Início QUADRINHOS Crítica CRÍTICA | The Boys – Vol. 12: Metendo o Pé na Porta...

CRÍTICA | The Boys – Vol. 12: Metendo o Pé na Porta (2020, Devir)

The Boys: Volume 12 ou The Boys: Metendo o Pé na Porta é a edição final das hqs de Garth Ennis e Dareck Robertson. A distribuição no Brasil é realizada pela editora Devir.

SINOPSE

Após vencerem de vez Os Sete, os Rapazes agora tentam viver uma vida mais “normal”. Entretanto, um aliado agora está os caçando e as coisas não são mais como eles imaginavam e eles correm um grande perigo. Será que eles vão sobreviver?

ANÁLISE

Em 2006, a primeira hq de The Boys trazia um grupo totalmente doido e brutal, uma vez que seu principal objetivo era aniquilar super-heróis de todas as formas possíveis. Eis que 14 anos depois essa página se fecha, de uma forma bem polêmica, assim como lá no início.

Os fãs podem ficar perplexos com tudo que foi apresentado ao longo dos anos, pois, de fato, houve uma subversão. Todavia, esse fechamento com um jogo de gato e rato nada usual é algo que faz muito sentido na trama.

The Boys

Mais uma vez a brutalidade de Billy Butcher é mostrada de forma bem visceral. Seu caráter canalha é apresentado no ápice no décimo segundo volume da hq. Os dois últimos volumes de The Boys são bastante sangrentos, pois trazem batalhas épicas que colocam o máximo da violência para fora. 

As reviravoltas mirabolantes do texto trazem um sentimento de satisfação, contudo, um sabor agridoce fica no ar, pois nossos heróis vão encontrando finais não tão satisfatórios para quem os acompanhou por tanto tempo.

VEREDITO

The Boys: Volume 12 é um final sangrento, polêmico, mas com tudo a ver ao que foi apresentado ao longo de 14 anos.

Com uma trama violenta, complexa e que une muito bem o sadismo de seus atores com uma trama política complexa que nos deixa com um sorriso de satisfação no rosto em seu encerramento.

Nossa nota

4,5/5,0

Editora: Devir

Autores: Darick Robertson e Garth Ennis

Páginas: 192

E você, gosta de The Boys? Deixe sua opinião!

CRÍTICA – The Boys: Vol. 1Vol. 2Vol. 3Vol. 4Vol. 5 Vol. 6.

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – EncrenCão (2021, Kevin Johnson)
Próximo artigoCRÍTICA – Aqueles Que Me Desejam a Morte (2021, Taylor Sheridan)
Relações-públicas, gremista, nerd, escorpiano e palestrinha. Parece futebolista, pois só vive descendo a lenha. DC é melhor que Marvel, todavia, amamos as duas.