CRÍTICA – O Predador: A Caçada (2022, Dan Trachtenberg)

    O Predador: A Caçada (Prey) é um longa dirigido por Dan Trachtenberg e conta com Amber Midthunder como protagonista. O filme está disponível no Star+.

    SINOPSE DE O PREDADOR: A CAÇADA

    Naru (Amber Midthunder) é uma indígena da tribo Comanche e está tentando se provar como uma habilidosa caçadora para eles. Por ser mulher, a tradição não a deixa ser do grupo, entretanto, a chegada de um invasor poderoso faz as coisas mudarem e ela agora pode provar seu valor contra uma criatura mortal.

    ANÁLISE

    predador

    A franquia Predador passou por poucas e boas desde o seu início em 1987, quando o brucutu, Arnold Schwarzenegger, aniquilava uma das criações mais icônicas da cultura pop naquela época nos cinemas. Desde então, passaram-se 35 anos e quatro filmes foram feitos, além de um crossover que rendeu mais dois longas questionáveis.

    Em 2022, O Predador: A Caçada veio para fazer jus à boa fama adquirida nas origens, com um roteiro simples e uma direção bastante competente, além de um elenco muito bom.

    Sobre a trama, de fato a escolha de realizar a caçada no passado traz um tom mais ameaçador ao monstrengo, pois ele possui tecnologia avançada que se somam a sua força bruta e habilidade de caça. Os indígenas e colonos parecem não ser páreo por conta de suas armas ultrapassadas, mesmo que fossem grandes guerreiros. Todavia, Naru é uma excelente protagonista, pois passa longe do estereótipo da mocinha em perigo, tampouco também da durona unidimensional.

    Sua ambição é real e pode ser utilizada em qualquer espectro. A atuação de Amber Midthunder é segura e traz, principalmente no olhar, o medo e raiva de sua protagonista forte. O restante do elenco consegue entregar bons momentos.

    A trama se utiliza de algumas referências como Pocahontas e também senti um quê de O Regresso em alguns momentos, principalmente no que se refere as excelentes cenas de ação que são bem intensas. O ritmo é bem lento, com o roteiro contando a história no tempo que for necessário para nos deixar bem cientes de tudo que está acontecendo. Para os mais apressados, O Predador: A Caçada é um filme que leva o tempo que for para contar sua trajetória, o que pode incomodar algumas pessoas.

    Sobre a direção, há aqui estilo diferente, usando muito zoom e planos sequência, além de tomadas diferentonas que tornam dinâmicas as lutas. Assim como em 87, Dan Trachtenberg esconde o Predador por bastante tempo, mostrando a vida dos indígenas e da floresta num todo como uma espécie de adversária do alien. Em dado momento, parece que estamos assistindo algum documentário do Animal Planet, pois ele adora mostrar a rotina selvagem dos animais dali. Se há algum defeito, o CGI deixa um pouco a desejar, criando aquele aspecto bem artificial.

    VEREDITO

    O Predador: A Caçada é um resgate importante para uma franquia que necessitava de novos ares por conta de decisões questionáveis. Existem diversos acertos e com certeza a aposta deve dobrar nos próximos anos, uma vez que ainda tem muita lenha para queimar com retratos históricos da luta dos humanos contra os monstrengos caçadores. Vá com muita tranquilidade assistir, pois vale a pena!

    Nossa nota

    4,0/5,0

    Confira o trailer de O Predador: A Caçada:

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    Capitão América: Admirável Mundo Novo | Confira o primeiro trailer

    A Marvel Studios compartilhou o teaser trailer de Capitão América: Admirável Mundo Novo, apresentando Anthony Mackie como o Capitão América!

    Filmes subestimados que valem a pena assistir

    Infelizmente, alguns filmes acabam não recebendo a atenção e o reconhecimento que merecem e esses filmes acabam sendo subestimados.

    TBT #287 | ‘Rio, 40 Graus’ é mergulho no que o Rio foi, e o Rio é

    Rio, 40 Graus é um precursor de um movimento cinematográfico e nos faz sentir imersos em narrativas reais, e um país mais real ainda.

    CRÍTICA: ‘Eu Sou: Celine Dion’ é um documentário que até faltam palavras para definir

    O documentário Eu Sou: Celine Dion (I Am: Celine Dion), chegou ao Prime Video no dia 25 de junho. Veja o que achamos.