Início SÉRIE Crítica CRÍTICA – Hunters (1ª temporada, 2020, Amazon Prime Video)

CRÍTICA – Hunters (1ª temporada, 2020, Amazon Prime Video)

133
0
Hunters: Tudo que sabemos sobre a série da Amazon

Hunters é a mais nova série original da Amazon Prime Video, criada por David Weil e produzida por Jordan Peele (Corra!, Nós), chegou ao catálogo do serviço de streaming no dia 21 deste mês.

O ENREDO

A série se passa em 1977 e acompanhamos um grupo diversificado de caçadores nazistas na cidade de Nova Iorque, que descobrem que criminosos de guerra nazistas estão conspirando para criar um Quarto Reich nos EUA.

O ELENCO

Al Pacino como Meyer Offerman.

Hunters tem alguns nomes conhecidos, e entre eles estão Logan Lerman (da franquia Percy Jackson) que vive o jovem Jonah Heidelbaum Al Pacino (que dispensa apresentações) que interpreta Meyer Offerman, um sobrevivente da Segunda Guerra Mundial e seus campos de concentração.

PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Al Pacino: 10 filmes com suas melhores atuações

Além de Lerman e Pacino, completam o time dos Caçadores: Kate Mulvany (O Grande Gatsby) como a esquentada Irmã Harriet, Josh Radnor (o Ted, de How I Meet Your Mother) como o ator de talento duvidoso Lonny Flash, Tiffany Boone (The Following) como Roxy Jones: uma americana negra, divorciada e cheia de talento para alterar cenas de crime.

Roxy, Murray, Mindy, Jonah, irmã Harriet, Lonny Flash e Joe.

Louis Ozawa Changchie (Predadores, O Legado Bourne) é o ex-militar Joe Torrance, que é o “homem de armas” do grupo, bem como Carol Kane Saul Rubinek que interpretam o casal de judeus Mindy e Murray Markowitz, responsáveis por fornecimento de armas e codificação de mensagens.

No lado dos nazistas, dois merecem destaque: Dylan Baker como o frio e caricato Biff Simpson (The Good Wife, O Âncora 2), um ex-militar nazista conhecido como “O Açougueiro” e que nos choca nos primeiros minutos de Hunters.

Greg Austin como o americano Travis Leich é um fanático pelas ideias de Hitler, porém tão louco quanto o próprio ditador alemão.

Junte ideais nazistas com o ego americano e você tem um personagem digno de entrar no “Hall dos Vilões”. O ator consegue entregar a loucura do personagem até mesmo no olhar.

E correndo por fora, temos Jerrika Hinton (Gossip Girl, Bones, Scandal e Grey’s Anatomy) como a investigadora do FBI, Millie Morrisuma mulher negra, gay (em segredo) e novata na corporação.

Se parássemos aqui, somente com esse elenco diversificado já teríamos muito material para uma produção cheia de reviravoltas, mas a Amazon preferiu “nadar na superfície” da história.



CONTEXTO HISTÓRICO

Em Setembro de 1939 teve início a Segunda Guerra Mundial após a invasão da Polônia pela Alemanha, com a Inglaterra e França apoiando os poloneses.

Em 1940, Hitler e seu exército invadiram também a BélgicaHolanda Luxembrugo.

Em 1941 os nazistas partiram para a União Soviética (atual Rússia) e em Dezembro o Japão atacou Peral Harbor, onde a Alemanhã declarou apoio ao Japão e declarou gerra também contra os EUA.

A Segunda Guerra Mundial envolveu os Aliados (praticamente todo os países do mundo) e o Eixo (Alemanha, Itália e Japão), sendo esta a única vez que armas nucleares foram utilizadas (Hiroshima e Nagazaki) e resultou em aproximadamente 70 milhões de mortes.

