Início FILMES Crítica CRÍTICA – Bar Doce Lar (2022, George Clooney)

CRÍTICA – Bar Doce Lar (2022, George Clooney)

CRÍTICA - Bar Doce Lar (2022, George Clooney)

Bar Doce Lar (The Tender Bar) é o novo filme original da Amazon Prime Video. Dirigido por George Clooney, o longa traz em seu elenco nomes como Christopher Lloyd (De Volta para o Futuro), Tye Sheridan (Jogador Número 1), Ben Affleck (Batman vs Superman) e Lily Rabe (The Underground Railroad).

O longa, roteirizado por William Monahan, é uma adaptação do livro biográfico de J. R. Moehringer.

SINOPSE

Um rapaz que cresce em Long Island e procura figuras paternas entre os clientes do bar do seu tio.

ANÁLISE

Bar Doce Lar é a adaptação de um livro de memórias, que conta a história de vida do escritor J.R Moehringer em Long Island. A produção, dirigida por George Clooney, busca abordar de forma linear diversos momentos de vida de J.R, desde sua infância até a fase adulta.

Apesar de apresentar os acontecimentos em ordem linear, vez ou outra são aplicadas cenas do futuro entre alguns desenrolares importantes da trama. Essas inserções não fazem grande diferença na história e, por vezes, causam certa confusão, já que suas conclusões ficam soltas em meio aos acontecimentos.

Mesmo tendo menos de duas horas de duração, Bar Doce Lar parece se estender por tempo demais. O ritmo lento e a falta de acontecimentos interessantes na história torna a experiência um pouco vazia, nos fazendo questionar se existe algo especial nesta produção. Afinal, quantos outros filmes coming of age apresentam plots extremamente similares a esses?

Quem sai ganhando com isso tudo é Ben Affleck, que aqui interpreta o Tio Charlie. Mentor e estrela guia para o J.R. (Tye Sheridan), o personagem recebe os melhores momentos do roteiro de William Monahan, sendo um co-protagonista da história. Ao ter diálogos mais elaborados e momentos mais engraçados, Affleck se destaca bem mais que Sheridan, com um aproveitamento muito melhor em cena.

CRÍTICA - Bar Doce Lar (2022, George Clooney)

Desde Argo, as atuações de Affleck se tornaram um tanto mecânicas e pouco inventivas, mas 2022 parece ser mesmo o seu ano. Com uma indicação ao SAG Awards por Bar Doce Lar e muitos elogios por seu papel em O Último Duelo, Affleck parece ter se reencontrado como ator.

Tye Sheridan, por outro lado, já não é um ator que cause grande comoção com suas atuações. Atrele isso ao fato de seu personagem não possuir brilho nenhum, e você tem a receita para uma interpretação que passará em branco na temporada de premiações.

Apesar de trazer um elenco com nomes de peso, como os excelentes Christopher Lloyd e Lily Rabe, poucos são os momentos em que seus respectivos personagens têm espaço para desenvolvimento. Mesmo que existam arcos específicos desses personagens com J.R., nenhum deles possui o mesmo aproveitamento que Tio Charlie e os clientes do Bar.

VEREDITO

Bar Doce Lar é um filme comum. Com uma trama batida, que você encontra em diversos outros filmes, não há nada na história que realmente prenda a atenção ou cause alguma comoção. Entretanto, é um entretenimento que pode ser assistido por toda a família.

Nossa nota

2,8/5,0

Assista ao trailer:

Inscreva-se no YouTube do Feededigno

Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

Artigo anteriorNoites Sombrias #48 | 10 vampiros mais marcantes do cinema
Próximo artigoBel-Air: Conheça o elenco do reboot de Um Maluco no Pedaço
Relações-Públicas de formação. Com pós-graduação em Star Wars e universo expandido, mas Trekker de coração. Defensora de todos os Porgs, Ewoks e criaturas fofinhas da galáxia.