Início SÉRIE Crítica Lovecraft Country: Episódio 6 – Meet Me in Daegu | Análise e...

Lovecraft Country: Episódio 6 – Meet Me in Daegu | Análise e referências

59
0
Lovecraft Country: Episódio 6 - Meet Me in Daegu | Análise e referências

No último domingo (20/9), Lovecraft Country estreou o episódio de número 6 intitulado Meet Me in Daegu. Nesse capítulo finalmente fomos apresentados à personagem Ji-Ah (Jamie Chung) e seu arco com Tic (Jonathan Majors), que se passa durante a Guerra da Coreia, em 1949.

O texto a seguir terá spoilers. Leia por sua conta e risco!

SINOPSE

No meio da Guerra da Coreia, a estudante de enfermagem Ji-Ah cruza o caminho de um Atticus ferido, que não se lembra de seu primeiro encontro violento com ela.

LEIA TAMBÉM:

Lovecraft Country: Análise e referências

Episódio 5 – Strange Case

Episódio 4 – A History of Violence

Episódio 3 – Holy Ghost

Episódio 2 – Whitey’s on the Moon

Episódio 1 – Sundown

ANÁLISE

Se no episódio Strange Case nós tivemos um desenvolvimento das histórias secundárias e pouco avanço da trama principal, em Meet Me In Daegu o roteiro nos apresenta a uma peça-chave de todos os acontecimentos da vida de Tic: Ji-Ah.

A personagem sul-coreana já havia aparecido em diversos episódios, seja por meio de citações ou alucinações. Agora, finalmente somos apresentados à sua história, conectando alguns pontos que, até então, permaneciam sem resposta.

Lovecraft Country: Episódio 6 - Meet Me in Daegu | Análise e referências

O episódio inicia na cidade de Daegu nos anos de 1949/1950. Ji-Ah vive com sua mãe Soon-Hee Meeh (Cindy Chang) e busca se formar como enfermeira para trazer honra para a sua família. Desde a morte de seu padrasto, a família de Ji-Ah vem sofrendo retaliação de seus vizinhos, o que torna a vida das duas muito difícil.

Em um primeiro momento, Soon-Hee deixa claro que Ji-Ah precisa trazer homens para a casa, como uma forma de restaurar o equilíbrio e a honra da família. O espectador entende que isso significaria um casamento, já que – algumas cenas depois – vemos Ji-Ah envolvida em encontros com alguns homens coreanos.

Porém, em uma reviravolta inusitada, descobrimos que Ji-Ah é, na verdade, uma Kimiho. Na cultura coreana, uma Kimiho é uma raposa que possui 9 caudas que se transforma em uma bela mulher para atrair os homens e roubar seus órgãos. Nesta adaptação, no entanto, ela suga almas e memórias.

Lovecraft Country: Episódio 6 - Meet Me in Daegu | Análise e referências

Por meio de uma cena extremamente sangrenta, é explicado que Soon-Hee invocou o espírito de uma Kimiho para dentro de sua filha como forma de se vingar de seu marido – que estuprava Ji-Ah desde nova.

Com a ajuda de uma xamã, Soon-Hee fez um acordo de que Ji-Ah iria sugar a alma de 100 homens em troca da vingança contra seu marido. Ao chegar na alma 99, porém, Ji-Ah começa a questionar se ela realmente gostaria de modificar sua essência e dar um passo à frente em sua jornada.

Conforme os soldados americanos vão tomando conta do território sul-coreano, o trabalho de Ji-Ah no hospital se torna cada vez mais difícil, impedindo que ela tenha tempo de atrair homens para dentro de sua casa.

É no hospital que ela desenvolve um laço com sua colega Young-Ja (Prisca Kim), que ela considera sua melhor amiga. Um dia, porém, todas as enfermeiras do turno de Ji-Ah são levadas pelos soldados americanos como possíveis espiãs comunistas. É nesse momento que vemos Tic em ação, matando inocentes à queima roupa.

