CRÍTICA – Shazam! Fúria dos Deuses (2023, David F. Sandberg)

    Em 17 de março chegará aos cinemas o capítulo que irá direcionar o DCU recentemente anunciando pelo agora co-presidente da DC Filmes, James Gunn ao lado de Peter Safran. O filme Shazam! Fúria dos Deuses tem David F. Sandberg como diretor, que retorna a frente desta sequência e uma nova aventura do agora adolescente Billy Batson diante de três deusas muito poderosas.

    O elenco é composto por Arsher Angel, Zachary Levi, Jack Dylan GrazerAdam BroodyIan Chen, Ross Butler, Jovam Armand, D.J. Cotrona e Grace Fulton. E conta também com as chegadas de Helen Mirren, Lucy Liu e Rachel Zegler como as deusas Héspera, Kalypso e Anthea; além de Djimon Housson retornando como o Mago Shazam.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Héspera e Kalypso: Conheça as vilãs de Shazam 2

    O filme é considerado parte do novo capítulo do DCU intitulado “Deuses e Monstros” que ainda incluem as produções Flash, Besouro Azul e Aquaman a serem lançados em 2023.

    SINOPSE

    Shazam! Fúria dos Deuses é a sequência de Shazam! (2019) que apresenta as aventuras do adolescente órfão Billy Batson (Asher Angel). Basta gritar a palavra: SHAZAM!, para que o jovem se transforme no super-herói adulto Shazam (Zachary Levi), dom que recebeu de um antigo mago.

    Um menino dentro de um corpo de herói, Shazam se diverte com seus superpoderes e começa a testar os limites de suas habilidades, mesmo que precise dominar estes poderes rapidamente para lutar contra as forças do mal.

    Nessa nova aventura, agraciado com os poderes dos deuses, Billy Batson e seus companheiros ainda estão aprendendo a conciliar a vida adolescente com os alteregos de super-heróis adultos.

    Quando um trio vingativo de deusas antigas chega à Terra em busca da magia roubada deles há muito tempo, Shazam e seus aliados são lançados em uma batalha por seus superpoderes, suas vidas e o destino do mundo.

    ANÁLISE

    Shazam consegue aprimorar a sua fórmula divertida para uma aventura épica sem deixar de lado o seu bom humor, diversão e dramaticidade. Sandberg mostra nesta nova oportunidade o quanto entende a respeito do universo que esta trabalhando e seus personagens. Shazam é um personagem que em sua essência sempre está conectado ao crescimento dos mais jovens e o seu potencial em fazer o bem.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Shazam: As 10 principais histórias do personagem que você deve ler

    No longa temos as questões individuais do herói que teme ser abandonado como ocorreu ao longo de sua vida. Entretanto o garoto acaba aumentando os conflitos entre ele e os outros membros da família. Nesta esfera a relação entre Batson e Rosa ainda está estagnada. Porém ao longo das duas horas e dez minutos, algumas interações entre ambos finalmente estreitam estes laços.

    Em Fúria dos Deuses vemos a família Shazam lidando com uma vida mais complexa e responsabilidade de proteger a cidade de São Francisco não ocorrendo como esperado. Deste modo Billy tenta os manter unidos enquanto seus irmãos começam a procurar seus próprios rumos.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Família Shazam! Conheça a família de heróis da DC

    Shazam é um filme de família e como tal, do lado das vilãs também existe uma família; sendo as três deuses filhas do Titã Atlas, que desejam recuperar o poder de seu pai e restabelecer o mundo como anteriormente.

    Núcleos familiares, sejam humanos ou divinos

    Dentre as três atrizes, Helen Mirren se destaca exibindo seu talento uma perspectiva pragmática de sua personagem Héspera que pretende restabelecer os deuses em sua glória.  

    Lucy Liu interpreta Kalypso, que tem uma personalidade mais agressiva e impiedosa, o oposto de Anthea; gerando o conflito familiar do outro lado enquanto o cajado mágico do Mago Shazam está em disputa entre ambos os lados.

    O filmes tem excelentes cenas de ação e a presença das criaturas mitológicas se torna muito mais especial com a presença de unicórnios, minotauros e do dragão Ladão.

    Como esperado, as cenas de humor são excelentes e bem dosadas ao longo da trama, sendo encaixadas nos momentos mais adequados. Garantindo boas risadas em momentos inesperados, sem tornar algo repetitivo e enfadonho. Além do humor, a emoção faz parte do filme quando a família Shazam consegue entender os seus conflitos. De forma bem sútil, o crescimento neste aspecto ganha presença na trama culminando em uma cena excelente em seu terceiro ato.

    Shazam tem uma excelente conclusão e a sua participação especial não ofusca o protagonista. Mudando alguns conceitos estabelecidos em momentos anteriores deste universo e pavimentando o caminho para o que vem pela frente.

    Apesar das cenas pós-créditos indicarem qual será o próximo passo para Billy Batson, ainda não se sabe o que irá acontecer futuramente, mas é possível ter um vislumbre do cenário atual deste universo e como ele encara o seu heroísmo.

    VEREDITO

    Shazam! Fúria dos Deuses surpreende positivamente diante de suas expectativas; Com uma história clássica de super-heróis, divertida e épica, porém sem medo de se conectar ao universo ao qual pertence. Além de estabelecer novos conceitos para o que irá acontecer no futuro do DCU.

    Nossa nota

    4,5 / 5,0

    Assista ao nosso react do trailer:

    Shazam! Fúria dos Deuses chega aos cinemas nesta quinta, 17 de março.

    LEIA TAMBÉM:

    De Capitão Marvel à Shazam! Saiba tudo sobre o personagem da DC Comics

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    CRÍTICA: ‘Segredos de um Escândalo’ instiga, mas falha ao entregar narrativa incômoda

    Segredos de um Escândalo é o mais novo suspense estrelado por Julianne Moore e Natalie Portman. O longa adapta uma história real.

    TBT #264 | ‘Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal’ diverte, mas falha em entregar legado

    Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal é um dos muitos longas legados lançados nos anos 2000. O longa acompanha o amado Indy.

    CRÍTICA – ‘Bob Marley: One Love’ a voz do amor em tempos de guerra

    Bob Marley: One Love lança os espectadores por história emocionante, com músicas sobre amor, perseverança e biografia respeitosa.

    10 filmes indicados ao Oscar que você pode assistir na Netflix

    A Netflix recebeu 18 indicações ao Oscar; veja a lista completa dos filmes da gigante do streaming que concorrem na maior premiação do cinema.