Início EVENTOS Grande Prêmio do Cinema Brasileiro: Cerimônia acontece na próxima semana

Grande Prêmio do Cinema Brasileiro: Cerimônia acontece na próxima semana

214
0
grande prêmio do cinema brasileiro 2018

Fernanda Montenegro será homenageada na cerimônia dirigida por Ivan Sugahara.

A Academia Brasileira de Cinema vai premiar, na noite de 18 de setembro, os melhores lançamentos cinematográficos nacionais de 2017. Bingo, o Rei das Manhãs, de Daniel Rezende, é o campeão de indicações (15), seguido por A Glória e a Graça, de Flávio Ramos Tambellini (10) e Como Nossos Pais, de Laís Bodanzky (10). Este ano, a disputa reúne 36 longas e 20 curtas nacionais, além de 5 longas estrangeiros, que concorrem ao Troféu Grande Otelo em 25 categorias.

Com direção de Ivan Sugahara, a cerimônia será realizada na Cidade das Artes, no Rio, com transmissão ao vivo do Canal Brasil na TV e na Internet, pelo Canal Brasil Play. A grande homenageada da noite será Fernanda Montenegro, que celebra 75 anos de carreira. O cineasta Nelson Pereira  dos Santos e o diretor, produtor e ex-presidente da Academia Brasileira de Cinema, Roberto Farias, que faleceram esse ano, também serão lembrados.

Diretor com longa carreira no teatro e apaixonado pela sétima arte, Ivan vai levar toda sua experiência nos palcos para a premiação, que ganha ares de espetáculo, com roteiro e narrativa. Esse ano, os atores/apresentadores são Laila Garin e Charles Fricks. O evento contará com uma banda ao vivo. A Roda, formada por Ricco Viana (guitarra e violão), Marcelo Müller (baixo) e Rick de La Torre (bateria), vai apresentar músicas brasileiras que homenageiam o cinema, interpretadas por Laila.

Em 2018, a cerimônia terá como mote principal a magia de se assistir a um filme na sala escura de cinema, primeira janela de exibição das produções. Longas como Lisbela e o Prisioneiro (2003), Cinema, Apirinas e Urubus (2005) e O Último Cine Drive-In (2015), que têm o cinema como fio condutor, norteiam a premiação. Essa é a sétima edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro dirigida por Ivan Sugahara, que começou sua história com o evento em 2003. O diretor destaca a importância dessa vivência em sua carreira e como ela agrega ao seu trabalho no teatro.

“A experiência de dirigir o Grande Prêmio é bastante distinta da que tenho na direção teatral. Trata-se de um evento que precisamos preparar com todo o apuro porque só temos uma noite de apresentação. Envolve o dobro de pessoas que constituem a equipe de um espetáculo. Sempre fui um cinéfilo. Passei a vida assistindo a muitos filmes, cheguei a estudar cinema na UFF e as minhas peças têm um diálogo intenso com o cinema, seja na linguagem, seja no uso de recursos audiovisuais. Essa bagagem me ajudou muito na direção do Grande Prêmio e, ao mesmo tempo, a experiência com a premiação alimentou a minha produção teatral.”

Os finalistas do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro foram selecionados pelos sócios da Academia em votação sigilosa pela internet, apurada pela PwC. Os vencedores serão escolhidos pelos membros da Academia e também pelo voto popular, que vai selecionar seus preferidos no site da instituição nas categorias Melhor Longa-Metragem Ficção, Melhor Longa-Metragem Documentário e Melhor Longa-Metragem Estrangeiro entre 1 e 17 de setembro.

O presidente da Academia Brasileira de Cinema, Jorge Peregrino, disse:

“A Academia representa todas as gerações de cineastas, desde a turma do Cinema Novo até diretores jovens que vêm se destacando nos últimos anos. E os indicados para o prêmio refletem essa pluralidade em longas de ficção dos mais diversos gêneros, documentários, curtas-metragens e filmes de animação em geral.”

O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2018 é uma realização da Academia Brasileira de Cinema em coprodução com a Kuarup Audiovisual. Tem patrocínio master da TV Globo, patrocínio do Canal Brasil através da Lei Federal de Incentivo à Cultura e patrocínio do BRDE/FSA-Ancine.

