Início LIVROS Crítica CRÍTICA – Por Lugares Incríveis (2015, Jennifer Niven)

CRÍTICA – Por Lugares Incríveis (2015, Jennifer Niven)

2145
0
CRÍTICA – Por Lugares Incríveis (2015, Jennifer Niven)
“O que percebo agora é que o que importa não é o que a gente leva, mas o que a gente deixa.”

 

Jennifer Niven é a autora de Por Lugares IncríveisBestseller do New York Times que já foi traduzido para 35 línguas. Ela trabalha principalmente com livros do gênero young adult e temáticas polêmicas que necessitam de discussão.

Ele foi lançado nos Estados Unidos em 2015 pela editora Knopf Books for Young Readers e no Brasil também foi no mesmo ano, pela editora Seguinte. A adaptação cinematográfica de Por Lugares Incríveis já está em andamento, com estréia mundial programada para 2019.

Em primeiro lugar, a história fala de Violet  e Finch, dois estudantes muito distintos de ensino médio, de grupos sociais opostos e que se encontram de um modo inesperado. Os dois tiveram a mesma ideia no mesmo momento: se jogar do alto da torre da escola.

Confira a sinopse:

“Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.

Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia – visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota pára de contar os dias e passa a vivê-los.”

Os dois vivem sua situação difícil, a ponto de não conseguirem mais suportar. A partir do momento em que se encontram, passam a ter um ao outro para voltar a viver. Eles foram designados como dupla para fazer um trabalho de geografia que consiga em visitar pontos turísticos da cidade deles, Indiana.

A narração da história é constituída pelo ponto de vista dos dois personagens principais, Violet e Finch. Ao ler o ponto de vista de cada um, podemos presenciar os dramas do dia a dia deles. A dor do luto, a mágoa e os problemas que uma família desestruturada trás para um adolescente e a gravidade de uma doença mental.

Assim, fazendo as viagens para o trabalho eles saem de suas zonas de conforto e sofrimentos diários para conhecer novos lugares incríveis. Por consequência conhecem um ao outro, e mais importante, conhecem a si mesmos. E esse conhecimento os permite procurar uma saída para os seus problemas.

Acima de tudo, preciso dizer que é um livro pesado, mas escrito de uma maneira leve. Ele aborda o luto, a desestrutura familiar, a bipolaridade e o suicídio entre jovens. Portanto, é uma história de partir o coração. Já que te faz sorrir e chorar (mais chorar que sorrir) e principalmente, te faz refletir. É o tipo de obra que te marca por muitos anos depois da leitura.

Confira abaixo a capa de Por Lugares Incríveis e os detalhes da obra de Jennifer Niven:

Autora: Jennifer Niven
Editora: Seguinte
1ª Edição: 2015
Páginas: 336

Avaliação: Excelente

Quer conhecer outros livros? Então confira mais das nossas críticas literárias clicando aqui.

E aí, já leu Por Lugares Incríveis? Ficou curioso? Nos conte a sua opinião aqui nos comentários! Se achou legal, compartilhe com os seus amigos nas redes sociais:

Facebook – Twitter – Instagram – Pinterest

Curte eBook? Aproveite a oportunidade da Amazon e experimente gratuitamente por 30 dias o novo Kindle Unlimited, clicando aqui! Nele você terá acesso ilimitado a milhares de eBooks para ler à vontade. Aproveite!