CRÍTICA – Rainbow Six Extraction (2022, Ubisoft)

    Rainbow Six é uma das franquias mais lucrativas da Ubisoft. Os games que nasceram com uma premissa base, de impedir a todo custo ameaças terroristas, se tornou muito mais nos anos seguintes. O nome Rainbow, vem pelo fato da equipe ser formada por indivíduos de diversas nacionalidades. Agora, Rainbow Six Extraction nos apresenta um mundo mais diverso e muito mais desafiador.

    Intitulado previamente como Rainbow Six Quarantine quando foi anunciado em 2019, o game ganhou um novo nome após um atraso em seu desenvolvimento em meio à pandemia.

    Tendo sido lançado no dia 20 de Janeiro, mergulhamos de cabeça no novo capítulo da franquia Rainbow Six com Extraction.

    SINOPSE

    O parasita Chimera que causou uma Epidemia no Novo México apareceu novamente nos EUA, mais mortal que nunca e se espalhando rápido. Para se preparar para qualquer futura ameaça, foi criada a REACT (Equipe Rainbow de Análise e Contenção Exógena), uma organização altamente especializada e preparada. Como Agente essencial da REACT, é sua missão confrontar as criaturas misteriosas conhecidas como Archæans.

    ANÁLISE

    Rainbow Six Extraction

    Após se tornar uma franquia de imensa importância para o cenário competitivo e os E-Sports, Rainbow Six Siege evoluiu e se tornou muito mais. Extraction é a continuação da franquia que nos apresenta os mesmos operadores do passado e suas mais diversas facetas e habilidades para derrotar os Archeans de maneira que apenas a equipe REACT é capaz de fazê-lo.

    Por meio de uma equipe de três pessoas, o desenvolvimento do game nos leva por diferentes lugares dos Estados Unidos em 14 mapas diferentes.

    O Parasita Chimera é uma das mais potentes ameaças que precisamos evitar a fim de obter êxito nas missões. Ainda que a história do game revele que o Parasita seja algo tão antigo quanto a formação do Universo – tendo surgido há cerca de 16 bilhões de anos, ele viajou pelo espaço e se depositou por diversos planetas, incluindo a Terra.

    Com uma jogabilidade um tanto parecida games como Back 4 Blood e World War Z, Extraction se inspira em games de survival horror e nos oferece uma bela experiência multiplayer.

    É ONLINE, MAS DÁ PRA JOGAR SOZINHO

    Rainbow Six Extraction

    Grande parte do brilho de Rainbow Six Extraction se dá ao seu fator gameplay. Primeiro precisamos levar em conta que grande parte da gameplay é baseada em cooperação.

    Conforme avançamos, nossa equipe precisa cumprir três distintos objetivos ao longo das fases. Cada um deles com diferentes dificuldades. Como o confronto com Proteans de diferentes níveis de dificuldade esperados, esses conflitos e as ameaças presentes nas missões podem levar nossos personagens à derrota.

    Ao perder um dos nossos parceiros de equipe, seu corpo é envolvida em uma espuma de estase a fim de proteger sua integridade física. Ao longo dessa missão, é possível salvar seu parceiro caído, levando para extração. Mas caso você esteja no modo singleplayer, tenha em mente que você pode salvar seus personagens caídos da mesma forma, mas rejogando os mapas onde você os perdeu para o Chimera.

    A forma da Ubisoft nos lançar no mundo em constante destruição, apresenta diversas dificuldades, desde esporos escondidos pelo mapa que podem te cegar diante de um inimigo, até mesmo minas, que também te cegam.

    É bom sempre estar em uma equipe quando mergulhar no mundo de Rainbow Six Extraction, pois conforme a progressão não só sua, mas também de seus personagens, você pode ter em seu arsenal e seua galeria de personagens as habilidades necessárias para fazer frente à ameaça que o Chimera impõe sobre o mundo.

    Ao começar sua aventura com apenas 9 operadores. Caso você não tenha cuidado, os perderá. Mas jogando em equipe, reforçando paredes a fim de cumprir os objetivos sem muitos problemas, você não terá que fazer nenhum Resgate de MIA.

    Tenha em mente, que se passarmos grande parte das missões com pouca vida, ao final das rodadas, seu personagem permanecerá “Inativo” até que a próxima missão chegue ao fim.

    Ou seja, existe uma diferença: MIA, você precisa resgatá-lo; Inativo, você só precisa chegar ao fim da próxima missão.

