevorrow explica:

    “Ela é uma nova personagem que Emily [Carmichael] e eu criamos juntos, com a ajuda de DeWanda. Eu dou muito crédito às duas por definirem quem é essa mulher e como ela muda ao longo da história. Ela é pura aventura, mas também uma mulher que acaba de perceber como o mundo em que se meteu é sombrio, e quer sair dele. Ela está encontrando sua bússola moral novamente, lembrando que virar os olhos para algo que você sabe que é errado não é suficiente. Nesse contexto, ela se torna parte desta família. DeWanda Wise tem a rara habilidade de encontrar emoção real em uma personagem de ação. Ela também é escritora, então, nós três trabalhamos em direção a um objetivo compartilhado desde a fase de roteiro até o último dia de produção.”

    A atriz sentiu-se grata pelo papel de uma personagem feminina de ação tão intenso:

    “Uma boa parte da minha carreira foi feita de trabalhos que construí e fiz. Quando eu conheci Colin, e ele me contou sobre a história, sobre Kayla, me convidou para interpretá-la, fiquei muito grata. Lembro-me de ler o roteiro pela primeira vez e ficar completamente encantada com a história e as personagens. Li uma segunda vez e chorei, porque achei Kayla simplesmente incrível. Sempre pensei que seria tão legal estrelar um filme de ação, mas com uma personagem bem desenvolvida, com profundidade, uma combinação perfeita. Foi exatamente o que vi na Kayla. ‘Um sonho realizado’ é uma frase muito simples para descrever como tudo aconteceu. Há personagens que você escolhe e personagens que escolhem você. Kayla me escolheu.”

    Kayla vem de uma longa linhagem de mulheres fenomenais e ferozes. A atriz DeWanda Wise explica:

    “Ela sempre soube que queria ser piloto e viver uma vida de aventura. Não consigo pensar em muitas profissões que simbolizam a liberdade tanto quanto ser piloto. Mas voar é algo que muitas vezes parece fácil. Quando falamos em viajar, voar parece ser até um inconveniente. Mas para Kayla, estar no céu em seu avião é estar em casa. Para ela, não há nada mais libertador do que isso. Tudo sobre Kayla é espontâneo, ela tem a inteligência intelectual e as habilidades para ir aonde quiser a qualquer momento.”

    E continua:

    “Ela já passou por uma guerra! Nesse mercado, curiosamente, ela pode ser conhecida, mas anônima ao mesmo tempo. Todos sabem que ela está lá, mas talvez não saibam o nome dela. Então, da mesma forma que ela tem esse sentimento de liberdade quando voa de avião, ela sente o mesmo tipo de liberdade no anonimato.”

    A roteirista Emily Carmichael descreve essas sequências subterrâneas com Kayla como momentos de aventura Indiana Jones:

    “Kayla é solitária, uma profissional livre, mas um pouco arrogante. Ela vem de um mundo diferente de qualquer um dos outros personagens, porque a encontramos em um cenário de ação e aventura… este movimentado mercado subterrâneo de dinossauros. Ela ganha a vida lá, está familiarizada e confortável com isso, o que faz dela uma personagem admirável mergulhada em pura aventura – diferente dos outros personagens cientistas, exploradores de animais, executivos. Foi incrível assistir essa personagem nascer com DeWanda Wise.”

    Embora possa parecer cínica e mercenária, para DeWanda, sua personagem tem um código moral inegociável. Em um momento crítico, ela se tornará uma aliada inestimável de Owen Grady e Claire Dearing.

    “Se você é treinado em qualquer área militar, você sai com valores nobres. Kayla tem integridade, sensibilidade e honra. Mas parte do que me fascinou em Kayla é o fato de que ela não é perfeita. E você vai vê-la crescer e lidar com sua consciência.”

    Ramsay Cole (Mamoudou Athie)

    Ramsay Cole, interpretado por Mamoudou Athie, da série Arquivo 81, da Netflix, é o funcionário altamente qualificado da poderosa empresa de biotecnologia Biosyn. Embora o título oficial de Ramsay seja chefe de comunicações, o escopo de seu trabalho é muito maior.

    “Esse título, ele logo descobre, cobre uma ampla gama de responsabilidades porque, ao mesmo tempo, ele está sendo preparado como o segundo em comando de Lewis Dodgson. A Biosyn se apresenta como um celeiro de cientistas, com todos esses jovens gênios trabalhando para o avanço da humanidade, mas, na verdade, é movida pela ganância e quer o máximo de controle.”

    Quando Trevorrow descreveu o papel pela primeira vez para Athie, Ramsay era um idealista, o que despertou o interesse do ator:

    “Ele disse que Ramsay está lutando com a moralidade do que lhe serve versus o que serve ao mundo em geral. O personagem certamente evoluiu desde essa primeira conversa. À medida que nos aproximamos das filmagens, Ramsay ficou muito mais seguro sobre qual é a sua missão desde o início.”

