Início QUADRINHOS Artigo Venom: Conheça o simbionte mais famoso da Marvel

Venom: Conheça o simbionte mais famoso da Marvel

Com mais de 30 anos de história, Venom se consolidou como um dos personagens mais adorados da Marvel. Inicialmente um vilão, ele já foi um anti-herói e até herói. Possui uma complexidade sobre sua necessidade de se conectar ao Homem-Aranha e ao mesmo tempo, é possuído por uma fúria após ter sido rejeitado pelo herói. Chegou o momento de ficar por dentro de tudo sobre o personagem!

ORIGEM 

 

A origem do simbionte alienígena foi mostrada no evento intitulado Guerras Secretas, quando foi usado como “uniforme” pelo próprio Homem-Aranha (que então não sabia que este era uma criatura viva). O “uniforme”, totalmente negro e com propriedades regenerativas e adaptativas aumentava as habilidades de Peter Parker, mas também potencializava sua agressividade. Assim, ao descobrir a real natureza de seu “uniforme”, o Homem-Aranha livrou-se do alienígena (ao, inadvertidamente, ser beneficiado pela fraqueza a ondas sonoras do simbionte).

Mais tarde, o simbionte acabou caindo sobre Eddie Brock, um jornalista fracassado do Clarim Diário, que culpava o herói aracnídeo pela sua ruína. Sentindo o ódio de Brock por seu inimigo, o simbionte ligou-se ao seu corpo, formando um ser de mente composta chamado Venom. Um ser com um único objetivo: matar o Homem-Aranha.

PODERES HABILIDADES 

O simbionte alienígena deu a Eddie Brock poderes similares aos do Homem-Aranha, como força, resistência, agilidade, reflexos ampliados, capacidade de lançar teias orgânicas, fator de cura acelerada, e imunidade ao “sentido de aranha” de Peter Parker.

Uma vez conectado a um hospedeiro, o simbionte compartilha as memórias e os poderes do indivíduo, podendo replicá-los no futuro. Foi o caso de Eddie Brock. Ao se tornar Venom, teve acesso às memórias do tempo que o simbionte esteve unido ao Homem-Aranha, descobrindo desse modo sua identidade secreta.

Para complementar o seu perfil, Venom também passou a ter capacidade transfórmica ilimitada, isso significa que ele pode imitar qualquer tipo de roupa, rearranjando sua biomassa. Nem sempre precisa estar na forma de um monstro enorme cheio de presas, pode muito bem se disfarçar de camisa, calça e jaqueta pretas. E além disso, ele consegue perceber fisicamente se algum de seus descendentes está por perto.

PRESENÇA NOS GAMES

Se nos quadrinhos Venom rapidamente se tornou um personagem de grande visibilidade, no universo dos jogos não foi diferente: os fãs já puderam lutar contra o vilão como chefão e até mesmo controlá-lo. Talvez o jogo mais famoso com aparição do personagem seja Spider-Man and Venom: Maximum Carnage, um beat em’ up lançado em 1994 para SNES e Mega Drive. O jogo adapta o quadrinho homônimo em que o jogador controla o Homem-Aranha e Venom por diversos níveis até chegar no supervilão Carnificina. Venom ainda apareceu em jogos como Spider-Man 3 (2007), adaptação do filme de mesmo nome, e nos aclamados Marvel: Ultimate Alliance (2006) e Marvel Ultimate Alliance 2 (2009).

VERSÕES ANIMADAS 

O simbionte já confirmou presença em grande parte das animações que integram o aranhaverso. Possivelmente uma das suas aparições mais famosas, é na série animada dos anos 90. Nesta trama, Venom sofre algumas modificações em relação à sua origem, mas os elementos principais permanecem os mesmos, em destaque o sentimento de vingança do Eddie sobre Peter Paker. Além disso, o alienígena também ganhou suas versões em Homem Aranha – Ação Sem Limites (1999), O Espetacular Homem-Aranha (2008), e entre outros surgimentos.

SUA MITOLOGIA NOS QUADRINHOS POR DONNY CATES

Em maio de 2018, a Marvel começou um novo relaunch chamado Fresh Start. Semelhante ao Rebirth da DC Comics, a iniciativa prometia trazer os personagens de volta ao básico. Entretanto, alguns títulos fugiram dessa linha, tais como Venom. Um quadrinho o qual vem chamando a atenção de muitos leitores lá fora.

No primeiro arco da revista, chamado Rex, acompanhamos Venom (Eddie Brock) tendo pesadelos sobre outros simbiontes na Terra, durante a Idade Medieval. O que os leva a um militar chamado Rex, revelando ao leitor a existência de hospedeiros militares, antes de Flash Thompson, o Agente Venom.

O roteiro de Cates condensa perfeitamente todos esses elementos, trazendo um verdadeiro épico de ação e horror. É notável as influências do roteirista em Lovecraft, Stephen King e até mesmo, George Miller. Eddie Brock aqui, é em suma, o Max de Mad Max. Um homem incompleto, impossível de ser definido, sobrevivendo a todo tempo, servindo como uma espécie de espectador em um show de loucuras. Cates inventa uma nova e incrível origem para os simbiontes, revelando que o planeta Klyntar, nada mais é do que uma prisão. Não apenas isso, ele cria um deus para eles, chamado Knull, o qual provavelmente, será um antagonista recorrente nas próximas edições.

FILME SOLO 

Nas telonas, a estreia de Venom não foi, digamos, das mais felizes. Homem-Aranha 3 (2007), conclusão da trilogia do diretor Sam Raimi, não teve a mesma recepção calorosa dos dois antecessores, e a versão que o ator Topher Grace encarnou de Eddie Brock não agradou os fãs ou a crítica. Após um hiato de 11 anos, a Sony ousou e apostou em um filme solo de Venom, protagonizado por Tom Hardy.

Ao todo, Venom (2018) acumulou U$ 856 milhões em todo o mundo, com destaque para o humor, que ninguém esperava que fosse marcar uma presença tão marcante. Não à toa, uma sequência foi devidamente confirmada, e até que o filme seja lançado, é possível ver e rever o longa no Telecine.

O QUE SABEMOS DE VENOM: TEMPO DE CARNIFICINA

A sinopse oficial não foi divulgada. No entanto, a partir do percurso do primeiro filme, na sequência acompanharemos a evolução do relacionamento entre os simbiontes Eddie Brock e Venom (Tom Hardy) e os embates entre duas espécies habitando o mesmo corpo. Também veremos Cletus Kasady (Woody Harrelson) como o vilão Carnificina pela primeira vez em live-action.

Além de Tom Hardy (Eddie Brock/Venom) e Woody Harrelson (Cletus Kasady/Carnificina), nomes conhecidos do primeiro filme como Michelle Williams (Anne Weying) e Reid Scott (Dan Lewis) também retornarão.

Assista ao trailer:

A direção de Venom: Tempo de Carnificina será de Andy Serkis, enquanto o roteiro ficará por conta de Kelly Marcel, responsável pelo primeiro filme. A sequência em parceria com a Sony Pictures tem previsão de lançamento para 24 de setembro.

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.