Veja a lista completa dos indicados e as categorias:

MELHOR LONGA-METRAGEM DE FICÇÃO

A GLÓRIA E A GRAÇA, de Flávio Ramos Tambellini
BINGO – O REI DAS MANHÃS, de Daniel Rezende
COMO NOSSOS PAIS, de Laís Bodanzky
ERA O HOTEL CAMBRIDGE, de Eliane Caffé
GABRIEL E A MONTANHA, de Fellipe Barbosa

MELHOR LONGA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

CORA CORALINA – TODAS AS VIDAS, de Renato Barbieri
DIVINAS DIVAS, de Leandra Leal
NO INTENSO AGORA, de João Moreira Salles
PITANGA, de Beto Brant e Camila Pitanga
UM FILME DE CINEMA, de Walter Carvalho

MELHOR LONGA-METRAGEM COMÉDIA

FALA SÉRIO, MÃE!, de Pedro Vasconcelos
DIVÓRCIO, de Pedro Amorim
LA VINGANÇA, de Fernando Fraiha
MALASARTES E O DUELO COM A MORTE, de Paulo Morelli
OS PARÇAS, de Halder Gomes

MELHOR LONGA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO

AS AVENTURAS DO PEQUENO COLOMBO, de Rodrigo Gava
BRUXARIAS, de Virginia Curia Martinez
BUGIGANGUE NO ESPAÇO, de Ale McHaddo
HISTORIETAS ASSOMBRADAS – O FILME, de Victor-Hugo Borges
LINO – UMA AVENTURA DE SETE VIDAS, de Rafael Ribas

MELHOR LONGA-METRAGEM INFANTIL

DETETIVES DO PRÉDIO AZUL de André Pellenz
UM TIO QUASE PERFEITO de Pedro Antonio

MELHOR DIREÇÃO

DANIEL REZENDE por Bingo – O Rei das Manhãs
DANIELA THOMAS por Vazante
ELIANE CAFFÉ por Era o Hotel Cambridge
FELLIPE BARBOSA por Gabriel e a Montanha
LAÍS BODANZKY por Como Nossos Pais

MELHOR ATRIZ

CAROLINA FERRAZ em A Glória e a Graça
CAROLINE ABRAS em Gabriel e a Montanha
DIRA PAES em Redemoinho
LEANDRA LEAL em Bingo – O Rei das Manhãs
MARIA RIBEIRO em Como Nossos Pais
MARJORIE ESTIANO em Entre Irmãs

MELHOR ATOR

ALEXANDRE NERO em o Maestro
IRANHDIR SANTOS em Redemoinho
JESUÍTA BARBOSA em Malasartes e o Duelo com a Morte
JOÃO PEDRO ZAPPA em Gabriel e a Montanha
VLADIMIR BRICHTA em Bingo – O Rei das Manhãs

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

ANA LUCIA TORRE em Bingo – O Rei das Manhãs
CAMILLA AMADO em Redemoinho
CLARISSE ABUJAMRA em Como Nossos Pais
LETÍCIA COLIN em Entre Irmãs
SANDRA CORVELONI em A Glória e a Graça

MELHOR ATOR COADJUVANTE

AUGUSTO MADEIRA em Bingo – O Rei das Manhãs
CESAR MELLO em A Glória e a Graça
CLÁUDIO JABORANDY em Entre Irmãs
FABRICIO BOLIVEIRA em Vazante
FELIPE ROCHA em Como Nossos Pais
JORGE MAUTNER em Como Nossos Pais
SELTON MELLO em O Filme da Minha Vida

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA

LULA CARVALHO por Bingo – O Rei das Manhãs
FELIPE REINHEIMER por Soundtrack
GUSTAVO HADBA por A Glória e a Graça
INTI BRIONES por Vazante
WALTER CARVALHO por O Filme da Minha Vida

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

CAROL BENJAMIN, LEANDRA LEAL, LUCAS PARAIZO e NATARA NEY por Divinas Divas
DANIELA THOMAS e BETO AMARAL por Vazante
ELIANE CAFFÉ, INÊS FIGUEIRO e LUIS ALBERTO DE ABREU por Era o Hotel Cambridge
FABIO MEIRA por As Duas Irenes
LAÍS BODANZKY e LUIZ BOLOGNESI por Como Nossos Pais
LUIZ BOLOGNESI por Bingo – O Rei das Manhãs
MARCELO GOMES por Joaquim
MIKAEL DE ALBUQUERQUE e LUSA SILVESTRE por A Glória e a Graça

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

FLÁVIA LINS E SILVA, LG BAYÃOMIRNA NOGUEIRA por Detetives do Prédio Azul
GEORGE MOURA por Redemoinho
MARCELO VINDICATTO e SELTON MELLO por O Filme da Minha Vida
MIKAEL DE ALBUQUERQUE por Real – O Plano Por trás da História
PATRÍCIA ANDRADE por Entre Irmãs

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE

CARLA CAFFÉ por Era o Hotel Cambridge
CÁSSIO AMARANTE por Bingo – O Rei das Manhãs
CLAUDIO AMARAL PEIXOTO por Entre Irmãs
CLAUDIO AMARAL PEIXOTO por João, o Maestro
CLAUDIO AMARAL PEIXOTO por O Filme da Minha Vida

MELHOR FIGURINO

ANA AVELAR por Entre Irmãs
CÁSSIO BRASIL por Como Nossos Pais
CÁSSIO BRASIL por Vazante
KIKA LOPES por O Filme da Minha Vida
VERÔNICA JULIAN por Bingo – O Rei das Manhãs