Lovecraft Country: Episódio 6 - Meet Me in Daegu | Análise e referências

Young-Ja assume ser a espiã que todos procuram, e é levada por Tic e seus colegas soldados, enquanto as outras enfermeiras são liberadas. Algum tempo depois, devido a um ataque sofrido em sua unidade, Tic é internado no hospital em que Ji-Ah trabalha. Ela, então, trama um plano para torná-lo a centésima alma a ser sugada.

O plano acaba não dando certo, pois Ji-Ah se apaixona por Tic, e eles acabam embarcando num relacionamento. Ela até consegue controlar suas caudas durante as relações com ele, comprovando que talvez ela não precise mudar – ou se livrar daquele espírito – para ser ela mesma. A decisão acaba criando uma rixa entre ela e sua mãe.

Como já vimos em outros episódios, as coisas entre Tic e Ji-Ah não deram certo. Em meio a uma cena que Ji-Ah está completamente entregue ao amor de Tic, suas caudas saem de seu corpo e se preparam para sugar a alma dele. É nesse momento que as caudas que saem de seus olhos entram em contato com os olhos de Tic e ela passa a ver suas memórias.

Lovecraft Country: Episódio 6 - Meet Me in Daegu | Análise e referências

Algo diferente acontece desta vez: Ji-Ah acaba vendo o futuro de Tic. Durante as cenas que passam em vários segundos, vemos uma imagem de Leti (Jurnee Smollett); Tic deitado em uma cama com uma outra mulher; e também ele pendurado em algo, basicamente morrendo.

A experiência traumática faz com que Tic fuja de Ji-Ah, não dando tempo para que ela se explicasse. O episódio termina com Soon-Hee aceitando sua filha e indo ao encontro à xamã em busca de respostas. As últimas cenas possuem como voiceover uma gravação de Judy Garland (retirada da série Judy Speaks), atriz que Ji-Ah é fã e que aparece inúmeras vezes ao longo do episódio.

Podemos dizer que Meet Me In Daegu é um incrível episódio de apresentação de personagem. Nele conseguimos presenciar diversas nuances não só de Ji-Ah, que até então era pintada como alguém ruim, mas também de Tic. As ações de Tic durante a guerra são assustadoras, mostrando que ele pode ir até as últimas consequências – se for necessário – para conseguir o que quer.

Ji-Ah é uma menina amaldiçoada pela própria mãe. Ela sofre desde pequena devido aos abusos de seu padrasto e também com sua missão como Kimiho. Sua dualidade é incrível, pois da mesma forma que ela assiste a filmes de Judy Garland e sonha com um amor que a atinja como um relâmpago, ela também precisa cumprir seu destino como Kimiho, acabando com a vida de diversos homens.

Toda a espera para finalmente encontrarmos Ji-Ah valeu a pena, pois sua introdução em Lovecraft Country foi muito bem pensada. Jamie Chung me surpreendeu positivamente com sua atuação, me fazendo querer ver mais da personagem. Torço que ela venha ao encontro de Tic em Chicago.

Os efeitos especiais foram novamente muito bem utilizados nesse episódio. Apesar das cenas já conhecidas do estilo HBO, que por vezes são excessivas em seus contextos sexuais, as transformações de Ji-Ah com suas caudas são aterrorizantes. Se torna mais impressionante ainda comparando a arte conceitual com o resultado final em tela.

Lovecraft Country: Episódio 6 - Meet Me in Daegu | Análise e referências

Outro ponto interessante é a forma como Lovecraft Country desconstrói a imagem dos Estados Unidos salvador em terras estrangeiras.

O discurso de Soon-Hee para Ji-Ah escancara os crimes de guerra cometidos pelos americanos contra as mulheres coreanas, além da conversa entre Tic, Ji-Ah e um soldado americano descendente de asiáticos sobre eles se sentirem sempre estrangeiros discriminados, independente se estão em seu solo natal ou não.