    VARIEDADE DE MISSÕES

    Enquanto a resistência tem intenção de descobrir mais sobre o Chimera, sua missão é cumprir uma variedade de missões que proporcionarão a você EXP necessária pra progredir tanto com seus personagens, como seu nível de jogador – a progressão do nível de jogador, garantirá recompensas interessantes e a possibilidade de fabricar itens para que seu arsenal seja de fato nocivo e cause um relativo dano à empreitada do Parasita Chimera.

    Com cerca de 15 missões diferentes, sua gameplay será sempre diversa. E o fato delas serem rotativas, é quase garantido que você não pegará a mesma missão 2 vezes seguidas.

    Indo de Caçadas, até mesmo à Sabotagens, Biópsias e Resgates, Rainbow Six Extraction te garante a diversão necessária em 4 diferentes níveis de dificuldade para os jogadores mais experientes que querem um desafio.

    VARIEDADE DE MONSTROS E AMEAÇAS

    Como citado anteriormente, as ameaças do game não estão presentes apenas nos inimigos que você vai enfrentar. Mas estão também estão por vezes próximos às colméias escondidas, por meio de minas ou esporos cegantes, espalhados pelos cenários, ou no último lugar que você procurar.

    Até o momento em que esse texto foi escrito, o game conta com 11 organismos parasitários:

    • Grunt
    • Rooter
    • Breacher
    • Bloater
    • Spiker
    • Smasher
    • Lurker
    • Sower
    • Tormentor
    • Apex
    • Proteans

    A forma de derrotá-los são as mais diversas. Inclusive se levarmos em conta os 5 personagens mais poderosos do game, os Grunt, Breachers, Rooters, Smashers e Apex.

    Um dos elementos mais importantes do game, é levarmos as missões em conta, mas caso elas não estejam diretamente ligada à captura ou biópsia de um dito tipo de infectado, o melhor a fase sempre é destruir as colméias para evitar que você não fique cercado de inimigos.

    VEREDITO

    Rainbow Six Extraction

    Por meio de uma gameplay em equipe em conjunto com uma história poderosa, Rainbow Six Extraction é tão divertido quando importante para a indústria. Se atualizado da forma certa, o game poderá ter uma vida longa como seu antecessor Rainbow Six Siege teve, tendo sido lançado em 2015, o game ainda ocupa um papel importante em meio ao cenário competitivo de E-sports.

    Ver melhor e entende como o game funciona fez esse que vos escreve se dedicar imensamente a fim de trazer esse texto para você, leitor. A história criada pela Ubisoft, assim como tudo que a equipe de desenvolvimento da Ubisoft Montreal – o maior estúdio da Ubisoft – foi capaz de fazer, alçam a gameplay à um novo nível, nos fazendo questionar por vezes, o que mais a Ubisoft pode fazer a fim de impressionar assim?

    Tenham em mente, que Back 4 Blood e World War Z foram citados anteriormente apenas para efeitos comparativos. Rainbow Six Extraction inova onde os games do gênero survival apenas sonharam em chegar.

    Rainbow Six Extraction foi lançado no dia 20 de Janeiro para PlayStation 4, Xbox One, PlayStation 5, Xbox Series X e PC.

    Nossa nota

    4,5 / 5,0

    Confira o trailer do game:

    Estamos na Twitch transmitindo gameplays semanais de jogos para os principais consoles e PC. Por lá, você confere conteúdos sobre lançamentos, jogos populares e games clássicos todas as semanas.

    Curte os conteúdos e lives do Feededigno? Então considere ser um sub na nossa Twitch sem pagar nada por isso. Clique aqui e saiba como.

    Artigos relacionados

    EU CURTO JOGO VÉIO #2 | ‘Metal Gear Solid 3: Snake Eater’ é o topo da lista das cobras!

    Metal Gear Solid 3: Snake Eater foi lançado em novembro de 2004 para PS2, Nintendo 3DS e posteriormente para PS3 e para Xbox 360.

    CRÍTICA: ‘Final Fantasy 7 Rebirth’ leva a franquia a um novo nível

    Final Fantasy 7 Rebirth foi lançado. O game nos apresenta a continuação da aventura de Cloud na continuação do remake.

    Tekken 8: Confira as principais novidades do novo lançamento da franquia

    Tekken 8. A franquia de luta da Bandai Namco está completando 30 anos e sua nova entrada apenas mostra que não poderia estar em melhor forma.

    CRÍTICA: ‘Mario vs. Donkey Kong’ é um remake que diverte mas desafia

    Mario vs. Donkey Kong é o remake baseado no game homônimo de Game Boy Advance. Nele, controlamos Mario, que tenta recuperar seus Mini-Marios.