MELHOR MAQUIAGEM

ANNA VAN STEEN por Bingo – O Rei das Manhãs
ANNA VAN STEEN por Malasartes e o Duelo com a Morte
EMI SATO por João, o Maestro
MARCOS FREIRE por A Glória e a Graça
MARLENE MOURA e UIRANDÊ HOLANDA por O Filme da Minha Vida

MELHOR EFEITO VISUAL

DIEGO MORONE, LUCIANO NEVES e LUIZ ADRIANO por Soundtrack
GUILHERME RAMALHO, LUIS CARONE e DANIEL DIAS por Bingo – O Rei das Manhãs
HUGO GURGEL por Joaquim
OMAR COLOCCI por O Rastro
RICARDO BARDAL por Malasartes e o Duelo com a Morte

MELHOR MONTAGEM FICÇÃO

BRUNO LASEVICIUS e JULIA PECHMAN por João, o Maestro
MÁRCIO HASHIMOTO por Bingo – O Rei das Manhãs
MÁRCIO HASHIMOTO por Era o Hotel Cambridge
RODRIGO MENECUCCI por Como Nossos Pais
SÉRGIO MEKLER por A Glória e a Graça

MELHOR MONTAGEM DOCUMENTÁRIO

ABIGAIL SPINDEL por Waiting For B
EDUARDO ESCOREL e LAÍS LIFSCHITZ por No Intenso Agora
GIBA ASSIS BRASIL por Quem é Primavera das Neves
JULIANA MUNHOZ por Pitanga
NATARA NEY por Divinas Divas

MELHOR SOM

BRUNO ARMELIN, EVANDRO LIMA, MARCEL COSTA, PEDRO SÁ, DAMIÃO LOPES e GUSTAVO LOUREIRO por Memória em Verde e Rosa
FELIPPE SCHULTZ MUSSEL, VINÍCIUS LEAL e JESSE MARMO por Divinas Divas
GEORGE SALDANHA, BERNARDO UZEDA e ARMANDO TORRES JR por O Filme da Minha Vida
GEORGE SALDANHA, FRANÇOIS WOLF e ARMANDO TORRES JR por João, o Maestro
JORGE REZENDE, ALESSANDRO LAROCA, EDUARDO VIRMOND LIMA, RENAN DEODATO e ARMANDO TORRES JR por Bingo – O Rei das Manhãs
JOSÉ MOREAU LOUZEIRO, SIMONE ALVES e ARIEL HENRIQUE por A Glória e a Graça

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL

ANTONIO PINTO por Como Nossos Pais
ARTHUR B. GILLETTE por Gabriel e a Montanha
BETO VILLARES por Bingo – O Rei das Manhãs
PEDRO TAMBELLINI por A Glória e a Graça
PLÍNIO PROFETA por O Filme da Minha Vida

MELHOR TRILHA SONORA

BETO VILLARES por Malasartes e o Duelo com a Morte
GUILHERME VAZ e MARCO ANTONIO GUIMARÃES por Um Filme de Cinema
JULIO BRESSANE por Beduino
MAURO LIMA, FAEL MONDEGO e FÁBIO MONDEGO por João, o Maestro
PAULÃO 7 CORDAS por Memória em Verde e Rosa
RICA AMABIS e BETH BELI por Pitanga

MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO

Blade Runner 2049 (EUA) – dirigido por Denis Villeneuve
Dunkirk (EUA) – dirigido por Christopher Nolan
I, Daniel Blake (Inglaterra) – dirigido por Ken Loach
La la Land (EUA) – dirigido por Damien Chazelle
Una Mujer Fantástica (Chile) – dirigido por Sebastian Lelio

MELHOR CURTA-METRAGEM ANIMAÇÃO

ANIMAIS, de Guilherme Alvernaz
O VIOLEIRO FANTASMA, de Wesley Rodrigues
PELEJA DO SERTÃO, de Fabio Miranda
SOB O VÉU DA VIDA OCEÂNICA, de Quico Meirelles
TORRE, de Nádia Mangolini
VÊNUS-FILÓ A FADINHA LÉSBICA, de Sávio Leite

MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

BAMBAS, de Anna Furtado
BORÁ, de Angelo Defanti
CANDEIAS, de Reginaldo Faria & Ythallo Rodrigues
EM BUSCA DA TERRA SEM MALES, de Anna Azevedo
O GOLPE EM 50 CORTES OU A CORTE EM 50 GOLPES, de Lucas Campolina
O QUEBRA-CABEÇA DE SARA, de Allan Ribeiro
OCUPAÇÃO DO HOTEL CAMBRIDGE, de Andrea Mendonça

MELHOR CURTA-METRAGEM FICÇÃO

A PASSAGEM DO COMETA, de Juliana Rojas
CHICO, de Irmãos Carvalho
DE TANTO OLHAR O CÉU GASTEI MEUS OLHOS, de Nathália Tereza
NADA, de Gabriel Martins
TENTEI, de Laís Melo
THE BEAST, de Michael Wahrmann e Samantha Nell
VACA PROFANA, de René Guerra

Comentários