Noites Sombrias #81 | 7 filmes de terror da A24 para assistir

    A A24 é uma referência quando se trata de filmes indie e tem muitos trabalhos interessantes da produtora que são sucesso de crítica e que muitas vezes nos deixaram com uma reflexão ou arrepiados.

    Confira nessa lista, sete obras que você precisa assistir:

    MIDSOMMAR: O MAL NÃO ESPERA A NOITE

    a24

    Abrindo a lista temos o cineasta Ari Aster com o seu segundo e polêmico filme Midsommar: O Mal Não Espera a Noite, que dividiu opiniões do público, mas que foi um sucesso na crítica especializada.

    Na trama, Dani (Florence Pugh) está de luto após viver uma perda e seu namorado Christian (Jack Reynor), juntamente com seus amigos, decide levar a moça para um vilarejo na Suécia. Lá, coisas estranhas começam a acontecer e a sociedade que era aparentemente dócil começa a demonstrar comportamentos nefastos.

    Midsommar é o tipo de filme que tem a cara da A24, pois traz reflexões sobre como as pessoas das grandes cidades, ou até mesmo de países que possuem uma soberania maior, lidam com o que é diferente, muitas vezes desrespeitando culturas em detrimento de seu senso de superioridade. Além disso, a direção de Aster é muito precisa, visto que consegue trabalhar o medo com a luz do dia, em cenários claros e cheios de vida, o que gera um sentimento de tensão bastante incomum, algo que diferencia a obra das demais.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA | CRÍTICA – Midsommar: O Mal Não Espera a Noite (2019, Ari Aster)

    O SACRIFÍCIO DO CERVO SAGRADO

    o sacrifício do cervo sagrado

    Seguindo a lista de filmes de terror e suspense da A24, temos O Sacrifício do Cervo Sagrado, longa bastante perturbador que traz uma atuação monstruosa de Barry Keoghan como o antagonista da história.

    Steven (Colin Farrell) é um cirurgião talentoso que carrega uma culpa imensurável em suas mãos após uma cirurgia malsucedida que acaba matando o pai de Martin (Barry Keoghan). Agora ele quer compensar isso tendo uma relação paternal com o rapaz, mas acaba descobrindo que a intenção de Martin é outra.

    Com um clima de tensão contínua, diálogos com mensagens claras sobre privilégio, além de uma temática coven, O Sacrifício do Cervo Sagrado é o tipo de obra que deixa a agente de cabelos em pé a cada minuto que passa, muito por conta do trabalho sensacional de Yorgos Lanthimos e do elenco que entendeu o que ele queria.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA – TBT #182 | O Sacrifício do Cervo Sagrado (2017, Yorgos Lanthimos)

    SALA VERDE

    sala verde

    Sala Verde é um dos injustiçados dessa lista de filmes de terror e suspenses da A24, visto que tem muita qualidade e é pouco falado dentro do leque incrível de opções que existem na produtora.

    Um grupo de rock está tentando ganhar a vida e um amigo de um dos membros consegue um show no interior dos Estados Unidos. Quando a banda chega lá, se depara com uma gangue de neonazistas e agora tem que sobreviver no meio de vários assassinos sanguinários.

    Sala Verde foi um dos últimos trabalhos de Anton Yelchin, que manda bem demais como o protagonista, atuando ao lado de Patrick Stewart que está monstruosamente ameaçador. O longa é carregado de momentos insanos e merece muito uma chance.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA – Noites Sombrias #52 | Sala Verde (2015, Jeremy Saulnier)

    A BRUXA

    Talvez o mais polêmico da lista, A Bruxa colocou a A24 no radar de todos, pois trouxe uma obra atemporal e que foi marcante, para o bom e para o mal.

    Thomasin (Anya Taylor-Joy) é uma jovem de uma família conservadora da Nova Inglaterra. Após um desaparecimento, ela deve lidar com seu pai cruel e com situações sinistras.

