Início QUADRINHOS Artigo Coronavírus: Crossover entre DC e Marvel pode ser a saída pós-pandemia

Coronavírus: Crossover entre DC e Marvel pode ser a saída pós-pandemia

365
0
Coronavírus: Crossover entre DC e Marvel pode ser a saída pós-pandemia

As lojas de quadrinhos em todo o mundo estão ameaçadas pelos efeitos colaterais econômicos da pandemia do Novo Coronavírus (Covid-19). Com as paralisações e medidas sociais de distanciamento forçando as pessoas a se isolarem, muitas lojas de quadrinhos e outras pequenas empresas estão lutando para não fecharem as portas de fez devido a queda repentina de clientes.

Embora algumas empresas estejam melhor posicionadas do que outras para sobreviver à tempestade econômica, a indústria de quadrinhos precisará compensar o tempo perdido quando a pandemia finalmente terminar.

Para combater isso, algo enorme precisa acontecer para trazer clientes de volta às lojas de quadrinhos e reacender o consumo dos fãs; que mantêm a indústria de quadrinhos funcionando.

Como muitos criadores de conteúdo vêm observaram nos últimos dias, outro crossover entre a DC Comics e Marvel Comics pode ser exatamente o que as lojas de quadrinhos precisam para se recuperar.

Como esse crossover ajudaria?

Criadores como Gail Simone argumentam que um crossover entre a Marvel e a DC ajudaria a atrair as pessoas de volta às lojas de quadrinhos, e anos de tendências e números de vendas confirmam seu argumento.

Embora as críticas sobre os freqüentes crossovers da Marvel e DC sejam confusas, eventos de sucesso de vendas como Guerra Civil e Noite das Trevas: Metal já movimentaram as vendas do Universo Marvel e Universo DC. Antes disso, os vários eventos de crise de ambas as empresas, como Crise Infinita e Crise nas Infinitas Terras, provaram ser sucessos maciços para a Marvel e DC, respectivamente.

Da mesma forma, os crossovers entre as empresas geralmente se saem bem financeiramente. Em 2004, o último grande crossover da Marvel / DC, Liga da Justiça / Vingadores, foi um sucesso e todas as quatro edições dessa série venderam mais de 100.000 cópias, apesar de custarem quase o dobro dos outros quadrinhos disponíveis nas lojas.

Liga da Justiça / Vingadores #1 foi a segunda história em quadrinhos mais vendida de 2003, logo atrás de Batman #619, que fazia parte da icônica história “Hush” de Jeph Loeb e Jim Lee.

Desde então, a demanda por crossovers entre empresas não diminuiu. A partir de 2015, Batman/Teenage Mutant Ninja Turtles teve tanto sucesso financeiro que gerou três séries de sequências e uma adaptação para o filme de animação da DC.



A história desses crossovers

Embora possa parecer uma tarefa difícil, a DC Comics e a Marvel Comics já se uniram por várias vezes no passado. As empresas colaboraram pela primeira vez na década de 1970 para publicar uma adaptação do Mágico de Oz, mas o primeiro crossover de super-heróis seria Super-Homem vs O Incrível Homem-Aranha: A Batalha do Século, escrito por Gerry Conway com arte de Ross Andru e Dick Giordano.

O crossover colocou o Homem de Aço e o Amigão da Vizinhança um contra o outro antes de se unirem para enfrentar os verdadeiros vilões: Lex Luthor e Doutor Octopus.

A HQ se provou um enorme sucesso, e as duas empresas colaboraram novamente com:

  • Super-Homem e Homem-Aranha (uma sequência espiritual do primeiro crossover);
  • DC Série Especial #27: Batman vs O Incrível Hulk e
  • The Uncanny X-Men e The New Teen Titans #1.

Todos esses crossovers foram lançados entre 1981 e 1982.

Embora os crossovers apareceram esporadicamente na última década, o próximo crossover de super-heróis da Marvel e DC não sairia até 1994, onde as duas empresas lançaram dois crossovers separados de Batman e O Justiceiro:

  • Batman / Punisher: Lake of Fire e
  • Punisher / Batman: Deadly Knights.

Enquanto a maioria desses crossovers era um personagem e outro – que continuaria nos anos 90 – os fãs de quadrinhos não experimentaram um crossover de eventos até o evento DC vs Marvel / Marvel vs DC de 1996 – uma minissérie de quatro edições em que os dois universos lutaram em um grande cruzamento de crises.

O sucesso do crossover Marvel vs DC levou ao DC / Marvel: All Access e DC / Marvel: Unlimited Access, duas minisséries de quatro edições. O último crossover entre a DC Comics e Marvel Comics foi em 2003 com Liga da Justiça / Vingadores de George Perez.

Enquanto as duas editoras continuaram se cruzar em outras propriedades, nenhuma delas colocou seus respectivos heróis um contra o outro como Liga da Justiça / Vingadores, mesmo que os quadrinhos sejam de fato cânone nos dois universos.

Além de abrir caminho para um novo crossover, uma nova colaboração entre a Marvel e DC poderia trazer todas essas histórias de volta aos fãs pela primeira vez em quase duas décadas.

Considerando o quanto as coleções dessas séries podem custar no mercado, essas reimpressões também podem ajudar a trazer fãs e suas carteiras de volta às lojas de quadrinhos.



Seria possível um novo crossover?

Quando a Marvel Comics e DC Comics trabalharam juntas pela última vez, a indústria de quadrinhos estava em um lugar bem diferente. Enquanto a DC pertence à Warner Bros. de alguma forma há décadas, a Marvel ainda era uma empresa independente. No entanto, a Marvel agora é de propriedade da Disney e a DC é de propriedade da AT&T através da WarnerMedia.

O cenário dos super-heróis também foi muito diferente em 2003 do que é hoje. Quando Liga da Justiça / Vingadores começou, o primeiro filme do Homem-Aranha do diretor Sam Raimi havia acabado de sair, Batman Begins de Christopher Nolan ainda estava a alguns anos de sua estreia, e a própria ideia de filmes de super-heróis ainda era um pouco nova.

Isso significa que o público potencial para um novo crossover Marvel / DC é muito maior do que era em 2003. Segundo Comichron, o tamanho estimado do tamanho total do mercado norte-americano de quadrinhos da indústria de quadrinhos em 2003 foi de US $ 350-400 milhão. Em 2018, esse número havia aumentado para US $ 1,095 bilhão.

Com o Diamond Comic Distributors fechando indefinidamente em face da disseminação do Covid-19 nos EUA. 2020 já provou ser catastrófico para a indústria de quadrinhos. Isso significa que os problemas físicos dos quadrinhos não serão mais distribuídos a partir de Abril de 2020 até que eles reabram. Consequentemente, impactando nas importações de HQs para o Brasil e o resto do mundo.

O escritor de Batman, Scott Snyder, postou esta mensagem de esperança no Twitter:

“Os quadrinhos passarão por isso. As coisas podem mudar, mas nossa paixão coletiva por essa forma de arte, por esta indústria e por esta comunidade nos levará juntos para o outro lado.”

Os quadrinhos precisarão evoluir e assumir riscos criativos para crescer além disso. Enquanto os lembretes ocasionais de que a Mulher-Maravilha e o Super-Homem são dignos do Mjolnir são bons acenos para os antigos crossovers da Marvel e da DC, esses tipos de momentos oferecem apenas um gostinho do que um novo crossover poderia trazer para o público.

Se a indústria de quadrinhos precisa de um impulso financeiro, um crossover entre as maiores editoras de quadrinhos parece ser a maneira mais segura de injetar dinheiro e atrair leitores de volta às lojas. Concorda?



Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.