    Trevorrow ficou satisfeito com a evolução do personagem:

    “Mamoudou é um ator brilhante, que sabe exatamente do que precisa para acreditar no que está fazendo. Em nossa busca pelas motivações do personagem, desenvolvemos a sua trajetória como um eixo da história. Foi a maneira mais perfeita de tratar o personagem. Honestamente, foi um daqueles momentos em que você se pergunta: ‘Por que não fiz isso antes?’.”

    O ator ficou impressionado com a versatilidade de seu diretor e a atenção dele para os detalhes:

    “Colin é um diretor fascinante porque sabe tudo sobre o trabalho de câmera e os animatrônicos, mas também é ótimo em conversar e ouvir os atores. Ele navega por esses dois muitos com tanta desenvoltura que parece até meio mágico.”

    Lewis Dodgson (Campbell Scott)

    Lewis Dodgson, o CEO da Biosyn, é interpretado por Campbell Scott, de O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro. Em Jurassic Park, de 1993, ele conspirou com Dennis Nedry para contrabandear embriões de dinossauros para fora do parque em uma lata de Barbasol.

    O ator comentou:

    “Dodgson tinha uma presença muito maior nos livros do que em Jurassic Park. Mesmo que a história do personagem nos livros seja diferente, em Domínio eu queria trazer para a telona alguns dos elementos que Crichton concebeu originalmente. Dodgson e a Biosyn operam de maneira obscura. Nada vai impedi-lo de obter informações, onde quer que elas estejam. Mas, como quase todos os vilões, Dodgson não se vê como um vilão. De certa forma, acho que Dodgson tinha uma personalidade problemática desde o início, mas era talentoso em aplicar tecnologia à ciência. Quando teve um gostinho do poder e dinheiro que poderia ganhar, começou a se transformar nessa pessoa. Nos livros, há momentos em que Dodgson é apenas um sociopata, mas não é tão divertido interpretar um simples sociopata. É muito mais interessante interpretar um sociopata com nuances e intenções interessantes por trás de suas ações.”

    Dodgson considera qualquer efeito colateral negativo de suas ações como meros contratempos. O diretor Colin Trevorrow diz:

    “A performance de Campbell Scott é tão matizada, rica, profunda e estranha, ele encontrou essa maneira de criar um personagem como se fosse um híbrido de personagens que conhecemos no mundo real… mas ainda é o seu Dodgson desagradável. Quando você percebe quão horrível ele é, espero que torça para sua desgraça… se acontecer.”

    Para Campbell Scott, o elenco estar hospedado no mesmo hotel contribuiu muito para a produção:

    “Vindo do teatro, estou acostumado a passar muito tempo nos bastidores com colegas de elenco. Nas filmagens de Domínio, todos nós vivemos juntos, por causa dos protocolos do Covid, o que nos permitiu simplesmente sair, jantar juntos, ensaiar, o que não aconteceria normalmente em uma produção de cinema. E Colin estava trabalhando com os atores o tempo todo, sempre que aparecia uma chance. Fez toda a diferença, especialmente para uma produção deste escopo e desta envergadura.”

    Soyona Santos (Dichen Lachman)

    Soyona Santos, interpretada por Dichen Lachman, da série Ruptura, da Apple TV+, é uma mulher misteriosa, a ligação entre a Biosyn e o submundo do contrabando de dinossauros, mas suas intenções são desconhecidas.

    A atriz comentou:

    “Colin descreveu Soyona para mim como alguém que chegou ao topo do que faz e não precisa mais sujar as mãos, porque tem outras pessoas para fazer isso por ela. Depois que consegui o papel, escrevi uma longa história para a personagem, como ela chegou aonde está, que contribuiu para sua caracterização no filme. Foi divertido ser capaz de ajudar a construir um pouco a personagem, mesmo que o público não necessariamente veja tudo isso.”

    Para Dichen Lachman:

    “Soyona é definitivamente motivada por dinheiro e poder. Ela é durona, forte e determinada. No final das contas, ela só quer fazer o seu trabalho. Há também muita ambiguidade na personagem. Ela tem tarefas a cumprir, mas além disso, é um tanto misteriosa.”


    Jurassic World Domínio já está disponível nos cinemas.

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    Deadpool e Wolverine: Confira o primeiro trailer oficial do longa!

    Deadpool e Wolverine chegará aos cinemas em julho! Confira o trailer oficial com detalhes de enredo e o que pode vir por aí!

    TBT #273 | ‘Vida Bandida’ é uma comédia repleta de diversão e simpatia

    Vida Bandida acompanha a história de um grupo de ladrões de banco. Estrelado por Bruce Willis e Cate Blanchett.

    A saga olímpica no cinema: Uma jornada de superação e emoção

    Entre dramas, comédias e até mesmo criminais, a melhor maneira de se preparar para as Olimpíadas é conhecendo as melhores histórias da competição.

    Superman: Possíveis vilões do novo filme do Homem de Aço

    Superman ganhará um novo filme. Apesar de quase todo o elenco do filme ter sido anunciado, os vilões ainda são mantidos em segredo.