Durante esse período foram criados muitos campos de concentrações e com a Europa ocupada pelos nazistas, cerca de 6 milhões de judeus foram mortos. O período é conhecido até hoje com O Holocausto. Só em Auschwitz, o maior campo de concentração nazista foram mortas entre homens, mulheres e crianças (de todas as idades) cerca de 1,1 milhão de pessoas; a maioria delas judeus.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial e o início da Guerra Fria o serviço de inteligência militar dos Estados Unidos realizou a operação chamada Operação Clipe de Papel (Paperclip) para captar e levar aos EUA cientistas alemães especializados em foguetes, eletro-gravitação, armas químicas, e medicina após o colapso da Alemanha com a derrota da 2ª GM.

Apesar de não se qualificarem para um visto de entrada nos EUA, pois haviam servido a causa nazista durante a Segunda Guerra Mundial, esses cientistas (dentre eles Wernher von Braun) e suas famílias foram secretamente levados para os Estados Unidos, com o conhecimento e aprovação do Departamento de Estado norte-americano.



POLÊMICA

Em Hunters, a Amazon Prime Video apresenta diversos momentos históricos que são de fato importantes para mantermos viva a memória de quão repulsiva é a ideologia nazista, mas também se arrisca ao criar alguns eventos fictícios de um período tão cruel da história humana.

Logo após a estreia, a entidade Auschwitz Memorial responsável por manter o sítio histórico de Auschwitz, criticou duramente a Amazon após uma polêmica cena fictícia em um campo de concentração.

“Auschwitz era cheia de uma dor horrível e um sofrimento documentado nos relatos de sobreviventes. Inventar um jogo falso de xadrez humano para Hunters não é apenas uma loucura e uma caricatura perigosa. Também acolhe futuros negadores. Honramos as vítimas, preservando a precisão factual.”

Vale ressaltar que o único cientista alemão real apresentado em Hunters é Wernher von Braun um engenheiro e uma das principais figuras no desenvolvimento do foguete V-2 na Alemanha e do foguete Saturno V, que levou os astronautas dos EUA à Lua, em Julho de 1969.



VEREDITO DE HUNTERS

Com seus 10 episódios, Hunters tem um episódio piloto de 1h30min que poderia muito bem ter sido exibido em salas de cinema fechando com um cliffhanger para um próximo filme, porém por se tratar de uma série, seus nove episódios subsequentes poderiam muito bem ter sido mais curtos. Ou mantido a duração de 1h, mas reduzido o número de episódios para 6 ou até 8.

O elenco é principal é entrosado e a alegoria do Batman no primeiro episódio é bacana e faz total sentido com o desenvolvimento de Jonah (Logan Lerman) e seu tutor Meyers (Al Pacino)… quem viu a trilogia Batman, de Christopher Nolan, vai entender a referência ao fim da primeira temporada. 

A esquentada Irmã Harriet (Kate Mulvany) e o ator de talento duvidoso Lonny Flash (Josh Radnor) roubam as cenas em todas as suas participações. A primeira por ter um gênio forte e cheia de mistérios e o segundo por ser tão caricato que chega a ser cômico.

Hunter também acerta em “momentos explicativos nada convencionais” ao longo da trama. A forma que é apresentada são das mais bizarras possíveis, vide o “tutorial de como identificar um nazista” e o “show de calouros antissemita”.

Tirando os muitos momentos de “contatos com o além”, e os amigos de Jonah totalmente “aleatórios no rolê” a série acerta ao mostrar que nazistas sendo caçados nunca é ruim, mas peca ao querer inventar situações ficcionais para retratar um período tão delicado e cruel de nossa história.

Se você está animado para assistir Hunters, aqui vai um conselho de amigo: Não maratone!

A série não apresenta um ritmo frenético em que o espectador anseia pelo que acontecerá no próximo episódio; e por ter episódios longos, é capaz de você levantar do sofá com a “bunda quadrada”.

Deguste a série da Amazon Prime Video um episódio por vez como se fosse a apreciação de uma morte lenta de um chucrute nazista motherfucker.

E prepare-se para um final de explodir a cabeça!

Nossa nota

PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Filmes da cultura pop em que nazistas se ferram

Assista ao trailer legendado:

E você, já assistiu Hunters? Deixe seus comentários e lembre-se de dar também sua avaliação!

Nota do publico
Obrigado pelo seu voto



E ai, você curte o nosso trabalho?

Se sim, sabe que ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Comentários