Os horrores da guerra, atrelados ao terror sobrenatural de Lovecraft Country, tornam Meet Me In Daegu um dos episódios mais tensos da temporada até agora.

REFERÊNCIAS

Assim como o episódio anterior, Meet Me In Daegu não possui grandes referências de literatura além de O Conde de Monte Cristo, publicação que aparece corriqueiramente nos episódios do seriado. Porém, existem alguns easter eggs interessantes.

O nome do episódio é inspirado no longa Meet Me In St. Louis – no Brasil traduzido como Agora Seremos Felizes -, filme a que Ji-Ah está assistindo no cinema, estrelado por Judy Garland. Na história, as quatro irmãs da família Smith se preparam para uma mudança para Nova Iorque enquanto aprendem diversas lições de vida.

Lovecraft Country: Episódio 6 - Meet Me in Daegu | Análise e referências

O uso de Judy Garland durante esse episódio pode ser interpretado como uma alusão à vida de Ji-Ah controlada por sua mãe. Garland, que recentemente foi tema do filme Judy: Muito Além do Arco-Íris (rendendo o Oscar de Melhor Atriz para Renée Zellweger), sofreu muito nas mãos de Hollywood e de sua família, falecendo aos 47 anos.

Como já mencionamos antes, O Conde de Monte Cristo aparece inúmeras vezes durante os episódios de Lovecraft Country. Até então, nós acreditávamos que ele aparecia constantemente apenas por ser o livro favorito de Montrose (Michael Kenneth Williams).

Entretanto, com o background envolvendo Ji-Ah e Tic é possível perceber que, todas as vezes que nos deparamos com o livro, ele tem um segundo significado, como uma lembrança constante da primeira experiência sobrenatural de Tic e seu assunto inacabado com Ji-Ah. Afinal, descobrimos que eles não “terminaram”, né?

Lovecraft Country: Episódio 6 - Meet Me in Daegu | Análise e referências

A cena de Tic e Ji-Ah na mansão Braithwhite também nos traz algumas teorias. O fato de Ji-Ah estar uniformizada e atacando Tic pode ser uma alusão à culpa que Tic sente pelo que fez com Young-Ja, a amiga de Ji-Ah.

Ao término do episódio, vemos Ji-Ah encarando uma raposa, enquanto Judy Garland faz seu monólogo. A cena deixa a entender que Ji-Ah se tornou uma só com a raposa presa em seu corpo e as memórias das vítimas que ela sugou. Porém, o episódio deixa em aberto o que Ji-Ah e sua Umma (mãe) terão que sacrificar para que ela possa seguir seu caminho dessa forma.

Lovecraft Country: Episódio 6 - Meet Me in Daegu | Análise e referências

Dentre todas as dúvidas deixadas no último episódio, agora já sabemos que Tic realmente traduziu corretamente as escrituras encontradas no pergaminho de Titus. O feitiço descrito ali representa morte, o que vai ao encontro com as visões de Ji-Ah sobre o futuro de Tic.

VEREDITO

Meet Me in Daegu traz uma atmosfera completamente diferente para Lovecraft Country, se conectando com o tom do episódio Sundown. O horror da guerra, acrescido do terror cósmico, muda a direção do seriado e abre diversas possibilidades para os próximos episódios.

Jamie Chung é claramente uma ótima adição ao elenco principal, que já possui grandes nomes como Jurnee e o próprio Jonathan. Tanto Jamie quanto Cindy Chang performam muito bem juntas e criam um arco único e extremamente interessante – e que poderia render um ótimo spin-off!

Os próximos episódios prometem um desenrolar interessante para Hippolyta (Aunjanue Ellis) em sua busca pela verdade e também para Tic e os Braithwhite, porém eu espero que logo possamos reencontrar Ji-Ah em Chicago junto com os nossos heróis.

Nossa nota

4,0/5,0

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.