Início FILMES Crítica CRÍTICA – Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald (2018, David Yates)

CRÍTICA – Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald (2018, David Yates)

556
0
Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald

Esse é o segundo dos cinco novos filmes da franquia do mundo mágico de J. K. Rowling. É dela também o roteiro, e na direção o filme conta, novamente, com David YatesO elenco do primeiro filme é mantido e temos  o retorno de Eddie Redmayne (Newt Scamander), Johnny Depp (Grindelwald), Ezra Miller (Creedence) e Zoe Kravitz (Leta Strange), entre outros. Novos rostos também aparecem como o de Callum Turner, que interpreta Theseus Scamander, irmão de Newt e Jude Law que dá vida ao jovem Alvo Dumbledore.

O elenco é sensacional, atores de primeira grandeza. E os destaques são: Ezra Miller, que está mais maduro/seguro no personagem. O que é ótimo! Já que Creedence vai passar por diversas situações e revelações… Preparem-se para grandes emoções!

Da esquerda para a direita: Jude Law, Ezra Miller, Zoë Kravitz, Callum Turner, Katherine Waterston, Eddie Redmayne, Dan Fogler, Alison Sudol e Johnny Depp.

E, é claro, Johnny Depp. Ele rouba todas as cenas em que aparece. O ator, um verdadeiro camaleão, dá show de atuação no filme como o vilão Gellert Grindelwald. O seu monólogo, no filme, é um espetáculo à parte! Em especial a parte final, que com certeza será o gatilho do próximo filme.

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald nos mostra que após ser preso pela MACUSA com a ajuda de Newt (final do primeiro filme), Grindelwald consegue escapar e começa a reunir seguidores, com a intenção de que os bruxos de sangue-puro dominem o mundo. Surge então Alvo Dumbledore, que apesar de ser tão poderoso quanto Grindelwald, não pode enfrentá-lo. Dumbledore pede ajuda a Newt, acreditando que ele poderá impedir que o pior aconteça.

O novo longa de David Yates tem muitas sub narrativas e mistérios. Isso nos leva a perder um pouco do foco principal que é Newt como único capaz de intervir contra Grindelwald, tornando-o um pouco arrastado, cansativo e confuso.

São 2h14 de filme com aproximadamente uns 20 novos personagens e cinco histórias sendo contadas simultaneamente. Não é um filme fácil, pelo contrário, é muito complexo e exige total atenção do espectador. Não tire os olhos da tela nem por segundo! Fica minha recomendação. 😉

PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Animais Fantásticos 2: Teoria de Nagini é oficialmente confirmada

A fotografia e a trilha sonora de Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald mantêm o clima da história desde o início e com ajuda dos efeitos especiais – não só em alguma cena ou momento principal, mas também no plano de fundo em ações secundárias – ajudam na imersão desse universo de magia. E obviamente, temos muitos novos animais inseridos de forma natural na história. Tornando tudo simplesmente fantástico!

O figurino honra não só da saga criada por J.K. Rowling como a história, já que o filme se passa em 1927. O público conseguirá sentir que são trajes bruxos e ainda assim mais “retrô”.

Apesar de ser uma franquia a parte de Harry Potter, mas se compararmos, podemos afirmar que é o filme baseado nas obras Rowling, com mais ação até o momento. Temos aventuras do início ao fim. E, para quem pode, recomendo que o assista em 3D. Há diversas cenas que foram pensadas para esse tipo de projeção.

Então Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald é ruim? Não, longe disso! Apesar das diversas tramas, temos grandes revelações e muitas coisas passam a fazer sentido. É de arrepiar em muitos momentos!

Avaliação: Bom

Confira abaixo o trailer legendado:

O filme irá agradar a todos os potterheads (fãs da franquia Harry Potter). E até mesmo quem é só fã de cinema. Diversos temas são tratados e abertos a interpretação, alguns nos acertam em cheio. Vale muito a pena assistir!

Ah! Depois de assistir, volta aqui e me diz o que achou.

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald chega aos cinemas nesta quinta-feira, 15/11.

Esta crítica foi feita em conjunto com Anderson Wallace.

Comentários