    O longa dirigido por Robert Eggers não se baseia em sustos baratos, tampouco em aterrorizar com clichês básicos, e sim, de colocar as atuações lá no alto e um texto denso e complexo sobre conservadorismo e religião, criticando de forma bastante aberta as falhas desses dois pilares. Se você busca um filme mais no estilo de terror de shopping, passe longe de A Bruxa.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Robert Eggers: A mente por trás de O Homem do Norte

    SANTA MAUD

    Seguindo a lista, um outro filme que dividiu o público, mas que foi aclamado pela crítica especializada, é Santa Maud, longa de 2019, dirigido por Rose Glass, que fala de forma bastante crítica do fanatismo religioso.

    Na trama, acompanhamos Maud (Morfydd Clark), uma jovem enfermeira bastante religiosa que acabara de sair de uma clínica de reabilitação e que agora tem a missão de cuidar de Amanda (Jennifer Ehle), uma experiente dançarina que está com um câncer devastador. Agora a protagonista começa a ter uma obsessão pela sua paciente, tentando salvar a sua alma corrompida.

    Santa Maud é um filme brutal e que mostra como a fé cega pode destruir a mente de uma pessoa. Cheio de momentos tensos, o longa é perturbador, mesmo que seja um pouco lento, o que pode afastar muitos espectadores. A direção é precisa e o texto é denso, ou seja, vá com tranquilidade que será recompensado.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA | CRÍTICA – Santa Maud (2021, Rose Glass)

    X: A MARCA DA MORTE

    a24 - x -a marca da morte - melhores filmes de horror

    O novo longa da A24, dirigido por Ti West, é X: A Marca da Morte, que traz um grupo de jovens cineastas que pretende fazer um filme pornô em uma fazenda com dois moradores estranhos e que escondem segredos obscuros.

    Com uma estética setentista que lembra e muito o primeiro O Massacre da Serra Elétrica (1974), X é um prato cheio para quem curte um slasher de qualidade, uma vez que as atuações são excelentes, a direção é muito competente e a obra é bastante divertida com uma mensagem bem impactante sobre as agruras de envelhecer e do conservadorismo exacerbado de uma geração que foi reprimida sexualmente. Vale muito a pena!

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA – Noites Sombrias #77 | X: A Marca da Morte (2022, Ti West)

    HEREDITÁRIO

    Abrimos a lista com Ari Aster e vamos fechá-la com ele também!

    Hereditário conta a jornada da família Graham que acabara de perder a avó e depois de mais um grande acidente, perde uma pessoa muito importante, gerando um luto destruidor no cerne deles.

    Perturbador, com atuações em nível de Oscar, uma direção magnífica e um roteiro muito bem estruturado, Hereditário é um dos melhores filmes da A24 e uma opção excelente dentro do gênero de terror, uma vez que nos deixa de cabelos em pé e queixo caído ao final. Várias cenas são chocantes e o contexto coven com um terceiro ato insano dão a premissa de uma obra marcante e que deve ter uma chance na sua lista de longas para assistir. Veja e depois me agradeça!

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Hereditário: Por que você deve assisti-lo

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    TBT #266 | ‘Protegendo o inimigo’ mostra o que o gênero de espionagem tem de melhor

    Protegendo o Inimigo de 2012 é estrelado por Ryan Reynolds e Denzel Washington. O longa conta uma história de gato e rato entre espiões e a CIA.

    CRÍTICA: ‘O Menino e a Garça’ é um desabafo sobre passado, presente e futuro

    O Menino e a Garça é dirigido por Hayao Miyazaki. O longa conta a história do jovem Mahito que precisa resgatar sua mãe em um mundo fantástico.

    CRÍTICA: ‘O Mal que nos Habita’ um álbum de death metal em formato de filme de terror

    O Mal que nos Habita é o mais novo longa de horror argentino que tomou o mundo. Repleto de body horror e sequências de terror, você se surpreenderá.

    TBT #265 | ‘Kill Bill’ é um clássico atemporal de vingança

    Kill Bill Vol. 1 é estrelado por Uma Thurman no papel da Noiva, uma heroína em busca de vingança por tudo que foi tirado dela.